domingo, 31 de agosto de 2014

MISSA DA UNIDADE NA FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No final da manhã desse dia 31 de agosto de 2014, 22º Domingo do Tempo Comum, foi celebrada a Eucaristia, presidida por Frei Gracione Augusto Alves, O.A.R. (pároco da Paróquia São João Batista, na cidade Muqui (ES)) e concelebrada pelo Frei Agostinho Morosini, O.A.R., pelo diácono transitório Frei Sérgio Sambl, O.A.R. e pelo diácono permanente Pedro Guarino, na qual foram reunidas todas as comunidades que formam a Paróquia Nossa Senhora da Consolação.

Momento festivo para toda Paróquia, pois celebramos a festa da Mãe da Consolação. A Consolação de Cachoeiro de Itapemirim.

Agradecemos a todas as pessoas que participaram desse momento de partilha, reflexão e oração.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





sábado, 30 de agosto de 2014

QUINTO DIA DA NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

Nas vésperas do 22º Domingo do Tempo Comum - Ano A, foi celebrada a Eucaristia do 5º dia da novena em preparação à Solenidade de Nossa Senhora da Consolação, sendo a Santa Missa presidida pelo Padre Giovanni Geraldo Quites (pároco da Paróquia Santo Antônio de Pádua, município de Atílio Vivácqua (ES)) e concelebrada pelo Frei Agostinho Morosini, O.A.R. e pelo diácono transitório Frei Sérgio Sambl, O.A.R. e pelo diácono permanente Sérgio Ricardo Secchin Ribeiro.

Na homilia Padre Giovanni lembrou a todos que o cristão deve saber perder, apesar de vivermos no século que o ganhar acima tudo e a todo o custo é a moda, o cristão deve saber perder. E no Evangelho, Jesus nos ensina como iniciar essa perda, primeiro a renúncia e depois o seguimento de seus passos.

E Maria, foi aquela que soube perder sua vida em prol do Reino de Deus, pois confiou plenamente na ação do Espírito Santo em sua vida.

Ao término da celebração eucarística Frei Agostinho Morosini, O.A.R. agradeceu a presença do Padre Giovanni Geraldo Quites e no pátio da igreja, além das barraquinhas, a noite foi animada com o Grupo de Chorinho.

Agradecemos a Secretária Marta D'Agostini por ter registrado esse belo momento de nossa festa paroquial.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





REFLEXÃO DO 22º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO A


Cidade do Vaticano - (RV) - No Evangelho Jesus nos mostra a necessidade de assumirmos a cruz se quisermos segui-lo, o que inicialmente foi rejeitado por Pedro, como está escrito no Evangelho deste domingo.

Segundo Mateus, Pedro não aceita, para o Senhor, a cruz.

Ele que, há pouco, como vimos no domingo passado, se mostrou tão inspirado por ter reconhecido o Senhor como o Filho de Deus e ter recebido um grande elogio por parte de Jesus, permite-se contestar o Mestre. 

Jesus não só discorda radicalmente dele, mas o chama de satanás, pedra de tropeço, porque não pensa as coisas sob o ângulo de Deus, e sim, dos homens! 

Mas por que Pedro muda tanto, o que move seu coração? Como todos nós, Pedro é bombardeado pelas idéias, ideologias e por seus afetos. Quando disse que Jesus era o Messias, Pedro escutava o Espírito Santo que habitava em seu coração; agora, ao rejeitar a possibilidade de seu Mestre sofrer, Pedro está seguindo as vozes do mundo que dizem não à derrota, ao sofrimento, a tudo aquilo que significa ausência de vantagem, de prazer. Ele está ouvindo o mundo com suas falácias e se deixou enganar. O Senhor veio em seu auxílio de um modo forte e absoluto.

Também nós, muitas vezes ficamos surdos à voz do Espírito Santo e damos ouvidos aos nossos temores e nos deixamos levar por vozes “amigas”, pelos meios de comunicação.

Que dizer do fato no qual um jornalista cristão, com formação católica, vai para o Iraque, um país onde neste momento os discípulos de Cristo são perseguidos, para lá cumprir sua vocação de levar ao mundo a voz dos que são calados pela força do fanatismo ignorante e cego? Segundo relataram, o jovem jornalista, degolado de modo bárbaro, como toda imprensa noticiou nas últimas semanas, rezava o terço todos os dias e deve ter contemplado muitas vezes a paixão de Jesus. Ele não se deixou levar pelos formadores de opinião pública, aliás ele mesmo era um deles, que agora forma todos com seu exemplo de profissional cristão.

Outubro está chegando e, com ele, as eleições. Por onde andam meus afetos? Sou levado por ideologias, por mensagens que leio no facebook, por “aparelhos de conversa”? Onde está a liberdade de minha consciência?

Meus candidatos representam os ideais cristãos ou são simulacros de cristãos?

A advertência de Jesus a Pedro de que ele não pensa nas coisas de Deus e sim nas dos homens, quer dizer que o pensamento e o coração dos discípulos ainda estão tomados pelas coisas mundanas e que por isso ele deseja fazer com que Deus mude de orientação. Para Pedro será Deus que deverá se tornar imagem e semelhança da sua criatura, e não o inverso. 

Consequentemente, aceitar a cruz e suas implicações, por este ser o seguimento de Jesus, é divinizar-se, é tornar-se imagem e semelhança de Deus, como quer o Criador. Por isso ela leva à ressurreição.

Seguir Jesus - e isso deve ser feito livremente pela adesão do coração - significa abrir mão de toda ambição pessoal, aceitar o que Deus enviar, significa assinar uma folha em branco e confiar absolutamente em Deus.

Não importa se seguir Jesus trará mais ou trará menos sofrimentos. Não é por aí que deveremos nos conduzir. Seguir Jesus é segui-lo por onde Ele for, livremente, por adesão do coração - dócil às sugestões do Espírito - e aceitando o que vier, por fidelidade e amor.

P. Cesar Augusto SJ

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/08/30/reflex%C3%A3o_para_o_xxii_domingo_do_tempo_comum/bra-822495 do site da Rádio Vaticano 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

QUARTO DIA DA NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No quarto dia da novena em preparação à Solenidade de Nossa Senhora da Consolação, foi celebrada a festa litúrgica do Martírio de São João Batista, sendo a Santa Missa presidida pelo Padre Marconi José de Andrade, do clero diocesano e pároco da Paróquia São José, Município de Mimoso do Sul (ES) e concelebrada por Frei Agostinho Morosini, O.A.R. (pároco) e pelo diácono transitório Frei Sérgio Sambl, O.A.R..

Em sua homilia Padre Marconi enfatizou a coragem de São João Batista em viver sua vida pelas vias de Deus, não deixando se corromper com os desvios da sociedade e de sua época, e que o homem e a mulher de fé, para se manter reto diante de Deus e dos homens, devem estar alicerçados na oração, pois se não for assim, qualquer vento sobre sua vida vai derrubá-lo.

Padre Marconi fez uma bela reflexão sobre o papel de Nossa Senhora na sociedade, assim como o bem que ela faz à Igreja em nossos dias, e associou a figura da Virgem Maria ao das mães.

Ao término da celebração Frei Agotsinho Morosini, O.A.R. agradeceu o aceite do convite feito ao Padre Marconi em vir celebrar a festa de Nossa Senhora da Consolação.

No pátio da igreja, após a missa, foram abertas as barracas com brincadeiras e quitutes deliciosos, e com um show com o Grupo de Pagode Adoradores de Cristo.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





29/8: MARTÍRIO DE SÃO JOÃO BATISTA

Com satisfação lembramos a santidade de São João Batista que, pela sua vida e missão, foi consagrado por Jesus como o último e maior dos profetas: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João, o Batista…De fato , todos os profetas, bem como a lei, profetizaram até João. Se quiserdes compreender-me, ele é o Elias que deve voltar.” (Mt 11,11-14)
Filho de Zacarias e Isabel, João era primo de Jesus Cristo, a quem “precedeu” como um mensageiro de vida austera, segundo as regras dos nazarenos.
São João Batista, de altas virtudes e rigorosas penitências, anunciou o advento do Cristo e ao denunciar os vícios e injustiças deixou Deus conduzí-lo ao cumprimento da profecia do Anjo a seu respeito: “Pois ele será grande perante o Senhor; não beberá nem vinho, nem bebida fermentada, e será repleto do Espírito Santo desde o seio de sua mãe. Ele reconduzirá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus: e ele mesmo caminhará à sua frente…” ( Lc 1, 15)
São João Batista desejava que todos estivessem prontos para acolher o Mais Forte por isso, impelido pela missão profética, denunciou o pecado do governador da Galileia: Herodes, que escandalosamente tinha raptado Herodíades – sua cunhada – e com ela vivia como esposo.
Preso por Herodes Antipas em Maqueronte, na margem oriental do Mar Morto, aconteceu que a filha de Herodíades (Salomé) encantou o rei e recebeu o direito de pedir o que desejasse, sendo assim, proporcionou o martírio do santo, pois realizou a vontade de sua vingativa mãe: “Quero que me dês imediatamente num prato, a cabeça de João, o Batista” (Mc 6,25)
Desta forma, através do martírio, o Santo Precursor deu sua vida e recebeu em recompensa a Vida Eterna reservada àqueles que vivem com amor e fidelidade os mandamentos de Deus.
São João Batista, rogai por nós!
Fonte: Site da Canção Nova

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

TERCEIRO DIA DA NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No dia em que a Igreja celebra a memória litúrgica de Santo Agostinho de Hipona, bispo e doutor da Igreja, a Ordem dos Agostinianos Recoletos, como todos os filhos espirituais desse grandioso santo, celebra a sua Solenidade, por ser o fundador da Ordem e por ser o grande pensador dos tempos modernos.

A Celebração Eucarística deste terceiro dia da novena em preparação à Solenidade de Nossa Senhora da Consolação, foi presidida por Frei Ademildo Gomes, O.A.R. (Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Penha, cidade de Castelo (ES)) e concelebrada pelo Frei Enéias Berilli, O.A.R., Frei Didier Esperidião Neto, O.A.R. e pelo diácono transitório Frei Sérgio Sambl, O.A.R.

Agradecemos a presença do grupo de música SMAC da cidade de Muqui (ES), que vieram cantar a celebração.

Agradecemos a Sra. Ester Tibúrcio da Comunidade Eclesial de Base Imaculado Coração de Maria, do Bairro Vila Rica, por registrar esse belo momento da novena.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





28/8: SANTO AGOSTINHO, BISPO E DOUTOR DA IGREJA


A vida de Santo Agostinho (354-430) desenvolve-se numa época de crise, e transição. Desmoronava o império romano sob a pressão das invasões dos bárbaros. No dia 28 de agosto Hipona estava sitiada. Agostinho morria vivendo profundamente aquele drama de dor. Embora confiasse em Deus, não podia alhear-se aos sofrimentos de seu povo. 

Desde sua ordenação sacerdotal (391), mas sobretudo desde a ordenação episcopal (395), identificara-se com a causa de Deus no serviço da Igreja. Procurar a unidade eclesial foi sua grande preocupação. Fundou comunidades religiosas para viver em profundidade esta unidade e quis que elas fossem sinal e fermento desta unidade. 

Na expressão de São Possídio, Agostinho, depois de sua morte, permaneceu triunfalmente vivo nos livros que legou à posteridade. Seus restos conservam-se na igreja agostiniana de São Pedro, no «Ciel d'oro», de Pavia. 


Fonte: http://www.agustinosrecoletos.com/saints/index#sthash.0BLchHPk.dpuf

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

2º DIA DA NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No segundo dia da novena em preparação à Solenidade de Nossa Senhora da Consolação, a Celebração Eucarística foi presidida por Frei Didier Esperidião Neto, O.A.R. (Vigário Paroquial da Paróquia Santa Rita de Cássia da Arquidiocese Metropolitana de Vitória do Espírito Santo), e concelebrada pelo diácono transitório Frei Sérgio Sambl, O.A.R. e pelo diácono permanente José Carlos Zóboli.

Na homilia Frei Didier enfatizou a figura de Maria, mãe de Jesus, como modelo da humildade e daquela que soube esvaziar-se de si mesma para encher-se de Deus, e assim, fazer a vontade de dele.

Ainda em sua homilia, Frei Didier refletiu com os presentes sobre Santa Mônica, assim como Nossa Senhora, mulher forte, esposa e mãe, que procurou na vida de oração intensa, à conversão de sua família.

Ao término de sua reflexão, Frei Didier ensinou que os santos são aqueles que deixam, através de sua vida, refletir a luz de Jesus.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





CORRIDA UM GRITO PELA VIDA


Venha participar da corrida Um Grito Pela Vida, no dia 07 de setembro. O Evento marcará também a contagem regressiva para o Dia Nacional da Juventude (DNJ), que será celebrado na diocese de Cachoeiro de Itapemirim no dia 19 de outubro.

A corrida tem início previsto para às 08h, com concentração e largada, logo após a Celebração Pela Vida, em frente a Paróquia Nosso Senhor dos Passos, em Cachoeiro de Itapemirim. Quem não gosta de correr, também poderá participar do evento através da caminhada.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas nas secretarias paroquiais do Regional II* da diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Os participantes de outras localidades podem encontrar informações acerca da sua inscrição através do Setor Juventude da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, pelo telefone: (28) 2101 - 7609 ou pelo e-mail: setorjuventudedci@hotmail.com

O valor da inscrição é de 1 Kg de alimento não perecível.

* A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim é formada por 42 Paróquias, distribuídas por 8 Regionais. Veja quais são as Paróquias do Regional II através do link: http://www.diocesecachoeiro.org.br/2014/regional_02.asp

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

ALTO SOLIMÕES, NA AMAZÔNIA, GANHA MAIS UM BISPO


Cidade do Vaticano (RV) – Francisco nomeou nesta quarta-feira, 27, bispo coadjutor para a Diocese de Alto Solimões, no oeste do Estado do Amazonas. É o espanhol Pe. Adolfo Zon Pereira, xaveriano, Pároco de “Santa Rosa de Lima” em Abaetetuba (PA) e Ecônomo Regional dos Xaverianos do Norte do Brasil.

Dom Adolfo Zon Pereira tem 58 anos. Estudou filosofia, teologia e doutrina social na Espanha e em 1993 foi como missionário ao Brasil. Ele será coadjutor de Dom Alcimar Caldas Magalhães, OFM Cap., amazonense, que é bispo nesta diocese desde 1990.

A Prefeitura Apostólica de Alto Solimões foi erigida em 1910 pelo Papa Pio X, desmembrada da Diocese do Amazonas. Em 1950, o Papa Pio XII a elevou à categoria de Prelazia. Passou a ser Diocese em 1991, por decisão do Papa João Paulo II.

Desde a sua criação, Alto Solimões sempre esteve aos cuidados pastorais de membros da Ordem Franciscana Menor, Capuchinhos. 

A Sé Episcopal é a Catedral Santos Anjos da Guarda, em Tabatinga. Possui uma Co-Catedral, a de São Paulo Apóstolo, em São Paulo de Olivença, no Estado do Amazonas.

Em 2004, a diocese contava uma população aproximada de 169.000 habitantes, com 58% de católicos. Seu território é de 169.000 km², organizado em 8 paróquias.

PAPA: FOFOCA É PECADO!


Cidade do Vaticano (RV) – A audiência geral do Papa com os fiéis se realizou esta quarta-feira, 27, na Praça São Pedro, ao ar livre, sob um sol de verão e temperatura amena. Participaram do encontro, como sempre, grupos de vários países. Do Brasil, assinala-se a presença de peregrinos de Porto Alegre (RS) e de Santo André (SP).

Retomando o ciclo de catequeses sobre a Igreja, Francisco refletiu junto aos 12 mil presentes sobre a profissão de fé e o ‘Credo’, ressaltando a importância de sermos “artífices de paz e reconciliadores” em nossas comunidades.

A Igreja é una e santa – como professamos no Credo –, mas esta unidade e santidade não são obra nossa; elas vêm de Deus. Na verdade, Jesus, quando estava para oferecer a sua vida por nós, rezou ao Pai pela unidade da Igreja, pedindo que todos os seus discípulos vivessem unidos com a Santíssima Trindade e uns com os outros”, iniciou o Papa. 

A Igreja também é santa, pois è fundada em Jesus Cristo, animada pelo seu Espírito e repleta de seu amor e de sua salvação. Ao mesmo tempo, porém, é composta por pecadores, com suas fragilidades e misérias. Portanto, a fé que professamos deve nos levar à conversão, a termos a coragem de viver todos os dias a unidade e a santidade que provêm de Deus”.

Diz-se que os crentes da Igreja primitiva formavam “um só coração e uma só alma” e São Paulo não se cansava de lembrar aos fiéis das suas comunidades que todos são “um só corpo”. 

Entretanto – lembrou o Pontífice – a experiência mostra-nos que há tantos pecados contra a unidade; e não pensemos apenas nas heresias ou nos cismas, mas em faltas muito mais comuns, nos pecados “paroquiais”: com efeito, as nossas paróquias, chamadas a ser lugares de partilha e comunhão, infelizmente parecem marcadas por invejas, ciúmes, antipatias. Como se faz fofoca nas paróquias! Isto não è Igreja, não se faz! É verdade que isso é humano, mas não é cristão!”.

Falando diretamente aos fiéis, o Papa Francisco disse que “isto acontece quando almejamos o primeiro lugar; quando colocamo-nos no centro de tudo e com nossas ambições pessoais e nosso modo de ver as coisas, julgamos os outros; quando olhamos aos defeitos de nossos irmãos, ao invés de suas virtudes; quando damos mais peso ao que nos divide do que ao que nos une…”.

O Papa citou o exemplo de uma senhora que conheceu em uma diocese em que esteve no passado. Esta pessoa, que nunca falava mal de ninguém, “poderia ser canonizada amanhã”, disse, sorrindo. 

A divisão é um dos pecados mais graves numa comunidade cristã, porque a torna sinal, não da obra de Deus, mas da obra do diabo. O diabo é, por definição, aquele que divide, arruína as relações, insinua preconceitos e suspeitas; Deus, ao invés, quer que cresçamos na capacidade de nos acolhermos, perdoarmos e amarmos, para nos parecermos cada vez mais com Ele, que é comunhão e amor. Nisto está a santidade da Igreja: reconhecer-se feita à imagem de Deus, repleta da sua misericórdia e da sua graça”.

O Papa convidou todos, no final da catequese, a pedir sinceramente perdão por todas as vezes “em que criamos divisões ou incompreensões em nossas comunidades, bem sabendo que não existe comunhão sem uma contínua conversão”. 

Antes de conceder a benção apostólica, o Papa se dirigiu aos peregrinos cubanos, lembrando que quinta-feira, 28, será colocada nos Jardins do Vaticano uma imagem da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira da ilha. Francisco cumprimentou carinhosamente os fiéis presentes para esta ocasião, recomendando que levem sua benção a todos os cubanos. 

Enfim, dedicou algumas palavras à memória de Santa Mônica, mãe de Santo Agostinho, no dia de sua festa litúrgica: “Que seu amor pelo Senhor indique a vocês, jovens, a centralidade de Deus em sua vida; encoraje vocês, queridos doentes, a enfrentar com fé os momentos de sofrimento e incentive vocês, queridos noivos, a educar de modo cristão os filhos que o Senhor lhes doará”.

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/08/27/papa:_fofoca_%C3%A9_pecado!/bra-821866 do site da Rádio Vaticano 

27/8: SANTA MÔNICA


Nasceu em Tagaste (Argélia) em 331 de uma família de boa posição social e profundamente cristã. Casou-se, jovem ainda, com Patrício, que não era cristão. Patrício era um modesto proprietário de Tagaste e membro do conselho municipal. 

Mônica era uma mulher forte. De fé ardente, de firme esperança, de inteligência brilhante, sensível às exigências da convivência, assídua na oração e na meditação da Sagrada Escritura, encarna o modelo de esposa ideal e de mãe cristã. Graças a sua paciência e exemplo, Patrício abraça a fé. Consegue a conversão de Santo Agostinho, «o filho de tantas lágrimas». Exultante de alegria, está presente no seu batismo. 

Quando se preparava para voltar à África, morre em Óstia Tiberina (Roma), no mês de outubro provavelmente, antes do dia 13 de novembro de 387, aos 55 anos de idade. Alguns dias antes, mãe e filho tiveram a experiência do êxtase de Óstia. Nele chegaram a tocar por momento, num voo do coração a Sabedoria criadora de todas as coisas, lá deixando as primícias do espírito. 

Depois que a festa da Conversão de Santo Agostinho foi estabelecida em 1341 pelos agostinianos no dia 5 de maio, não tardou muito em fazer memoria de sua mãe Mônica no dia anterior, 4 de maio, pois não conhecemos o dia de sua morte. Com esse mesmo critério, o calendário romano de 1969 trasladou sua memoria ao dia 27 de agosto, matizando assim os laços que unem mãe e filho. Suas relíquias são veneradas na igreja de Santo Agostinho de Roma.


Fonte: http://www.agustinosrecoletos.com/saints/index#sthash.MAW1KRsa.dpuf

PARABÉNS FREI AGOSTINHO MOROSINI!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos recorda neste dia, 27 de agosto de 2014 - Festa litúrgica de Santa Mônica, mãe de Santo Agostinho, o aniversário natalício de 39 anos de Frei Agostinho Morosini, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse sacerdote e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Agostinho Morosini, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES). Também trabalhou como Vigário Paroquial na Paróquia São João Batista, na cidade de Muqui (ES).

terça-feira, 26 de agosto de 2014

PRIMEIRO DIA DA NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No primeiro dia da novena de Nossa Senhora da Consolação, a celebração eucarística foi presidida por Frei Agostinho Morosini, O.A.R. (pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação), com a igreja repleta de fiéis que vieram para participar desse primeiro dia de festa.

Frei Agostinho em sua homilia enfatizou que a vida em Cristo exige justiça, misericórdia e fidelidade, conforme o Evangelho, desta terça-feira da 21ª Semana do Tempo Comum, conforme Mateus 23,23-26. Não podemos nos ater em obras externas, para que os outros vejam, deixando de lado o essencial da Lei Divina. É necessário colocar em prática a justiça, reparando os erros, e não permitir que a injustiça prevaleça, nem reine, nem triunfe, em lugar algum.

A prática de misericórdia é o coração da lei divina, é o resumo e a essência do coração de Deus. E é movido por compaixão que o Senhor nos trata, não segundo as nossas faltas, mas conforme seu infinito amor e bondade por cada um de nós.

E a fidelidade. Ser fiel é dizer-se estar comprometido com a vida, com o coração. Ser fiel significa estar aplicado, mesmo que erre, a reparar seus próprios erros.

E Nossa Senhora foi essa figura que soube viver na justiça, na misericórdia e na fidelidade a Deus e ao próximo, que possamos nos espelhar em Maria e saber viver essas exigências evangélicas, conforme nos propõe o Evangelho.

Ao final da celebração da Santa Missa um grupo de crianças ofertaram flores à Nossa Senhora da Consolação.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





26/8: SANTOS LIBERATO, BONIFÁCIO E COMPANHEIROS, MÁRTIRES

Entre os mosteiros africanos que a Ordem considerou fundamentalmente de inspiração e vida agostinianas, tem especial importância, pelo martírio de seus religiosos, os de Gafsa, em Túnis. Após o edito do rei Hunerico, em 484, mandando entregar os mosteiros e seus moradores aos mouros, foram presos os sete membros deste mosteiro. Enfrentando as provações, foram martirizados em Cartago, dando grande exemplo de fortaleza na fé e de unidade fraterna. A celebração do ofício foi concedida à Ordem, a 6 de junho de 1671.

Fonte: http://www.agustinosrecoletos.com/saints/index#sthash.I3mVBuMj.dpuf

NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No período de 26 a 3 de setembro de 2014, acontece na Igreja Nossa Senhora da Consolação, a novena em preparação à Solenidade de Nossa Senhora da Consolação, padroeira paroquial e da Ordem dos Agostinianos Recoletos, a ser celebrada no dia 4 de setembro de 2014.

Venha e participe!


domingo, 24 de agosto de 2014

GRUPOS DE MÚSICA QUE IRÃO ANIMAR A NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO 2014


NOVENA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO


No período de 26 de agosto até 3 de setembro de 2014 acontece na Igreja Nossa Senhora da Consolação, Bairro Guandu, em Cachoeiro de Itapemirim (ES), a Novena em preparação à Solenidade de Nossa Senhora da Consolação, a ser celebrada no dia 4 de setembro de 2014.

Missas sempre às 19h e atrações ao final das celebrações.

Venha participar e se alegrar conosco!

FRANCISCO NO ÂNGELUS: "FÉ, RELAÇÃO DE AMOR E CONFIANÇA COM DEUS"


Cidade do Vaticano (RV) – Antes de rezar o Angelus com os milhares de fiéis, peregrinos e 
turistas reunidos na Praça São Pedro este domingo, 24, Francisco recordou que o Evangelho do XXI Domingo do Tempo ordinário apresenta o célebre trecho do relato de São Mateus em que Simão, em nome dos Doze, professa sua fé em Jesus como “o Cristo, o Filho de Deus vivo”. “Por isso, disse o Papa, Jesus chama Simão de “bem-aventurado”, pois reconhece em sua fé um dom especial do Pai, e lhe diz: “Tu é Pedro, e sobre ti construirei a minha Igreja”.

O Bispo de Roma explicou que Jesus atribui a Simão o nome “Pedro”, que na sua língua se diz “Kefas”, palavra que significa “pedra”; e recordou que na Bíblia, o termo “pedra” é referido a Deus. “Jesus não confere este nome a Simão por suas qualidades ou virtudes humanas, mas por sua fé genuína e firme, que também nós devemos ter”, esclareceu, completando: 

“Jesus sente uma grande alegria porque reconhece em Simão a mão do Pai e a ação do Espírito Santo que lhe deu uma fé “confiável”, sobre a qual o Senhor poderia edificar sua Igreja, ou seja, a sua comunidade".

O Papa disse ainda que o Senhor pensava na imagem de ‘construir’, tinha a comunidade como um edifício. Por esta razão, quando ouve a profissão de fé genuína de Simão, o chama ‘pedra’ e manifesta a intenção construir sua Igreja sobre esta fé. 

Este Evangelho interpela cada um de nós, porque quando o Senhor encontra em nosso coração uma fé – não digo perfeita – mas sincera e genuína, ele vê em nós pedras vivas, com as quais construir sua comunidade. Todo batizado é chamado a oferecer a Jesus a sua própria fé – pobre, mas sincera – para que Ele continue construindo a sua Igreja em todas as partes do mundo”, disse. 

O Pontífice comentou que em nossos dias, as pessoas pensam que Jesus é um grande profeta, um mestre de sabedoria, um modelo de justiça. E concluiu convidando todos a pensar na resposta que daríamos à pergunta: “Quem vocês pensam que eu sou?”.

sábado, 23 de agosto de 2014

REFLEXÃO PARA O 21º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO A


Cidade do Vaticano (RV) - Nesta liturgia do XXI domingo do tempo comum, se reflete sobre o tema do poder. De acordo com a leitura do profeta Isaías, aquele que usa do poder em seu próprio benefício e deixa o povo passar necessidades, deve ser destituído, pois não honra a confiança nele depositada por Deus. Isso é o que se entende com a deposição de Sobna, administrador do rei de Jerusalém, que deixa o povo na miséria e constrói para si um túmulo de alto luxo. Em seu lugar é empossado Eliacim, investido de poderes para abrir e fechar a Casa de Davi, ou seja, para que todos tenham vida.

Do mesmo modo, Jesus, estando com seus discípulos, dá a eles o poder de abrir e fechar as portas do Reino dos Céus. Todo e qualquer poder cristão é dado para servir, para dar vida ao Povo. Mas Jesus só entrega esse poder aos apóstolos depois de ser identificado por eles como Messias, como aquele que tem a missão de redimir. Portanto ter poder na Igreja , no mundo cristão, significa identificar-se com a missão de Jesus, daquele que lavou os pés de seus discípulos, daquele que disse ter vindo para servir e não ser servido, daquele que não tinha onde reclinar a cabeça.

O hino de louvor colocado por Paulo em sua Carta aos Romanos, nos fala da misericórdia de Deus, que supera nosso conhecimento, nossa justiça, sempre nos servindo, sejamos cristãos ou não.

Dentro da perspectiva cristã o poder deve acabar com o egocentrismo, com a imaturidade e despertar na pessoa generosidade, esquecimento de si e radical entrega à causa da vida.

Neste tempo, quando, no Brasil, nos preparamos para as próximas eleições, reflitamos sobre nosso poder de voto. Também ele deverá se fazer cumprir como serviço à vida. Vivo em um país democrático e tenho esse poder para desempenhá-lo com dignidade cristã, sendo temente a Deus, reconhecendo que o poder vem Dele para que seja concretizado em favor de seus filhos e não em favor de uma ideologia, de um partido, de um grupo de pessoas. Votar deverá ser não apenas um exercício de um poder democrático, mas um ato de religião, um ato de fé na Vida.

23/8: SANTA ROSA DE LIMA, PRIMEIRA SANTA DA AMÉRICA DO SUL

Para todos nós, hoje é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!”.
Rosa bem sabia dos elogios que a envaideciam, por isso buscava ser cada vez mais penitente e obedecer em tudo aos pais, desta forma, crescia na humildade e na intimidade com o amado Jesus. Quando o pai perdeu toda a fortuna, Rosa não se perturbou ao ter que trabalhar de doméstica, pois tinha esta certeza: “Se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena, porque a graça é fruto da paciência”.
A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena e, a partir desta consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria. Devido à ausência de convento no local em que vivia, Santa Rosa de Lima renunciou às inúmeras propostas de casamento e de vida fácil: “O prazer e a felicidade de que o mundo pode me oferecer são simplesmente uma sombra em comparação ao que sinto”.
Começou a viver a vida religiosa no fundo do quintal dos pais e, assim, na oração, penitência, caridade para com todos, principalmente índios e negros, Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo, tanto quanto no sofrimento, por isso, tempos antes de morrer, aos 31 anos (1617), exclamou: “Senhor, fazei-me sofrer, contanto que aumenteis meu amor para convosco”.
Foi canonizada a 12 de abril de 1671 pelo Papa Clemente X.
Santa Rosa de Lima, rogai por nós!
Fonte: Site Oficial da Canção Nova

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

CONGRESSO DIOCESANO DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

No período de 22 a 24 de agosto, no Ginásio da AABB, no Bairro BNH, em Cachoeiro de Itapemirim, acontecerá o Congresso Diocesano da Renovação Carismática Católica.


ENCONTRO PARA CASAIS EM SEGUNDA UNIÃO

Nos dias 23 e 24 de agosto de 2014, sábado e domingo, respectivamente, às 16h, na Escola Estadual "Quintiliano de Azevedo", Bairro Santo Antônio, a Pastoral Familiar da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, específica do Setor Casos Especiais, convida aos casais em segunda união para o 1º Encontro do Bom Pastor.

Maiores informações pelo telefone: 28 3522-6607 (falar com Dalvana ou Marta).

22/8: MISSA VOTIVA DE SANTA RITA DE CÁSSIA

Acontece neste dia 22 de agosto de 2014, às 19h, na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação, a Missa votiva de Santa Rita  de Cássia, com a bênção das rosas e pétalas de rosas, que cada fiel deve levar para serem abençoadas.

As Obras Sociais de Santa Rita de Cássia precisam de doações de fraldas geriátricas, tamanho G. Essas doações podem ser entregues no ofertório da missa ou serem entregues na secretaria paroquial.

Venha participar!

22/8: NOSSA SENHORA RAINHA

Instituída pelo Papa Pio XII, celebramos hoje a Memória de Nossa Senhora Rainha, que visa louvar o Filho, pois já dizia o Cardeal Suenens: “Toda devoção a Maria termina em Jesus, tal como o rio que se lança ao mar”.
Paralela ao reconhecimento do Cristo Rei encontramos a realeza da Virgem a qual foi Assunta ao Céu. Mãe da Cabeça, dos membros do Corpo místico e Mãe da Igreja; Nossa Senhora é aquela que do Céu reina sobre as almas cristãs, a fim de que haja a salvação: “É impossível que se perca quem se dirige com confiança a Maria e a quem Ela acolher” (Santo Anselmo).
Nossa Senhora Rainha, desde a Encarnação do Filho de Deus, buscou participar dos Mistérios de sua vida como discípula, porém sem nunca renunciar sua maternidade divina, por isso o evangelista São Lucas a identifica entre os primeiros cristãos: “Maria, a mãe de Jesus” (Atos 1,14). Diante desta doce realidade de se ter uma Rainha no Céu que influencia a Terra, podemos com toda a Igreja saudá-la: “Salve Rainha” e repetir com o Papa Pio XII que instituiu e escreveu a Carta Encíclica Ad Caeli Reginam (à Rainha do Céu): “A Jesus por Maria. Não há outro caminho”.
Nossa Senhora Rainha, rogai por nós!
Fonte: Site da Canção Nova

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

AS MODERNAS ESCRAVATURAS SERÃO TEMA DO DIA MUNDIAL DA PAZ


Cidade do Vaticano (RV) – “Não mais escravos, mas irmãos”. Este é o título da Mensagem para o 48º Dia Mundial da Paz, a segunda escrita pelo Papa Francisco. Na manhã de quinta-feira, 21, o Pontifício Conselho da Justiça e da Paz divulgou o título e a seguinte comunicação:

Julga-se habitualmente que a escravatura seja um fato do passado. No entanto, esta praga social continua muito presente no mundo atual. A Mensagem para o 1º de Janeiro de 2014 era dedicada à fraternidade: “Fraternidade, fundamento e caminho para a paz”. De fato, uma vez que todos são filhos de Deus, os seres humanos são irmãos e irmãs com igual dignidade.

A escravatura representa um golpe de morte para a fraternidade universal e, por conseguinte, para a paz. Na verdade, a paz existe quando o ser humano reconhece no outro um irmão ou irmã com a mesma dignidade.

Persistem no mundo múltiplas formas abomináveis de escravatura: o tráfico de seres humanos, o comércio dos migrantes e da prostituição, o trabalho-escravo, a exploração do ser humano pelo ser humano, a mentalidade escravagista para com as mulheres e as crianças.

Há indivíduos e grupos que se aproveitam vergonhosamente desta escravatura, tirando partido dos muitos conflitos desencadeados no mundo, do contexto de crise econômica e da corrupção.

A escravatura é uma terrível ferida aberta no corpo da sociedade contemporânea, é uma chaga gravíssima na carne de Cristo! Para combatê-la eficazmente, deve-se reconhecer acima de tudo a inviolável dignidade de cada pessoa. Além disso, importa ancorar firmemente esse reconhecimento na fraternidade, que exige a superação de todas as desigualdades, as quais permitem que uma pessoa escravize outra.

É-nos ainda pedido que o nosso agir seja próximo e gratuito para promover a libertação e inclusão para todos. O objetivo a alcançar é a construção de uma civilização fundada sobre a igual dignidade de todos os seres humanos, sem qualquer discriminação. Para isso, é necessário o compromisso da informação, da educação, da cultura em favor de uma sociedade renovada e que se assinale pela liberdade, pela justiça e, logo, pela paz.
O Dia Mundial da Paz resultou da vontade de Paulo VI e é celebrado todos os anos no primeiro dia de janeiro. A Mensagem do Papa é enviada aos Ministros dos Negócios Estrangeiros de todo o mundo e indica também a linha diplomática da Santa Sé para o ano que se inicia.

NOTA DE PESAR


A Paróquia Nossa Senhora da Consolação externa seu pesar pelo falecimento do Deputado Estadual Glauber Coelho, ocorrido às 15h, do dia 20 de agosto de 2014, e confirmado pelo Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim.

Rogamos ao Senhor da Vida que dê a seus familiares, amigos, conhecidos e admiradores o consolo necessário.

O nosso Deus é o Senhor da Vida e não da morte.

21/8: SÃO PIO X, PAPA

Celebramos hoje um Papa que mereceu ser reconhecido por santo, embora na humildade típica das almas abençoadas, José Sarto respondia àqueles que o chamavam de santo: “Não santo, mas Sarto”.
Nascido em 1835 ao norte da Itália e de família muito simples e religiosa, o pequeno José, com muito esforço e sacrifício conseguiu – com o apoio dos pais – estudar e entrar para o Seminário. Com sua permanente autodefinição: “um pobre vigário da roça”, José Sarto percorreu com simplicidade o caminho que o Espírito Santo traçou da responsabilidade de vigário de uma pequena aldeia até o Papado.
Tomando o nome de Pio X, chamava a atenção pela modéstia e pobreza que o possibilitava à vivência da sua idéia-força: “Restaurar todas as coisas em Cristo”. São Pio X foi Papa de 1903 a 1914. Ocupado com a pastoral, São Pio X realizou reformas na liturgia, favoreceu a comunhão diária e a comunhão das crianças, sendo que no campo doutrinal rebateu por amor à Verdade o relativismo moderno.
Sorridente, pai e pastor, São Pio X entrou no Céu com 79 anos, deixando para a Igreja o seu testemunho de pobreza, pois conta-se o fato, tomou dinheiro emprestado para comprar as passagens de ida e volta rumo ao conclave que o teria escolhido Papa, pois não acreditava num erro do Espírito Santo.
Foi São Pio X responsável por inscrever a Ordem dos Agostinianos Recoletos no catálogo das ordens religiosas, em 16 de setembro de 1912.
São Pio X, rogai por nós!

Fonte: Site da Canção Nova

terça-feira, 19 de agosto de 2014

INÍCIO DA NOVENA DA FESTA DE NOSSO PAI SANTO AGOSTINHO

A Comunidade Eclesial de Base Santo Agostinho, no Bairro Vila Rica, Paróquia Nossa Senhora da Consolação, inicia no dia 19 de agosto de 2014, o novenário em preparação à Festa de Santo Agostinho, padroeiro daquela Comunidade Eclesial e fundador da Ordem dos Agostinianos Recoletos

19/8: SANTO EZEQUIEL MORENO, PROTETOR DOS SOFREDORES DE CÂNCER

Nasceu em Alfaro (Logronho, Espanha), no dia 9 de abril de 1848. Aos dezessete anos, no dia 22 de setembro de 1865, emitiu a profissão religiosa na Ordem dos Agostinianos Recoletos e foi ordenado sacerdote em Manila a 3 de junho de 1871. Os primeiros quinze anos sacerdotais, cheios de ardente zelo apostólico, transcorreram nas Filipinas. 

De 1888 até pouco antes de sua morte, dedicou sua multiforme atividade à Colômbia. Restaurou a Província da Candelária, deu início a uma nova fase missionária, foi o primeiro Vigário Apostólico de Casanare e desde 1896 Bispo de Pasto. 

Uniu uma caridade sempre disponível a uma grande fortaleza de ânimo, mormente quando se tratava dos interesses de Cristo e da Igreja. 

Foi grande devoto do Sagrado Coração e mostrou sempre um intenso amor a Ordem. Morreu no convento de Monteagudo (Navarra, Espanha), onde professara e onde fora prior, a 19 de agosto de 1906, e em uma nova capela da Igreja se segui venerando suas relíquias.


Foi beatificado por Paulo VI no dia 1° de novembro de 1975. Canonizado por João Paulo II em 11 de outubro de 1992, em Santo Domingo, República Dominicana, no V Centenário da Evangelização da América, durante a IV Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano. 

É denominado o santo da nova evangelização.

Fonte: http://www.agustinosrecoletos.com/saints/index#sthash.tJjBqbqe.dpuf

domingo, 17 de agosto de 2014

ASSEMBLEIA PAROQUIAL: A COMUNIDADE DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS

No dia em que a Igreja no Brasil celebra a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, tradicionalmente celebrada no dia 15 de agosto, mas para melhor participação do Povo de Deus nas celebrações é transferida no Brasil para o domingo seguinte, aconteceu a Assembleia Paroquial de Pastoral da Paróquia Nossa Senhora da Consolação.

A Assembleia Paroquial de Pastoral foi iluminada pelo tema: "A Comunidade dos Discípulos Missionários" e com o lema: "Eles se mostravam assíduos aos ensinamentos dos apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações", conforme Atos dos Apóstolos 2,42.

A Assembleia Paroquial de Pastoral foi iniciada com a Celebração Eucarística, presidida pelo Pároco Frei Agostinho Morosini, O.A.R. auxiliado pelo Diácono Transitório Frei Sérgio Sambl, O.A.R. e dos Diáconos Permanentes: Ary de Paula Nascimento, José Carlos Zóboli e Sérgio Ricardo Sechin Ribeiro.

A parte da manhã, após a Santa Missa, foi dedicada à espiritualidade, sendo trabalhada por Frei Sérgio Sambl, O.A.R, com comentários de Santo Agostinho sobre as vertentes trabalhadas nas assembleias comunitárias de pastoral.

O período vespertino foi dedicado ao trabalho de grupos, após foram realizadas as plenárias, o critério de trabalho utilizado nos grupos foram: Ver, Jugar e o Agir.

Os temas apontados pelos delegados na Assembleia Paroquial de Pastoral foram: a acolhida, os círculos bíblicos, catequese e a missão.

Cercam de 100 (cem) pessoas participaram da Assembleia Paroquial de Pastoral, com todas as comunidades eclesiais de base representadas.

Agradecemos a todos os que trabalharam para o êxito dessa Assembleia Paroquial: pároco e os coadjutores, diácono transitório, diáconos permanentes, secretárias, coordenadora paroquial de pastoral, coordenadores dos conselhos de pastoral comunitários, coordenadores paroquiais das pastorais e movimentos, agentes de pastorais e as meninas da cantina, quem fizeram um delicioso almoço.

Nossa Senhora da Consolação abençoe a todos!

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao