quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

ESCOLA DE TEOLOGIA PASTORAL "SANTO AGOSTINHO"

Estão abertas as inscrições para o curso de Teologia Pastoral que terá início no dia 22 de fevereiro de 2016, às 19h20min, no salão paroquial.

Venha estudar conosco e aprofundar sua fé!


PORTO ALEGRE TEM NOVO BISPO AUXILIAR

Cidade do Vaticano (RV) – A Arquidiocese de Porto Alegre (RS) tem novo Bispo Auxiliar: o Papa Francisco nomeou para o cargo o Reverendo Aparecido Donizete de Souza. Até então, Dom Aparecido era pároco da paróquia “São Francisco de Assis” em Cornélio Procópio (PR).
Biografia
Aparecido Donizete de Souza nasceu em 13 de janeiro de 1964 em Primeiro de Maio, Arquidiocese de Londrina (Paraná). Estudou Filosofia no Instituto Filosófico de Apucarana e Teologia no Instituto Teológico “Paulo VI” de Londrina. Fez a Licenciatura em Espiritualidade no Pontifício Instituto de Espiritualidade “Teresianum” de Roma (2001-2003). Recebeu a ordenação sacerdotal em 12 de dezembro de 1992 e foi incardinado na diocese de Cornélio Procópio, na qual desempenhou os seguintes cargos: vigário paroquial da Catedral (1992-1993); pároco em Jataizinho (1994-2001); reitor do Seminário “Menino Deus” (2004-2007); pároco em Sapopema (2007-2011) e reitor do Seminário maior “São José” (2012-2014).
Atualmente, é pároco da paróquia “São Francisco de Assis” em Cornélio Procópio (PR), Diretor Espiritual do Seminário e Assessor diocesano para a Pastoral litúrgica. 
Fonte: Site da Rádio Vaticano

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

HORÁRIO DE MISSAS NA IGREJA/MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO (no período de 31 de dezembro de 2015 até 3 de janeiro de 2016)

Esses são os horários de Missas para o período do final do ano civil de 2015 e início do ano civil de 2016 na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação:

31 DE DEZEMBRO DE 2015 (QUINTA-FEIRA)
19h - Missa em ação de graças pelo fim do ano civil

1º DE JANEIRO DE 2016 (SEXTA-FEIRA)
8h - Missa da Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus com exposição e bênção do Santíssimo Sacramento.
19h - Missa da Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus.

2 DE JANEIRO DE 2016 (SÁBADO)
6h30min - Missa
19h - Missa da Solenidade da Epifania do Senhor

3 DE JANEIRO DE 2016 (DOMINGO)
6h30min - Missa da Solenidade da Epifania do Senhor
19h - Missa da Solenidade da Epifania do Senhor (Missa com os jovens)

HORÁRIO DE MISSAS NA IGREJA/MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO (no período de 3 de janeiro de 2016 até 21 de fevereiro de 2016)

A partir do dia 3 de janeiro de 2016 até o dia 21 de fevereiro de 2016 os horários de Missas na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação serão os seguintes:

Aos sábados: 6h30 e às 19h

Aos domingos: 6h30 e às 19h

Não haverá nesse período a Missa das 17h (aos domingos)

A mudança desse horário no domingo é porque muitos dos nossos fiéis se deslocam para o litoral no período de férias de janeiro e fevereiro.

domingo, 27 de dezembro de 2015

PAPA: EM FAMÍLIA, APRENDEMOS A PEREGRINAÇÃO DA VIDA


Cidade do Vaticano (RV) – Na festa da Sagrada Família e Jubileu da Família, o Papa Francisco presidiu à celebração eucarística na Basílica de S. Pedro.

Em sua homilia, o Pontífice comentou as leituras do dia para ressaltar a importância do elo familiar na “peregrinação da vida”. Seja na primeira, seja na segunda leitura, os pais peregrinam rumo ao templo junto a seus filhos.

Educar à oração
“Podemos dizer que a vida familiar é um conjunto de pequenas e grandes peregrinações”, disse o Papa. Ensinar as orações, explicou, também é uma peregrinação: a peregrinação de educar à oração.

Para Francisco, não há nada de mais belo para um pai e uma mãe do que abençoar os seus filhos no início do dia e na sua conclusão, fazendo na sua testa o sinal da cruz. “Não será esta, porventura, a oração mais simples que os pais fazem pelos seus filhos?” Ou ainda, rezando juntos antes das refeições, para aprender a partilhar com quem se encontra em dificuldade: “Trata-se sempre de pequenos gestos, mas que expressam o grande papel formativo que a família possui”.

“Como é importante para as nossas famílias peregrinar juntos, caminhar juntos e ter a mesma meta em vista! Sabemos que temos um percurso comum a realizar; uma estrada, onde encontramos dificuldades, mas também momentos de alegria e consolação.”

A peregrinação não termina quando se alcança a meta do santuário, disse o Papa, mas quando se volta para casa e se retoma a vida de todos os dias, fazendo valer os frutos espirituais da experiência vivida.

Alegria do perdão
No Ano da Misericórdia, exortou Francisco, possa cada família cristã tornar-se um lugar privilegiado onde se experimenta a alegria do perdão. O perdão é a essência do amor, que sabe compreender o erro e remediá-lo. “Pobre de nós, se o Senhor não nos perdoasse.” É no seio da família, acrescentou, que as pessoas são educadas para o perdão, porque se tem a certeza de ser compreendidas e amparadas, não obstante os erros que se possam cometer.

“Não percamos a confiança na família! É bom abrir sempre o coração uns aos outros, sem nada esconder. Onde há amor, também há compreensão e perdão. A todas vocês, queridas famílias, confio esta peregrinação doméstica, de todos os dias, esta missão tão importante de que hoje o mundo e a Igreja têm mais necessidade do que nunca.”

Fonte: Site da Rádio Vaticano

sábado, 26 de dezembro de 2015

PARABÉNS FREI GUSTAVO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 27 de dezembro de 2015, recorda o 30º aniversário natalício de Frei Gustavo Barbiero Mello, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse religioso e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Gustavo Barbiero Mello, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como Vigário Paroquial na Paróquia Nossa Senhora da Consolação, em Cachoeiro de Itapemirim (ES).

REFLEXÃO PARA A FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA: JESUS, MARIA E JOSÉ

Cidade do Vaticano (RV)O perdão dos pecados acontece por causa de uma atitude de amor para com os pais, pois o lar, Igreja doméstica, voltou a ser o local do encontro com Deus.

A misericórdia em todos os relacionamentos, mas especialmente para com os pais, está em referência ao próprio Deus que é o Pai por excelência. Portanto, honrar os pais, respeitá-los, é prestar culto a Deus.

Tanto a primeira leitura quanto a segunda, da liturgia de hoje, não escondem as falhas no relacionamento familiar e humano, mas nos dizem que o importante aos olhos de Deus não está em ser sem defeitos, em ter uma família perfeita, mas sim na capacidade de amar sem medidas, apesar dos limites e das falhas pessoais. Claro que Deus deseja que sejamos perfeitos, mas mais importante para Ele é que nos amemos e nos perdoemos como Ele nos amou e nos perdoou, sem limites, sem restrições.

Dentro desse pensamento sobre o relacionamento familiar, será importante refletir sobre a realidade da família deste início de século, onde e como vive. Certamente a maioria mora em grandes centros urbanos e é constituída pelo casal e por um ou dois filhos. Um terceiro já faz considerá-la família numerosa.

Também a mãe trabalha fora e pais e filhos se encontram à noite, cansados, muitas vezes diante da televisão, ou durante o jantar. Se isso acontece já poderão se classificar felizes, pois em outros lares, muitas vezes quando pais saem para o trabalho, os filhos ainda dormem e quando voltam eles já estão deitados. O encontro, nesse caso, só se dá no final de semana.

Rezar juntos, passar para os filhos a vivência de uma oração em família, mesmo que seja apenas à mesa, só excepcionalmente, pois em muitos casos, para que possam descansar, não cozinham em casa e vão comer fora, em um restaurante ou na casa de parentes ou de amigos.

É difícil passar valores, enfim, formar os filhos. A sociedade pós moderna penetra em suas entranhas e é muito custoso prepara-los para o futuro, para que sejam filhos e irmãos como Deus quer. Só com a graça divina e com a disposição dos pais para uma autêntica renúncia e sacrifico.

Renúncia aos apelos de dar aos filhos tudo o que a sociedade consumista coloca como valores e que os pais enxergam como coisa boa e vantajosa. É preciso renunciar fazer do filho ou da filha pessoas como nos pede o elitismo, relativizar seus códigos. É preciso questionar os valores propostos por ela e crer nos do Evangelho.

Cabe a pergunta: formo minha família para ser cidadã deste mundo ou para ser cidadã do Reino de Deus, mas neste mundo? Jesus rezou ao Pai dizendo que não queria que nos tirasse do mundo, mas nos preservasse do mal.

Sacrifício: sacrificar significa tornar sagrado. Meu filho, minha filha, são do mundo ou de Deus? O batismo os retirou do paganismo e os fez filhos de Deus, sagrados. Respeito a senhoria de Deus sobre eles ou sou conivente com as solicitações consumistas e mundanas?

A imagem da Família de Nazaré como família migrante e pobre nos obriga a refazer a imagem da família atual, retornando às origens e aos valores, ou seja, a abundância de bens materiais não é necessária para ser feliz e amar a Deus e ao próximo.

É importantíssimo não só a simplicidade de vida, mas sobretudo é fundamental a convivência afetiva e efetiva, além do respeito aos idosos como gratidão e como referência à sua experiência de vida que porta sabedoria e os referenciais da autêntica tradição.

A Família de Nazaré nos ensina a cristianizar a família pós moderna, recolocando Deus no centro e n’Ele reencontrando a verdadeira felicidade.(Reflexão dominical do Padre Cesar Augusto dos Santo sobre a Sagrada Família)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

HORÁRIOS DE MISSAS PARA O FINAL DE SEMANA (25 A 27 DE DEZEMBRO DE 2015) NA IGREJA/MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

25 DE DEZEMBRO DE 2015 (SEXTA-FEIRA) 8h - Missa da Solenidade do Natal do Senhor

19h - Missa da Solenidade do Natal do Senhor

26 DE DEZEMBRO DE 2015 (SÁBADO)
6h30min - Missa da oitava do Natal do Senhor (Santo Estevão)

19h - Missa da Festa da Sagrada Família: Jesus, Maria e José.

27 DE DEZEMBRO DE 2015 (DOMINGO)


6h30min - Missa da Festa da Sagrada Família: Jesus, Maria e José.

17h - Missa da Festa da Sagrada Família: Jesus, Maria e José.

19h - Missa da Festa da Sagrada Família: Jesus, Maria e José.

Desejamos a todos um Feliz e Santo Natal!

APRESENTADO À COMUNIDADE PAROQUIAL O GANHADOR DO FUSCA QUE FOI DE FREI JOÃO ECHÁVARRI

Ao término da Santa Missa do Natal do Senhor, às 19h, na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação, o pároco Frei Agostinho Morosini, O.A.R. apresentou aos fiéis o ganhador do sorteio do fusca que pertenceu a Frei João Echávarri, O.A.R.

Como todos sabem o sorteio do fusca aconteceu pela loteria federal e o número sorteado foi 8312, sendo contemplado o Sr. Jorge Ghasi, morador de Cachoeiro de Itapemirim.

Desde já a Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos agradece a todos que participaram com a aquisição dos bilhetes, pois o dinheiro arrecado será para compra de um carro que estará à disposição do serviço de promoção vocacional na Província Santa Rita.

Deus os abençoe!











quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

PAPA NOMEIA SUCESSOR DE DOM ERWIN PARA A PRELAZIA DO XINGU

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa acolheu na manhã de quarta-feira (23/12), o pedido de renúncia de Dom Erwin Kräutler, que deixa, por razão de idade, a condução da Prelazia do Xingu após 35 anos.
Em seu lugar, foi nomeado o franciscano João Muniz Alves, que até o momento era o Guardião da Comunidade Franciscana de São Luís do Maranhão. Dom João Muniz Alves nasceu em 8 de janeiro de 1961 em Carema, município de Santa Rita, na Arquidiocese de São Luís do Maranhão. Emitiu seus primeiros votos na Ordem dos Frades Menores em 1986 e os votos solenes em 1991. Foi ordenado em 1993. Depois de estudar filosofia e teologia em Teresina, no Piauí, obteve o doutorado em ambas em Roma. 
Já como sacerdote, foi vigário paroquial, mestre de postulantes, pároco e definidor da vice-Província franciscana da diocese de Bacabal (MA). Em 2014 foi visitador geral da Província franciscana de Moçambique. Atualmente, exerce seu ministério como guardião da comunidade de São Luís do Maranhão, Vigário paroquial, formador e professor de teologia moral. 
Até a posse de Frei João, Dom Erwin Krautler permanece na condução da Prelazia como Administrador Apostólico. 
Fonte: Site da Rádio Vaticano

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

HORÁRIO DE MISSAS NA IGREJA/MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO (27 de dezembro de 2015 até 21 de fevereiro de 2016)

A partir do dia 27 de dezembro de 2015 até o dia 21 de fevereiro de 2016 os horários de Missas na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação serão os seguintes:

Aos sábados: 6h30 e às 19h

Aos domingos: 6h30 e às 19h

Não haverá nesse período a Missa das 17h (aos domingos)

A mudança desse horário no domingo é porque muitos dos nossos fiéis se deslocam para o litoral no período de férias de janeiro e fevereiro.

HORÁRIOS DE MISSAS DO NATAL DO SENHOR NA IGREJA/MATRIZ NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

Informamos os horários das celebrações na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação para o Natal do Senhor:

24 DE DEZEMBRO DE 2015 (QUINTA-FEIRA)

20h - Missa da Vigília do Natal do Senhor (Missa do Galo) na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação

25 DE DEZEMBRO DE 2015 (SEXTA-FEIRA)

8h - Missa da Solenidade do Natal do Senhor na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação

19h - Missa da Solenidade do Natal do Senhor na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação

Desejamos a você e seus familiares um Santo e Feliz Natal!

ATENDIMENTO DE CONFISSÕES

Informamos que durante todo o mês de janeiro/2016 até o dia 9 de fevereiro de 2016, não haverá atendimento de confissões na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação. 

BÊNÇÃO DAS ROSAS DE SANTA RITA DE CÁSSIA

Como é realizado todos os dias 22 de cada mês, nesse dia 22/12/2015, terça-feira, às 19h, acontece a Santa Missa na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação, com a bênção das rosas de Santa Rita de Cássia e você pode levar sua rosa para ser abençoada.

E as Obras Sociais de Santa Rita de Cássia pede aos fiéis e devotos que tragam fraldas geriátricas nos tamanhos G e GG para serem doadas às pessoas mais carentes de nossa paróquia.

PAPA APRESENTA OS "ANTIBIÓTICOS" PARA COMBATER DOENÇAS CURIAIS

Cidade do Vaticano (RV) – A palavra misericórdia guiou as felicitações que o Papa Francisco fez a seus colaboradores da Cúria Romana, recebidos em audiência na manhã de segunda-feira (21/12).
Depois do “catálogo das doenças curiais” apresentado no ano passado, este ano o Pontífice propôs o “catálogo das virtudes necessárias” para quem presta serviço na Cúria. Isto é, como disse Francisco, "os antibióticos curiais".
Doenças curiais
No decorrer de 2015, constatou o Papa, algumas das doenças citadas acabaram por se manifestar novamente, causando sofrimento e feridas. Por isso, foi necessário intervir e tomar medidas decisivas. “A reforma prosseguirá com determinação, lucidez e ardor”, reafirmou Francisco.
Entretanto, ponderou, “nem as doenças nem mesmo os escândalos poderão esconder a eficiência dos serviços que a Cúria Romana presta ao Papa e à Igreja inteira. Seria grande injustiça não expressar gratidão e encorajamento a todas as pessoas sãs e honestas que trabalham com dedicação”.
Virtudes necessárias
O “catálogo das virtudes necessárias” é dividido em 12 pontos, e tem como “guia e farol” a palavra misericórdia. “Trata-se de um instrumento prático para viver frutuosamente este tempo de graça”, explicou Francisco, convidando seus colaboradores a aprofundá-lo, enriquecê-lo e completá-lo.
Cada ponto é composto por duas palavras – virtudes, atitudes ou valores – sobre as quais o Pontífice faz a sua reflexão.
Assim, são necessários honestidade e maturidade, espiritualidade e humanidade, respeito e humildade, caridade e verdade para se combater indicações, subornos, escândalos, burocracia, superficialidade e a lógica consumista.
“A humanidade é saber mostrar ternura, familiaridade e gentileza com todos.”
 Ou ainda: “Exemplaridade para evitar os escândalos que ferem as almas e ameaçam a credibilidade do nosso testemunho. Fidelidade à nossa consagração, à nossa vocação.” “A honestidade é a base sobre a qual assentam todas as outras qualidades.”
E também: “O respeito é dote das almas nobres e delicadas; das pessoas que procuram sempre ter em justa consideração os outros, a sua função, os superiores e os subordinados, os problemas, os documentos, o segredo e a confidencialidade.”
“A sobriedade é a capacidade de renunciar ao supérfluo e resistir â lógica consumista dominante.”
Misericórdia
“Na realidade, é inútil abrir todas as Portas Santas de todas as basílicas do mundo, se a porta do nosso coração está fechada ao amor”, afirmou o Papa, acrescentando:
“A misericórdia não é um sentimento passageiro, mas é a síntese da Boa Nova. Seja a misericórdia a guiar os nossos passos, a inspirar as nossas reformas, a iluminar as nossas decisões; seja ela a fazer-nos ler a pequenez das nossas ações no grande projeto de salvação de Deus.”
Francisco encerrou a reflexão a seus colaboradores da Cúria Romana com uma oração atribuída ao Beato Óscar Arnulfo Romero.
Confira o título dos 12 pontos:
1.     Missionariedade e pastoreação
2.     Idoneidade e sagácia
3.     ESpiritualidade e humanidade
4.     Exemplaridade e fidelidade
5.     Racionalidade e amabilidade
6.     Inocuidade e determinação
7.     Caridade e verdade
8.     HOnestidade e maturidade
9.     Respeito e humildade
10.   Dadivoso e atento
11.   Impavidez e prontidão
12.   FiAbilidade e sobriedade
Fonte: Site da Rádio Vaticano

sábado, 19 de dezembro de 2015

REFLEXÃO PARA O 4º DOMINGO DO ADVENTO

Cidade do Vaticano (RV)A primeira leitura, extraída de Miquéias, nos fala que o poder será popular e não mais aristocrático Deus manterá sua fidelidade à Casa de Davi quando escolheu o caçula de Jessé para ser um grande rei de Israel. Davi, não só venceu o opressor ao derrotar Golias apenas com uma pedrada, mas utilizou sua capacidade de pastor para reorganizar e salvar o povo.

Miquéias, tendo em mente o advento do rei Davi,  fala que Belém, a cidade davídica,  no momento uma aldeia desprezível para os habitantes da capital, será o berço daquele que governará Israel, de um modo mais grandioso que o realizado pelo filho de Jessé.

Isso irá acontecer quando uma mulher der à luz e os compatriotas voltarem do exílio. Será a formação da nova sociedade de que falamos no domingo passado. Novo rei, segundo o coração de Deus e, consequentemente, nova sociedade.

O versículo 3, do capítulo diz que o novo rei será a paz. Ele se refere ao triunfo da paz em todo o orbe e o domínio da justiça em todos os setores. Não será apenas Israel o beneficiário desta paz, mas o mundo todo.

No Evangelho, Lucas ao falar da visita de Maria a Isabel e, naturalmente, de Jesus a João Batista, revela Deus visitando os pobres e marginalizados. Jesus, o Salvador, é levado por Maria, a escolhida a visitar aqueles que outrora eram desprezados por não terem filhos. É uma visita que celebra a misericórdia do Senhor. Isabel a saúda bendizendo-O pois tem consciência de que a visita que recebe é a de Deus que salva.

Tanto a 1ª leitura quanto o Evangelho nos mostram que o lugar social onde Deus assume posição é no meio dos pobres. O Senhor se identificou com eles e se fez um deles. Para eles veio a plenitude da vida, a Salvação. Quem desejar ser salvo deverá observar que desde o início da História da Salvação, o Senhor escolheu os pobres e eles souberam receber os mandamentos do Senhor como dom de Deus. Ser pobre é mais que fazer parte de uma categoria social. Ser pobre é também uma opção de vida que coloca no Senhor a sua confiança e não nos bens e nos poderes deste mundo. Ser pobre é abrir mão de desejos particulares, egocêntricos em favor dos companheiros de caminhada. Ser pobre é abrir mão de ser sábio aos olhos do mundo e acatar a Palavra de Deus como verdade que salva. Ser pobre é abrir mão dos bens deste mundo, de seus privilégios se tais riquezas se contrapõem à vontade de Deus; ser pobre, enfim é buscar a simplicidade de vida porque ela não só foi vivida pela família de Nazaré, mas foi a escolha livre de Jesus. Ser pobre é ser filho e ser irmão!

Fonte: Site da Rádio Vaticano

CARTA DE AGRADECIMENTO DE FREI AGOSTINHO MOROSINI A TODOS OS PAROQUIANOS DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO



Cachoeiro de Itapemirim, 14 de dezembro de 2015.

Queridos irmãos e irmãs em Cristo!
 
Aproxima-se a celebração do Natal de Nosso Senhor Jesus. Também já iniciamos o Ano Santo da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco. É um Kairós, tempo da Graça, tempo propício para abrir nosso coração à Misericórdia de Deus e fortalecer sempre mais nossa fé em Jesus. 

É preciso comunicar-lhes que em breve serei transferido para a Paróquia Santa Rita de Cássia em Vitória – ES. 

Não depende de mim ficar ou ir para onde eu quiser, pois em minha Consagração Religiosa na Ordem dos Agostinianos Recoletos, professei Votos de Pobreza, Castidade e Obediência. Por isso, entrego-me nas mão de Deus. Rezemos sempre para que Nosso Senhor suscite mais vocações à Vida Religiosa e Sacerdotal, pois a Messe é grande e os operários são poucos.

Quero, pois, manifestar meus sinceros agradecimentos pelo carinho e compreensão de cada um de vocês, e também por todo o empenho dos coordenadores e agentes de pastoral nas atividades comunitárias e celebrativas ao longo desses dois anos.
 
Deus abençoe a todos e tenham um Feliz e Santo Natal!
Paz em Cristo!!!

                Pe. Frei Agostinho Morosini, OAR
                              Pároco
























sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

FRANCISCO APROVA MILAGRE BRASILEIRO E MADRE TERESA SERÁ SANTA

Cidade do Vaticano (RV) – No dia de seu aniversário (17/12), o Pontífice aprovou o milagre atribuído à intercessão de Madre Teresa de Calcutá, beatificada por São João Paulo II, em 2003. A data da canonização ainda deverá ser confirmada, mas é possível que seja incluída nas celebrações do Jubileu da Misericórdia.
A Congregação para a Causa dos Santos concluiu em julho deste ano as investigações no Brasil sobre o milagre para a cura inexplicável de um homem em Santos (SP), em meados de 2008.
Milagre
O caso da cura milagrosa em chegou ao Vaticano no início de 2015 e logo foi considerado válido por apresentar elementos contundentes para a instauração de um processo. O Promotor de Justiça no processo local, Padre Caetano Rizzi, afirmou que tudo aconteceu muito rapidamente porque os fatos eram evidentes.
"Ouvimos diversas testemunhas, ouvimos o possível miraculado. Foi um processo longo, intenso, com muitas audiências e muito trabalho. Mas a graça de Deus nos faz chegar a conclusão de que não temos aqui uma palavra para explicar o que aconteceu. Está sendo um processo muito rápido porque os fatos são evidentes”, explicou.
Na época, o miraculado havia 35 anos e, à beira da morte por causa de uma grave doença cerebral, de forma inexplicável, recuperou-se. Hoje o homem vive no Rio de Janeiro. O Delegado episcopal vaticano para o tribunal local, Monsenhor Robert Sarno, explicou como foi a última parte do processo.
A vida da santa
Madre Teresa nasceu em 1910 em Skopje, território albanês, atualmente capital da Macedônia, e morreu em 1997 em Calcutá, na Índia. Anjezë Gonxhe Bojaxhiu recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1979 por sua atuação missionária.
A futura santa deixou sua terra natal aos 18 anos, podendo retornar somente décadas mais tarde, quando iniciava a derrocada do regime comunista de Enver Hoxha.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

DIA MUNDIAL DA PAZ: "INDIFERENÇA, AMEAÇA À HUMANIDADE"

Cidade do Vaticano (RV) –  “A paz é dom de Deus e trabalho dos homens; a paz é um dom de Deus, mas confiado a todos os homens e a todas as mulheres, que são chamados a realizá-lo. E é a indiferença dos homens o primeiro inimigo da paz”. É o fulcro da mensagem para o Dia Mundial da Paz 2016, escrita pelo Papa e apresentada à imprensa nesta terça-feira (15/12), no Vaticano. Este ano, o tema é "Vence a indiferença e conquista a paz".
Lembrando o ano que passou, “doloroso para a paz”, o Papa repropõe o conceito da esperança: “Enquanto terrorismo e conflitos parecem confirmar a teoria da “terceira guerra mundial por pedaços”, existem razões para esperar, escreve Francisco, mencionando eventos como o Acordo de Paris sobre o clima e a Agenda ONU 2030 para o desenvolvimento sustentável. 
Situações como esta fazem crer na capacidade da humanidade de agir unida, em espírito de solidariedade. Uma atitude que se bem se conjuga com a atuação da Igreja nos últimos 50 anos, orientada ao diálogo, à solidariedade e à misericórdia. 
As ameaças à paz, todavia, são concretas e derivam sobretudo da indiferença pelo próximo e pela criação. Este comportamento é tão comum que o Papa o define como “globalização da indiferença”: um mal gerado, antes de tudo, pela indiferença que o homem nutre por Deus. 
A ruptura desta relação preferencial é a causa dealguns  males que o Papa frequentemente denuncia: a corrupção, a destruição do meio ambiente, a ausência de compaixão pelos próximos. O caminho indicado pelo Papa para combater a globalização da indiferença passa por uma profunda conversão do coração do homem, que nos permita, através da graça de Deus, voltar a ser capazes de nos abrirmos aos outros com autêntica solidariedade. 
Por fim, Francisco lembra que a indiferença pelo ambiente natural, favorece o desflorestamento, a poluição e as catástrofes naturais que desenraízam comunidades inteiras do seu ambiente de vida, obrigando-as à precariedade e à insegurança; cria novas pobrezas e novas situações de injustiça com consequências muitas vezes desastrosas em termos de segurança e paz social. "Quantas guerras foram movidas e quantas ainda serão travadas por causa da falta de recursos ou para responder à demanda insaciável de recursos naturais?".
Para criar a cultura da misericórdia, o Papa chama famílias, educadores e comunicadores a promover os valores da liberdade, do respeito recíproco e da solidariedade. Neste contexto, Francisco cita como exemplo negativo um certo tipo de imprensa, não muito rigorosa na apuração e na difusão das notícias. E constata que, infelizmente,o aumento das informações, próprio do nosso tempo, não significa, de por si, aumento de atenção aos problemas, mas, ao contrário, pode gerar uma certa saturação que anestesia e, em certa medida, relativiza a gravidade dos problemas.
No entanto, existem na sociedade vários exemplos de engajamento solidário e misericordioso: organizações comprometidas com direitos humanos, associações de caridade e realidades que ajudam migrantes. Segundo o Papa, estas ações são obras de misericórdia “corporal e espiritual”.
Na sequência da mensagem, o Pontífice agradece a todos aqueles que atenderam o seu apelo e acolheram uma família de refugiados. 
O Jubileu da Misericórdia, enfim, representa uma ocasião para refletir sobre o grau de indiferença que reside em nossos corações, para que a derrotemos e nos comprometamos em melhorar a realidade que nos circunda. 
Concluindo a mensagem para o Dia Mundial da Paz, Francisco recorda todas as pessoas fragilizadas, que vivem em condições de desfavor; e invoca o fim da pena de morte e a anistia. O apelo final é dirigido às lideranças políticas: rejeitar as guerras, cancelar a dívida dos países mais pobres e adotar políticas de cooperação que não lesem o direito dos nascituros à vida.
Fonte: Site da Rádio Vaticano 

ENCERRAMENTO E FORMATURA NA ESCOLA DE TEOLOGIA PASTORAL SANTO AGOTINHO

Mais um ano de estudos foi encerrado na Escola de Teologia Pastoral "Santo Agostinho" da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, com a Celebração Eucarística, às 19h, na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação, presidida pelo pároco Frei Agostinho Morosini, O.A.R., na qual deu-se como concluído nessa escola os estudos de 4 (quatro) guerreiras.

A todos que servem na Escola de Teologia Pastoral "Santo Agostinho" os nossos mais sinceros agradecimentos e que Deus os abençoe sempre!

Agradecemos a Sairi Martins pelo registro fotográfico.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

DECRETO DO BISPO DIOCESANO SOBRE O JUBILEU EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA

DECRETO

DOM DARIO CAMPOS, O.F.M.

Por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica Bispo da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

Aos que virem, paz e bênção do Senhor!


Em razão da proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, por sua Santidade o Papa Francisco, com a Bula Misericordiae Vultus, recordo, exorto, oriento e decreto, como segue:

O Ano Santo abrir-se-á no dia 08 de dezembro de 2015, solenidade da Imaculada Conceição (MV 3). A graça da Porta Santa é concedida às Igrejas Particulares. Escreve o Papa: “Estabeleço que no mesmo domingo (o Terceiro Domingo do Advento), em cada Igreja Particular – na Catedral, a Igreja-Mãe para todos os fieis […] se abra igualmente, durante todo o Ano Santo, uma Porta da Misericórdia” (MV 3). Ademais, continua o Papa:Por opção do Ordinário, ela poderá ser aberta também nos Santuários, meta de muitos peregrinos…” (MV 3).

Em consonância com a Bula do Papa Francisco, na Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, abriremos a Porta do Ano Santo na Igreja Mãe: Catedral de São Pedro na data do dia 13 dezembro 2015, às 09h.

A partir dessa abertura, a Catedral é oficialmente instituída Santuário Diocesano do Ano Santo da Misericórdia. O presente decreto que eleva a Catedral como Santuário principal, portadora de todos os bens espirituais, também contempla com tal graça outros lugares santos da Diocese. Assim, achamos por bem decretar simultaneamente a instituição de cada Igreja Matriz (e Igreja das Comunidades Eclesiais de Base) como outros Santuários da Misericórdia, com a finalidade de melhor atender as necessidades dos nossos fiéis, bem como provisionar cada pároco das citadas Paróquias, como responsável em fazer suscitar uma programação especial, manifestando aos peregrinos a alegria do perdão e da misericórdia do Pai.

Enfatizo que esses lugares santos sejam portadores dos benefícios de Deus, tendo uma Porta Santa e oferecendo graças especiais através das indulgências, bem como uma meditação sobre a misericórdia. A Porta Santa da Misericórdia é um sinal e há de se constituir em convocação especial para os fiéis-cristãos católicos acolherem mais plenamente a Misericórdia do Pai e praticá-la, pois a Misericórdia é o amor em exercício de salvação.

Exorto a todos os fiéis cristãos católicos que ao passarem pela porta santa se comprometam em praticar as obras de misericórdia, tanto corporais, como espirituais. As primeiras, dar de comer a quem tem fome; dar de beber a quem tem sede; vestir os nus; dar abrigo aos peregrinos; assistir aos enfermos; visitar os presos e enterrar os mortos. Já as obras espirituais seriam  instruir os que não sabem; dar bons conselhos aos que necessitam; consolar ou seja aliviar o sofrimento dos aflitos; confortar e fortalecer os angustiados e abatidos; perdoar as injustiças de boa vontade; suportar com paciência as adversidades e fraquezas do próximo e rogar pelos vivos e pelos mortos.

Nesse Ano Santo, para alcançar as graças da Indulgência Jubilar dever-se-á: a) Passar pela Porta Santa; b) Confessar-se; c) Participar da Missa e comungar; d) Rezar o Creio; e) Rezar pelo Papa e pelas intenções que ele traz no coração.

Como nos diz Papa Francisco, com esse Ano Jubilar, a Igreja se faça eco da Palavra de Deus que ressoa, forte e convincente, como uma palavra e um gesto de perdão, apoio, ajuda, amor. Que ela nunca se canse de oferecer misericórdia e seja sempre paciente a confortar e perdoar. Que a Igreja se faça voz de cada homem e mulher e repita com confiança e sem cessar: Lembra-te, Senhor, da tua misericórdia e do teu amor, pois eles existem desde sempre.” (Sl 25/24, 6)

Determino que este nosso Decreto seja tornado público por ocasião do início do Ano Santo da Misericórdia. Que seja também transcrito no Livro Tombo das Igrejas que se tornaram por esse período jubilar Santuários da Misericórdia.

Dado e passado nesta Cúria Diocesana de Cachoeiro de Itapemirim, aos 09 de dezembro 2015

Dom Dario Campos OFM

Bispo Diocesano de Cachoeiro de Itapemirim