domingo, 14 de outubro de 2018

SAIBA QUEM SÃO OS SETE NOVOS SANTOS


Manoel Tavares - Cidade do Vaticano
O Santo Padre presidiu na manhã deste domingo (14/10), na Praça São Pedro, à canonização de sete novos Santos da Igreja: Paulo VI, Dom Oscar Romero, Francisco Spinelli, Vicente Romano, Maria Catarina Kasper, Nazária Inácia e Núncio Sulprizio. O Vatican News transmitirá a cerimônia a partir das 10h10min, horário italiano (5h10, horário de Brasília; 9h10h, horário de Portugal).
Eis alguns dados biográficos sobre cada um dos novos Santos:
● Paulo VI
João Batista Montini nasceu em Concesio, província de Brescia, norte da Itália, em 26 de setembro de 1897. Foi ordenado sacerdote diocesano em 29 de maio de 1920. Em 1937, foi nomeado Substituto da Secretaria de Estado.
Durante a Segunda Guerra Mundial, promoveu assistência caritativa e hospitalidade aos perseguidos pelo nazismo-fascismo, especialmente aos judeus.
Montini foi pró-Secretário de Estado para Assuntos Ordinários da Igreja e, em 1954, foi nomeado arcebispo de Milão. Em 1958, foi criado Cardeal. Em 21 de junho de 1963, foi eleito Sucessor de Pedro, assumindo o nome Paulo VI.
Entre as suas inúmeras ​​iniciativas, destacam-se: direção e aplicação do Concílio Vaticano II; viagens apostólicas; diálogo ecumênico e inter-religioso.
Tendo sido acometido por uma doença muito breve, Paulo VI faleceu em Castel Gandolfo na noite de 6 de agosto de 1978. Foi beatificado em 2014 por Papa Francisco.
● Oscar Arnulfo Romero Galdámez
Oscar Arnulfo Romero nasceu em 15 de agosto de 1917, em Ciudad Barrios, em El Salvador.
Em 1942, recebeu a ordenação sacerdotal e, durante vinte anos, foi pároco na diocese de San Miguel. Em 1970 foi nomeado Auxiliar de San Salvador e, em 1977, arcebispo de San Salvador.
Neste ínterim, uma grave crise política abateu-se sobre o país, que terminou com uma guerra civil. Ao constatar a onda de violência contra os mais fracos e a matança de padres e catequistas, Dom Oscar Romero sentiu o dever pastoral de adotar uma atitude de fortaleza e defesa do povo oprimido.
Em 24 de março de 1980, foi assassinado enquanto celebrava Missa. Em 2015, foi beatificado pelo Papa Francisco.
● Francisco Spinelli
Francisco Spinelli nasceu em Milão, em meados de 1800. Ao ser ordenado sacerdote, em 1875, começou a fazer apostolado entre os pobres da paróquia do seu tio, Padre Pedro.
Em 1882, conheceu Catarina Comensoli, que queria ser religiosa de uma Congregação que se dedicasse à Adoração Eucarística. Entre inúmeras vicissitudes, fundou um Instituto, junto com o Padre Francisco.
Madre Comensoli fundou a Congregação das Irmãs Sacramentinas e Francisco Spinelli a Congregação das Irmãs Adoradoras do Santíssimo Sacramento.
As Irmãs Adoradoras tem a missão de adorar, dia e noite, Jesus na Eucaristia e servir aos irmãos pobres e sofredores, nos quais Jesus revela o seu "Rosto". Assim, em Rivolta d'Adda, começaram a buscar Jesus entre os pobres, marginalizados, excluídos, idosos solitários e a dar-lhes assistência em escolas, oratórios, hospitais.
Francisco Spinelli faleceu em 6 de fevereiro de 1913. Foi beatificado por São João Paulo II, em 21 de junho de 1992, no Santuário Mariano de Caravaggio.
● Vicente Romano
Vicente Romano, sacerdote diocesano nasceu em Torre del Greco, na Itália, em 3 de junho de 1751 e foi ordenado sacerdote em 1775.
Seu ministério foi imediatamente caracterizado por uma atenção especial aos últimos e pelo compromisso da educação de crianças e jovens.
Em 1794, quando a terrível erupção do Vesúvio destruiu quase toda a cidade, trabalhou pela sua reconstrução e criou a "rastreadora": esta era uma sua estratégia missionária para reunir, com o crucifixo na mão, alguns grupos de pessoas, aos quais fazia pregações e os acompanhava à igreja ou oratório para rezar juntos.
Vicente Romano faleceu em 20 de dezembro de 1831 e foi beatificado, por Paulo VI, em 17 de novembro de 1963.
Os seus restos mortais são venerados na Basílica da Santa Cruz de Torre del Greco. Inclusive o lugar do seu nascimento é meta de peregrinações.
● Maria Catarina Kasper
Maria Catarina nasceu em 26 de maio de 1820 em Dernbach, na Alemanha. Para ajudar a sua grande família, trabalhou na lavoura, pedreira e tecelagem.
Nesse contexto, em 1845, junto com algumas amigas, teve a ideia de fundar um Instituto de religiosas para servir as classes sociais mais baixas. Por isso, três anos mais tarde, em 1848, fundou a "Casa das Pobres Servas de Jesus Cristo". A Congregação difundiu-se, rapidamente, para além dos confins da Alemanha e da Europa, chegando às Américas e até à Índia.
Acometida por um ataque cardíaco, Maria Catarina Kasper faleceu em 2 de fevereiro de 1898 e foi beatificada por Paulo VI, em 1978.
● Nazária Inácia de Santa Teresa de Jesus March Mesa
Nazária nasceu em Madri, Espanha, em 10 de janeiro de 1889, mas, por motivos econômicos, teve que se transferir para o México com a sua família. No navio em que viajavam encontrou algumas freiras da Congregação das Irmãzinhas dos Idosos Abandonados. Em 1908, entrou para este Instituto religioso e, em 1911, proferiu os votos religiosos. Mas, a sua missão desenvolveu-se no continente americano.
Foi enviada à Bolívia, em 1920, onde, fundou uma nova Congregação, como uma "cruzada de amor”: a Congregação das “Irmãs Missionárias da Cruzada Pontifícia”, teve inicio em 1925, mas, depois, passou depois a ser chamada “Missionárias Cruzadas da Igreja”, para servir os pobres e as mulheres necessitadas.
No entanto, por causa da guerra civil na Espanha (1936-1939), Nazária corria grave risco de vida. Então, em 1938, transferiu-se para a Argentina, onde instituiu várias obras em prol dos jovens e dos pobres.
Devido às suas condições de saúde precárias, Nazária Inácia faleceu em Buenos Aires, em 1943, e foi beatificada por São João Paulo II em 27 de setembro de 1992.
● Núncio Sulprizio
Núncio nasceu em 13 de abril de 1817, na província italiana de Pescara. Com seis anos de idade ficou órfão de pai e mãe e foi confiado aos cuidados da sua avó materna. Com ela, começou a frequentar Jesus na Eucaristia e a invocar a Santíssima Virgem.
Com o falecimento da sua avó, Núncio foi viver com um tio, que o ensinou a profissão de ferreiro. No entanto, o trabalho duro e os maus-tratos, aos quais seu tio o submetia, fizeram-no adoecer.  Acometido por uma tuberculose óssea, transferiu-se para Nápoles, onde ficou internado no Hospital. Ali, recebeu a Primeira Comunhão tão desejada.
A doença degenerou-se rapidamente, tanto que, em 5 de maio de 1836, Núncio Sulprício entregou sua alma a Deus, com apenas 19 anos de idade.
Em 1890, o Papa Leão XIII decretou as virtudes heroicas de Núncio Sulprício, propondo-a como modelo para os jovens. Em 1º de dezembro de 1963, Paulo VI presidiu à sua Beatificação.

Fonte: Vatican News

sábado, 13 de outubro de 2018

O 36º CAPÍTULO DA PROVÍNCIA SANTO TOMÁS DE VILA NOVA ACONTECE EM UMA ATMOSFERA DE ORAÇÃO E TRABALHO

O XXXVI Capítulo Provincial de São Tomás de Vilanova, celebrado em Monachil (Granada, Espanha), tem lugar em uma atmosfera de oração e trabalho comunitário.  
O início da sessão foi a leitura das saudações enviadas ao Capítulo pelos bispos de Granada, Guadalajara-Sigüenza, Málaga e Rio de Janeiro.
Da mesma forma, enviaram suas saudações, os superiores das Agostinianas Recoletas, os Agostinianos Recoletos (MAR) e o Conselho Nacional da Fraternidade Secular dos Agostinianos Recoletos (FSAR) da Argentina.  
O trabalho diário
No capítulo, as sessões foram realizadas de manhã e à tarde. Eles terminaram com o relatório dos provinciais. Os responsáveis ​​das províncias trabalharam nos seguintes temas: o apostolado ministerial e educativo, o apostolado social, as vocações e a juventude, a formação inicial e permanente e a parte no governo.
A oração
Os religiosos, reunidos no Capítulo, também dedicam tempo para a meditação mental, a oração da liturgia das horas e a celebração da Eucaristia, como diz o frei Luciano Audisio: "Às 20:30, todos nos reunimos no templo para oração meditada de Vésperas, iluminando com textos de Nosso Pai Santo Agostinho, os Salmos vespertinos ", diz ele .
É um momento de profunda oração comunal em que o Capítulo, juntamente com a comunidade do teologado de Monachil, se une à oração da Igreja na Liturgia das Horas.
No dia da Virgen del Pilar
O Capítulo coincidiu com a festa de Nossa Senhora do Pilar, padroeira da Hispanidade. As orações do dia foram dedicadas a ela; no entanto, os religiosos continuaram com o trabalho que os reuniu em Monachil.
Como de costume, na sala do capítulo, o moderador leu as saudações enviadas ao Capítulo por correio e correio eletrônico. Desta vez, por parte do arcebispo de Buenos Aires, os provincianos de San Nicolás de Tolentino, fray Sergio Sánchez e a província de San Ezequiel Moreno, Fray Dionisio Selma.
Da mesma forma, também foram recebidas as saudações das Fraternidades Seculares de Santa Fé de Mar del Plata; Mons. Fortunato Pablo; Fr. Ramón Pérez, vigário geral da Ordem; Gonzalo Villagrán, reitor da Faculdade de Teologia da Universidade de Granada; a Mônica Mães do Peru; os coordenadores da Escola Novo Leblón, os diretores e a Juventude Agostiniana Recoleta (JAR) da Escola San Agustín de Mar del Plata.
Os religiosos também aprovaram o Ordo capituli , que é o documento que orienta e estabelece o cronograma e ritmo que o Capítulo levará durante esses dias.
Após este trabalho, os religiosos formaram comissões de trabalho para abordar as questões que refletem a realidade dos ministérios dos países em que trabalham para serem apresentados à assembléia.
Depois disso, os priores provinciais responderam às perguntas formuladas pelos presidentes das comissões.
Texto: Nicolás Vigo
Fonte: Site da Província Santo Tomás de Vilanova

CANONIZAÇÃO DE PAULO VI E DOM ROMERO: DUAS VIDAS DEDICADAS À IGREJA

No próximo domingo, 14 de outubro, por ocasião da Missa de Canonização dos novos santos serão esperadas cerca de 70 mil pessoas estarão presentes. Entre eles, o Papa Paulo VI e o arcebispo de San Salvador dom Oscar Arnulfo Romero. Em uma coletiva na Sala de Imprensa falou-se sobre os novos santos

Cidade do Vaticano
Homens santos, homens de fé, de oração, de completa dedicação ao Evangelho. Paulo VI e Dom Romero foram essencialmente o reflexo da luz de Cristo. São palavras do cardeal Angelo Becciu, prefeito da Congregação para a Causa dos Santos  e do cardeal Gregorio Rosa Chávez, bispo auxiliar de San Salvador durante a coletiva na Sala de Imprensa da Santa Sé.

Paulo VI, testemunha da fé

Ao recordar Paulo VI, o cardeal Becciu deteu-se em algumas peculiaridades de Montini como o amor pela oração e a sua humildade “não artificiosa, mas conatural” que se exprimia no típico gesto de inclinar-se beijando a terra. “A sua vida – disse o cardeal – foi um dom a Deus e à Igreja porque a sua caridade nascia do coração, da predisposição da alma”. O cardeal Becciu evidenciou um ponto fundamental de Paulo VI: “Não era o homem do sorriso, mas de uma profunda serenidade”.
Levou adiante o Concílio Vaticano II, sofreu abertas contestações principalmente depois da publicação da encíclica Humanae Vitae, “depois desta encíclica – falou o prefeito Becciu – sabia o que o esperava: impopularidade, mas ele respondia com a sua consciência e não buscava aplausos. Para ele estava sempre em primeiro plano: Deus, a sua consciência e a Igreja”. Uma luz que apesar das oscilações da história jamais se apagará.

Dom Romero, homem da reconciliação

Depois de apresentar brevemente os outros Santos, a palavra passou para o bispo auxiliar de San Salvador, o cardeal Gregorio Rosa Chávez que recordou todos os eventos que serão realizados por ocasião da canonização de Dom Romero. Para a cerimônia virão mais de 5 mil salvadorenhos e mais 2 mil de outras partes do mundo. Sobre Dom Romero disse: “Era um homem tímido, mas também um perfeccionista que indicava sempre a convesão do coração como único caminho para a reconciliação do país”.

Vidas dedicadas à Igreja

Cardeal Becciu confirmou que Bento XVI não estará presente na Missa de canonização de domingo e que Paulo VI está sepultado  nas Grutas do Vaticano porque no seu testamento dizia que queria ficar “na terra nua”. Para o cardeal tanto Paulo VI como Dom Romero são homens que deram suas vidas à Igreja.

Fonte: Vatican News

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

TEM INÍCIO O 36º CAPÍTULO PROVINCIAL DA PROVÍNCIA SANTO TOMÁS DE VILANOVA - O CAPÍTULO DA UNIÃO

No dia 10 de outubro de 2018 inicia o 36º Capítulo da Província Santo Tomás de Vilanova, com as três províncias Santo Tomás, São José e Santa Rita já unificadas.
A comunidade agostiniana recoleta Nossa Senhora do Bom Conselho, de Monachil, Granada, Espanha, acolhe os participantes (religiosos capitulares) para o 36º Capítulo Provincial da Província Santo Tomás de Vilanova que, a partir do dia 10 de outubro de 2018, realizam o capítulo em que as províncias São José e Santa Rita de Cássia já incorporadas à Província Santo Tomás de Vilanova. 
O capítulo requereu uma preparação profunda para dar vida à nova província, que surge da união de três províncias da Ordem dos Agostinianos Recoletos, concretizando o processo de reestruturação e revitalização da Ordem. A preparação profunda começou em 2017 com a primeira das três reuniões da Comissão para a União das Províncias (CUP) realizada em Lima, Peru, de 25 a 27 de janeiro de 2017; a segunda reunião da CUP aconteceu em Monachil, Granada, Espanha (na mesma casa da Ordem onde acontecerá o capítulo da união), de 04 a 10 de dezembro de 2017; e a terceira reunião da CUP foi em Buenos Aires, Argentina, de 01 a 15 de maio de 2018. Entre uma reunião e outra da CUP, as várias subcomissões trabalharam arduamente para dar uma colaboração efetiva ao processo de unificação.

Os religiosos capitulares já têm em mão os instrumentos de preparação específica para trabalharem no Capítulo, material enviado antecipadamente pelo prior provincial frei Carlos María Domínguez: a edição digital do Caderno de Trabalho com os documentos fundamentais do Capítulo (o material impresso será entregue no Capítulo). Frei Carlos María já convidou cada delegado a fazer a leitura e estudo destes documentos que acompanharão o desenvolvimento do 36º Capítulo Provincial.
Os religiosos capitulares para o 36º Capítulo Provincial da Província Santo Tomás de Vilanova são os seguintes:


Da Cúria Geral em Roma, Itália
Fr. Miguel Miró Miró – Prior Geral e Presidente do Capítulo Provincial


Da Província Santo Tomás de Vilanova
Fr. Francisco Javier Hernández Pastor
Fr. Julio Amezua Caballero
Fr. Victoriano Sánchez Sánchez
Fr. Ángel Antonio García Cuadrado 
Fr. Miguel Ángel Hernández Domínguez
Fr. Carlos María Domínguez
Fr. Francisco José Ariza Bertos
Fr. Ricardo Daniel Medina
Fr. Simón Puertas Pérez
Fr. José María Sánchez Martín 
Fr. Darío Rubén Quintana 
Fr. Hugo José Sánchez Acosta 
Fr. Jenifer Polo Mejía 
Fr. Nicolás Luis Caballero Peralta 
Fr. José Gabriel Rodríguez Puentes 
Fr. Luciano Matías Audisio 
Fr. Alejandro Patricio Pamo Rabaje 
Fr. Danilo José Janegitz


Da Província São José:
Fr. Pedro Merino Camprovín
Fr. Ricardo Rebolleda Martín 
Fr. Daniel Ayala López de Viñaspre
Fr. Severiano de Cáceres Anaya 
Fr. Jacinto Anaya Morán 
Fr. Ricardo Riaño Otero
Fr. Enrique Gómez García
Fr. Eddy Omar Polo Ángeles
Fr. Alfredo Alejandro Sánchez Quevedo
Fr. César Hugo Lara Giraldo
Fr. José Alejandro Martínez Vegas


Da Província Santa Rita
Fr. Nicolás Pérez-Aradros Rubio
Fr. Sérgio Peres de Paula
Fr. Edielson Oliveira da Cunha
Fr. Alcimar Fioresi
Fr. Fábio Freire Nôcal
Fr. Afonso de Carvalho Garcia
Fr. Rodolfo Werneck Pereira


Texto de Frei Mason

terça-feira, 9 de outubro de 2018

HABEMUS PRIORE PROVINCIALI: FREI MIGUEL ÁNGEL HERNÁNDEZ DOMÍNGUEZ, PRIOR PROVINCIAL ELEITO

Depois de realizar o escrutínio para a eleição do Prior Provincial, frei Miguel Ángel Hernández Domínguez obteve a maioria absoluta dos votos válidos e, portanto, é o novo provincial eleito da Província Santo Tomás de Vilanova. A confirmação do cargo e a tomada de posse acontecerá durante o Capítulo Provincial.

Frei Miguel Ángel, de 53 anos de idade, nasceu em 19 de janeiro de 1965 em Collado Villalba, Madri, Espanha, fruto do matrimônio de Ovidio e Alejandra, sendo o menos de três irmãos. Depois dos estudos básicos e parte dos estudos secundários feitos em sua localidade natal, ingressou no ano de 1982 no Seminário Nossa Senhora do Bom Conselho, que os Agostinianos Recoletos têm em Monachil, Granada, Espanha.

Sua inclinação para a vida religiosa, especialmente ao carisma agostiniano recoleto, nasceu de uma forma espontânea no seio de sua própria família com vários exemplos próximas a serem imitados. Três irmãos de seu pai, seus tios frei Julián, frei David e frei Juan Francisco Hernández Cuadrado são sacerdotes pertencentes à Província Santo Tomás de Vilanova, da Ordem dos Agostinianos Recoletos. Frei Emilio Montes Cuadrado é primo deles e é também recoleto da mesma Província. Outra irmã de seu pai, a freira Celina Hernández, era religiosa da Congregação das Mercedárias Missionárias, falecida em 1973 com fama de santidade.

Frei Miguel fez seu noviciado em Los Negrales, Madri, e emitiu os votos temporais no dia 15 de agosto de 1984 em Burgos, cidade na qual continuou sua formação religiosa e acadêmica realizando seus estudos de filosofia e teologia. Fez a profissão solene em 10 de dezembro de 1988, e recebeu a ordenação presbiteral em Madri no dia 30 de junho de 1990 pelas mãos do bispo Dom Florentino Zabalza Iturri, OAR.

Logo depois de sua ordenação, foi transferido ao vicariato no Brasil, destinado à comunidade do Leblon, no Rio de Janeiro, onde permaneceu um ano realizando estudos e exercendo o serviço de vigário paroquial. 

Em 1992 foi transferido a São Paulo, paróquia São João Batista, vila Guarani, onde estudou Liturgia ao mesmo tempo em que desempenhava suas tarefas de vigário paroquial. No final de 1992 foi transferido a Belém do Pará. Ali, no Seminário Santo Tomás de Vilanova, desenvolveu uma intensa atividade como formador dos jovens postulantes até o ano 2000.

Depois do 30º Capítulo Provincial, no ano 2000, foi nomeado Vigário do Brasil, fixando sua residência no Rio de Janeiro, cargo que exerceu até o momento em que foi eleito Prior Provincial.

Em 2006 foi eleito Prior Provincial para o triênio 2006-2009, cargo que repetiria nos anos 2009-2012. Terminada sua função a cargo de governo provincial foi destinado à comunidade do noviciado em Monteagudo, Navarra, Espanha, onde exerceu o cargo de vice-mestre de noviços entre os anos 2012-2015.

No 35º Capítulo Provincial foi destinado à comunidade Nossa Senhora do Bom Conselho em Monachil, Granada, onde está a cargo da formação dos professos, além de ser o vice-prior da comunidade e vigário da província.

Manifestamos aqui a frei Miguel Ángel as felicitações de toda a Província Santo Tomás de Vilanova pela sua eleição ao cargo de Prior Provincial, ao mesmo tempo em que nos unimos todos em oração para que Deus o conceda a sabedoria e a fortaleza necessárias para o desempenho fiel da missão que Deus, através dos irmãos, lhe confiou.

Fonte: Site da Província Santo Tomás de Vilanova 
Tradução e edição para este site: Frei Mason