terça-feira, 30 de abril de 2013

VINDE ESPÍRITO SANTO!

Na noite do dia 30 de abril de 2013, no Santuário de Nossa Senhora da Consolação, cidade de Cachoeiro de Itapemirim, aconteceu a Celebração Eucarística, presidida pelo bispo diocesano Dom Frei Dario Campos, ofm e concelebrada por Frei Domingos Sérgio Gusson, oar (pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação), Frei Enéas Berilli, oar (Vigário Paroquial) e pelos Diáconos permanentes Sérgio Sechin e José Carlos Zóboli, na qual foi administrado a 96 (noventa e seis) jovens de 08 (oito) Comunidades Eclesiais da Paróquia o Sacramento do Crisma.
 
Num clima de muita oração e alegria, Dom Dario acolheu a todo presentes à Celebração e conduziu momentos de reflexão em que levou o Povo de Deus presente no Santuário Mariano a refletir sobre a paz entre os homens (nas relações, a fim de produzir a unidade); a importância da presença dos padrinhos e madrinhas na vida de seus afilhados, bem como a preciosidade de abençoar os afilhados; lembrou aos jovens que todos nós somos irmãos, pois o Cristo derramou o sangue na Cruz por cada um, portanto todos são filhos de Deus e, por fim, pediu aos jovens a não darem sossego ao Divino Espírito Santo.
 
O rito do Crisma foi ministrado pelo bispo diocesano, auxiliado pelo pároco e vigário paroquial.

Mais fotos dessa celebração no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao

Dons do Espírito Santo


Altar-Mor do Santuário de Nossa Senhora da Consolação


Diácono Sérgio e Dom Dario


A bela imagem de Nossa Senhora da Consolação


 
 
 

BENTO XVI VOLTARÁ PARA O VATICANO NO DIA 02 DE MAIO

Cidade do Vaticano (RV) - Nesta quinta-feira, 02 de maio, o Papa emérito Bento XVI voltará para o Vaticano, onde habitará, como anunciado, no convento Mater Ecclesiae.

O retorno do Papa emérito se dará de helicóptero em torno das 16h30-17h locais, partindo da residência pontifícia de Castel Gandolfo, onde Bento XVI residiu nos últimos dois meses.

A notícia foi confirmada aos meios de comunicação pelo diretor da Salta de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi. Respondendo aos jornalistas que queriam saber sobre a saúde de Bento XVI, o porta-voz vaticano afirmou: "É um homem ancião, debilitado pela idade, mas não tem nenhuma doença".


Fonte: Texto proveniente da página
http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/30/bento_xvi_voltará_para_o_vaticano_na_próxima_quinta-feira/bra-687753 do site da Rádio Vaticano

"REZAR PELA IGREJA PARA QUE FORTALEÇA O ANÚNCIO DO EVANGELHO", PEDE FRANCISCO

Cidade do Vaticano (RV) – “Quando a Igreja se torna mundana, se torna fraca.” Em síntese, foi o que disse o Papa Francisco na homilia pronunciada esta manhã durante a Missa celebrada na Capela da Casa Marta, na presença de alguns funcionários da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica.

O Papa destacou o ato de entrega da Igreja ao Senhor, exortando todos à oração.

“Nós rezamos pela Igreja, mas por toda a Igreja? Pelos nossos irmãos que não conhecemos em todo o mundo? É a Igreja do Senhor e nós, na nossa oração, dizemos ao Senhor: Senhor, protege a tua Igreja... Ela é Tua. A tua Igreja são os nossos irmãos. Esta é uma oração que nós devemos fazer do coração, sempre mais ".

É fácil rezar para pedir uma graça ao Senhor, para agradecer-Lhe ou quando precisamos de algo, disse o Papa. Todavia, é fundamental rezar por todos:

"Confiar a Igreja ao Senhor é uma oração que a faz crescer. É também um ato de fé. Nós não temos poder, somos pobres servidores – todos – da Igreja. Ele pode levá-la adiante, protegê-la e fazê-la crescer, defendê-la de quem quer que a Igreja se torne mundana. Este é o maior perigo! Quando a Igreja se torna mundana, quando tem dentro de si o espírito do mundo, quando tem aquela paz que não é a do Senhor, ela é fraca, é uma Igreja que será derrotada e será incapaz de levar o Evangelho, a mensagem da Cruz, o escândalo da Cruz... Não pode levá-lo adiante se é mundana."

Por isso, é importante entregar-se ao Senhor, confiar a Ele a Sua Igreja, os idosos, os doentes, as crianças, os jovens… Confiar a Igreja que passa por tribulações, como as perseguições, por exemplo. Mas há também pequenas tribulações: como as doenças ou os problemas familiares. Devemos entregar tudo isso ao Senhor, para não perder a fé e a esperança.

"Fazer esta oração de entrega pela Igreja – concluiu – nos fará bem e fará bem à Igreja. Dará grande paz a nós e grande paz a Ela, não nos tirará das tribulações, mas nos fará forte nas tribulações."

Fonte: Texto proveniente da página
http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/30/rezar_pela_igreja_para_que_fortaleça_o_anúncio_do_evangelho,_ped/bra-687650 do site da Rádio Vaticano

segunda-feira, 29 de abril de 2013

CELEBRAÇÃO DO SACRAMENTO DA CRISMA

No próximo dia 30 de abril de 2013, terça-feira, às 19:00 horas, no Santuário de Nossa Senhora da Consolação será celebrada a Eucaristia, presidida pelo bispo diocesano Dom Frei Dario Campos, ofm, na qual será administrado o Sacramento do Crisma acerca de 96 (noventa e seis) jovens das diversas comunidades eclesiais que formam a Paróquia Nossa Senhora da Consolação.

Rezemos por esses jovens que perante a Deus confirmam sua fé.

sábado, 27 de abril de 2013

REFLEXÃO PARA O V DOMINGO DA PÁSCOA

Cidade do Vaticano (RV) - O Evangelho de hoje é surpreendente enquanto nos diz que o modo de ser de Jesus é diferente do modo de ser dos homens: é claro que já o sabemos, mas não nos acostumamos com isso.

Na história antiga, a vitória dos reis, dos generais, se manifestava na opressão sobre os vencidos. A entrada triunfal dos generais romanos, de Júlio César, por exemplo, e também dos de outros povos era a expressão maior da opressão. À frente de sua pessoa, no desfile, eram levados os troféus, objetos de valor, animais, tudo pilhado no butim. Mais horripilante era que no conjunto desses despojos estavam seres humanos, homens, mulheres, crianças, reis, príncipes, pessoas comuns, todos sendo arrastados como objetos a serem vendidos como escravos. A glória do comandante, a vitória do povo estava alicerçada na desgraça, na infame humilhação, no sangue, na morte de um povo.

Com Jesus é o contrário. Nos versículos 31 e 32 do Evangelho de hoje, nos fala que sua morte é sua glorificação e é na cruz que ele demonstrará seu amor por todos nós. Mais ainda, isso é dito após ele ter lavado os pés dos discípulos, de todos, inclusive de Judas que o irá trair. O Senhor não usa de retaliação para com Judas, ao contrário, lhe oferece mais uma oportunidade de se deixar tocar pelo amor.

Aproveitemos o momento e façamos uma reflexão sobre nosso testemunho de Jesus.

Como procedemos? Qual nossa visão de sucesso, de êxito? A quem parabenizamos? A quem é rico, inteligente, bonito, culto? A quem prontamente nos colocamos à disposição? Somente a quem tem algo a nos dar em troca?

Qual nossa relação para com os pobres, os velhos, os doentes, os aleijados, os marginalizados pela sociedade?

O Senhor termina o Evangelho de hoje dizendo: “Nisso todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros”.

Jesus nos propõe um modo de ser para criar o mundo novo, de amor, de respeito, de serviço.

A segunda leitura, tirada do livro do Apocalipse, que fala de um novo céu e uma nova terra, está falando exatamente dessa nova civilização onde uma nova ordem social é instaurada, a ordem do amor, da fraternidade. Por isso, “a morte não existirá mais”, não haverá mais violência, nem tripudiação do mais forte sobre o mais fraco, mas será a vitória da misericórdia. Então ouviremos: “Eis que faço novas todas as coisas”! Sejamos esses homens e mulheres novos, construtores de uma nova sociedade alicerçada no amor.

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/27/reflexão_para_o_v_domingo_pascal/bra-686862 do site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 26 de abril de 2013

NOVAS COORDENAÇÕES NA DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, através do bispo diocesano Dom Frei Dario Campos, ofm, anuncia os  novos coordenadores no Departamento Diocesano de Comunicação e na Comissão Diocesana para Arte Sacra.

Para o Departamento de Comunicação o novo coordenador é o Pe. Thiago da Silva Vagas, pároco da Paróquia São Filipe, Aeroporto - Cachoeiro de Itapemirim, que assume a coordenação após a saída do Pe. Juliano Ribeiro, que neste ano foi para Boston, E.U.A, para estudar Antropologia e Comunicação.

Já na coordenação da Comissão Diocesana para a Arte Sacra o novo coordenador é o Pe. Walter Luiz Barbiero M. Altoé, pároco da Paróquia Sagrada Família, Soturno - Distrito de Cachoeiro de Itapemirim.

Pe. Walter assume a coordenação após saída do Monsenhor Dalton Menezes Penedo, transferido para a função de
Vigário Paroquial da Paróquia de Divino Espírito Santo, na cidade de Muniz Freire -ES e Vigário Paroquial da Paróquia São João Batista no Distrito de Jaciguá, na cidade de Vargem Alta - ES.
A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim agradece aos antigos coordenadores, Pe. Juliano Ribeiro e Monsenhor Dalton Penedo pelos serviços prestados e deseja sucesso para os novos coordenadores, Pe. Thiago da Silva Varga e Pe. Walter Luiz.
 
Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

MISSA DO TRABALHADOR

No próximo dia 01 de maio de 2013 é comemorado o Dia do Trabalho e, também, a festa litúrgica de São José Operário, sendo feriado em todo território nacional, a fim de celebrar o dia do trabalho e as atividades de cada trabalhador para fazer um país próspero e o povo feliz.

Nesse dia as paróquias que compõem o Regional II da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim (paróquias da Cidade de Cachoeiro de Itapemirim e Atílio Vivácqua) celebrarão a Eucaristia, às 09:00 horas, na Catedral de São Pedro Apóstolo.

Você trabalhador e aqueles que estão a procura de trabalho são convidados a trazerem sua carteira de trabalho para serem abençoadas.

Então, dia 01º de maio, às 09:00 horas, quarta-feira, na Catedral de São Pedro Apóstolo em Cachoeiro de Itapemirim, acontece a Missa do Trabalhador.

Venha e participe!

CNBB CRIA NOVO REGIONAL PARA TOCANTINS

Brasília (RV) - A 51ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), aprovou em votação secreta, no dia 17 de abril, a criação do seu 18º Regional que corresponde ao território do Estado do Tocantins e parte de Goiás.

O Regional Norte 3 da CNBB é composto pela arquidiocese de Palmas, dioceses de Porto Nacional, Tocantinópolis e Miracema e pela prelazia de Cristalândia. Possui 178 paróquias, 183 padres diocesanos, 30 religiosos, 33 diáconos permanentes, 101 religiosas, 15 comunidades de Vidas e centenas de leigos e leigas, membros das pastorais, dos movimentos, dos organismos e dos serviços eclesiais. Possui ainda um Seminário com 45 seminaristas, de Filosofia e de Teologia, e um Tribunal Eclesiástico.

Dom Pedro Brito Guimarães, Arcebispo de Palmas (TO) e um dos responsáveis pela proposta esclarece que, “um Regional não é uma super diocese, mas uma instância de colegialidade e de colaboração pastoral. Não possui uma estrutura de poder e sim a de organismo
vivo de comunhão e de serviço pastoral. A missão de um Regional é o cuidado pastoral de uma determinada região, através da interajuda missionária entre os bispos das dioceses, de modo que o povo esteja mais próximo da Igreja e a Igreja mais próxima do povo”, explica

O território do novo Regional é constituído pelo Estado do Tocantins, com a extensão de 277.620,858 Km², e formado por 139 municípios do Tocantins e mais sete municípios do Estado de Goiás, totalizando uma população de aproximadamente 1.500.453 habitantes.


Os motivos que levaram os bispos do Centro Oeste (Goiás, Distrito Federal e Tocantins) a solicitar a criação do Regional Norte 3 foram as distâncias físicas, geográficas e pastorais entre Palmas, Goiânia (1.520 km) e Brasília (1.247 km), o que tornava onerosa as reuniões e
encontros de formação inviabilizando a participação, sobretudo dos leigos. Outro motivo é a necessidade de setorização para diminuir as distâncias e aumentar a presença nas periferias e pastorais.

Com isso os bispos esperam intensificar a colegialidade, a ajuda recíproca e solidária, bem como a corresponsabilidade missionária entre suas Igrejas, conforme destaca dom Pedro Brito. “Nascido com a vocação de ser pequeno e pobre, o Regional Norte 3 se regerá pela ótica da leveza institucional com estruturas simples, enxuta e mínima, para o seu funcionamento, e se manterá economicamente pelas receitas oriundas das contribuições das dioceses componentes”. (CNBB-CM)

Fonte: Texto proveniente da página: http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/26/cnbb_cria_novo_regional_para_tocantins/bra-686542 do site da Rádio Vaticano

quarta-feira, 24 de abril de 2013

SEMINÁRIO TEMÁTICO

A Escola de Teologia Pastoral "Santo Agostinho" da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, convida a você e demais pessoas interessadas a participar do Seminário Temático sobre a Espiritualidade Agostiniana, no dia 29 de abril de 2013, segunda-feira, a partir das 19h30min, no salão da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Consolação, maiores informações pelo telefone: (28) 3522-6607 (falar com Dalvana ou Marta).

24 DE ABRIL - CONVERSÃO DE NOSSO PAI SANTO AGOSTINHO

Quadro "A sofrida conversão de Santo Agostinho", de Fra Angelico, Museu Thomas Henry
«Tarde de amei, beleza sempre antiga e sempre nova, tarde te amei»
(Confissões 10, 27, 38).

Com este grito de seu coração expressa Santo Agostinho seu pesar por ter gastado tantos anos de sua vida com coisas vãs. A conversão foi para ele a chegada ao porto depois de um laborioso e longo navegar pelo oceano da dúvida, da incerteza e da incoerência. Com a conversão se encontra a si mesmo e ao mesmo tempo encontra a alegria de viver, experimenta o amor no abraço misericordioso do Pai e começa a ver a Igreja como mãe de salvação e modelo de vida.

Durante a vigília pascal do ano 387, na noite do dia 24 para 25 de abril, Agostinho e seus amigos foram batizados em Milão por Santo Ambrósio, bispo da cidade: «Fomos batizados e se desvaneceu de nós toda iniqüidade pela vida passada» (Conf. 9, 6, 14).
A festa da conversão de Santo Agostinho celebra-se na Orden Agostiniana praticamente desde o ano 1341, no día 5 de maio, que decidio elegir o día anterior para celebrar a festa de Santa Mônica. Desde 14 de junho de 1928 celebra-se a conversão no dia 24 de abril.

Fonte: Site Oficial da Ordem dos Agostinianos Recoletos

RIBEIRÃO PRETO E SANTO ÂNGELO TÊM NOVOS BISPOS

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta quarta-feira, o Papa Francisco fez duas nomeações para o Brasil.
Dom Moacir Silva - novo Arcebispo de Ribeirão Preto
O Santo Padre nomeou o novo Arcebispo da Arquidiocese de Ribeirão Preto: Dom Moacir Silva, que será transferido da
Diocese de São José dos Campos (SP). Dom Moacir é Vice-Presidente da Conferência Episcopal Regional do Estado de São Paulo.
Dom Liro Vendelino Meurer - novo bispo da Diocese de Santo Ângelo (RS)

A outra nomeação se refere à Diocese de Santo Ângelo (RS). Francisco aceitou a renúncia ao governo pastoral apresentada por Dom José Clemente Weber, por motivos de idade, e nomeou Bispo de Santo Ângelo Dom Liro Vendelino Meurer, até então Auxiliar de Passo Fundo (RS).



Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/24/ribeirão_preto_e_santo_ãngelo_têm_novos_bispos/bra-685927 do site da Rádio Vaticano

terça-feira, 23 de abril de 2013

MÉDICOS DO VATICANO APROVAM O SEGUNDO MILAGRE DE JOÃO PAULO II

O processo de canonização do Papa João Paulo II está procedendo a passos largos e já se fala que ele poderá ser proclamado santo no próximo mês de outubro. Na semana passada, a consulta dos médicos da Congregação das Causas dos Santos reconheceu como inexplicável uma cura de uma mulher atribuída ao bem-aventurado João Paulo II.
 
O possível milagre deverá ser aprovado também pela comissão de teólogos e cardeais, levando o papa polonês a ser reconhecido santo em tempo recorde, em apenas oito anos desde sua morte.

O processo é realizado em discrição. Em janeiro deste ano, o postulador da causa, monsenhor. Slawomir Oder, apresentou para um parecer preliminar uma cura milagrosa à Congregação vaticana dos Santos. Dois médicos da consulta vaticana examinaram previamente este novo caso, dando ambos um parecer favorável. Então toda a prática foi apresentada oficialmente ao dicastério, que o inseriu imediatamente na agenda dos trabalhos.

Na semana passada, houve debate de uma comissão de sete médicos e o parecer foi favorável. É evidente a vontade da Congregação para as Causas dos Santos, que tem o aval também de papa Francisco, em terminar todo o processo com a canonização do papa polonês.

Em maio, será realizada a congregação dos teólogos e dos cardeais da Congregação para as Causas dos santos e, em junho, o Consistório ordinário com a aprovação do papa.


Fonte: Site Canção Nova

 

FRANCISCO: "A IGREJA É MÃE DE TODOS, CADA VEZ MAIS"

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco celebrou missa na Capela Paulina com todos os cardeais presentes em Roma, por ocasião do seu onomástico, São Jorge.

Estavam também na Capela o Secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone, e o Cardeal-decano, Angelo Sodano, que leu um discurso de parabéns ao Bispo de Roma em nome de todos. Em resposta, Francisco agradeceu por se sentir bem acolhido: “Obrigado, me sinto bem com vocês e gosto disso” – disse.

Recordando a data, o Cardeal Sodano invocou para o Papa e os cardeais “o dom da força cristã, o mesmo que teve São Jorge quando deixou o uniforme militar para vestir o uniforme da fé”.

Na homilia, Francisco lembrou que a identidade cristã não é uma carteira de identidade, mas pertence à Igreja. “É uma dicotomia absurda querer amar Jesus sem a Igreja: identidade significa pertença”. Improvisando, o Papa prosseguiu afirmando que “se não formos cordeiros de Jesus, nossa fé não terá substância”.

Em seguida, invocou o “fervor apostólico”, recordando que é sempre necessário pensar na missionariedade da Igreja, na mãe Igreja que cresce com novos filhos. A este respeito, disse que o a vida cristã e a vida da Igreja caminham sempre das “perseguições do mundo às consolações do Senhor”.

“Se quisermos proceder no caminho da mundanidade, negociando com o mundo como os Macabeus queriam fazer, jamais teremos a consolação do Senhor. Claro, se quisermos apenas a consolação, será superficial, e não a do Senhor”.

Ao descobrir a sua dimensão missionária, a primeira comunidade cristã conheceu a perseguição, mas também a alegria. “A Igreja, assim, é mais Mãe; Mãe de muitos filhos. Torna-se cada vez Mãe, Mãe que nos dá a fé, Mãe que nos dá a identidade”.

Ainda esta manhã, Papa Francisco publicou um novo tuíte dedicado à Mãe de Jesus: “Maria é a mulher do «Sim». Maria, fazei-nos conhecer cada vez melhor a voz de Jesus e ajudai-nos a segui-la!”.

A conta do Pontífice no Tweeter, em português, é https://twitter.com/Pontifex_pt.

Fonte: proveniente da página
http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/23/francisco:_a_igreja_é_mãe_de_todos,_cada_vez_mais/bra-685557 do site da Rádio Vaticano

sábado, 20 de abril de 2013

REFLEXÃO PARA O 4º DOMINGO DA PÁSCOA: O BOM PASTOR

Cidade do Vaticano (RV) - Celebramos hoje, como em todo IV Domingo Pascal, o Dia do Bom Pastor! A dimensão dada ao título “pastor” neste domingo, não é a de um homem manso e carinhoso em relação a cada uma das ovelhas de seu rebanho, mas a de um enérgico pastor que toma conta e luta pelo rebanho.

A salvação das ovelhas está assegurada pela determinação do pastor que diz “ninguém vai arrancá-las de minha mão.” Nada que fizermos conseguirá nos separar de Deus! Essa é uma incomensurável boa nova! E o Senhor acrescenta: “ninguém pode arrebatá-las da mão do Pai.” Somos de Deus e pronto!

Cristo é o Pastor que deu vida pelo rebanho, formado por pessoas que praticam o bem, que dão a vida pelos irmãos, como Jesus. Só pode dar a vida quem crê na ressurreição, quem já vive como ressuscitado. Seu dom supera a morte!

Aí está o sinal da vocação, viver neste mundo sem deixar-se apegar ao mal, ouvindo o chamado para fazer o bem! “As minhas ovelhas escutam a minha voz”, a voz do bem, do ressuscitado, do livre! Somo chamados ao rebanho de Cristo se nossa vida é fazer o bem!

Jesus e o Pai constituem uma unidade: “Eu e o Pai somos um”. Criticar e rejeitar Jesus, é criticar e rejeitar o Pai. É necessário que nos tornemos um com Cristo. Nossos valores, nossos projetos, nossos desejos deverão ser os de Cristo. Recordemos nossas renúncias e nossa profissão de fé realizadas no batismo. Foi nossa rejeição ao pecado, à morte, e nosso sim a Deus, à Vida.

A força de Jesus é transmitida aos que recebem sua vida, o sopro de seu Espírito. Por isso o mundo não pode arrebatar aqueles que são de Jesus, que são do Pai.

Peçamos ao Pai do Senhor Jesus, o Bom Pastor, que nos fortifique, que nos solidifique na vocação à vida e na resposta dada através de nosso batismo. Digamos a oração da missa de hoje: “Deus eterno e todo-poderoso, conduzi-nos à comunhão das alegrias celestes, para que o rebanho possa atingir, apesar de sua fraqueza, a fortaleza do Pastor.”
Pe. César Augusto dos Santos
Fonte: Texto proveniente da página: http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/20/reflexão:_o_bom_pastor/bra-684720 do site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 19 de abril de 2013

CONVITE PARA PROFISSÃO SOLENE DE FREI RICARDO ALBERTO DIAS, OAR


Fonte: Blog da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos

quinta-feira, 18 de abril de 2013

FRANCISCO: "FÉ É ACREDITAR NO DEUS QUE É PESSOA, NÃO NUM "DEUS-SPRAY""

Cidade do Vaticano (RV) – A fé é um dom que começa encontrando Jesus, Pessoa real e não um “deus-spray”: foi o que disse o Papa Francisco na homilia da Missa celebrada esta manhã na Casa Santa Marta. Da celebração participaram os funcionários da Inspetoria de Segurança Pública junto ao Vaticano.

Deus não é uma presença impalpável, uma essência que se expande ao nosso redor sem saber bem o que seja. É uma “Pessoa” concreta, disse o Papa, é um Pai. O trecho do Evangelho de João quando Jesus diz à multidão que “quem crê tem a vida eterna”, é a ocasião para Francisco refletir sobre em qual Deus nós acreditamos:

“Um deus ‘no ar’, um deus-spray, que está em todos os lugares, mas não se sabe o que seja. Nós acreditamos no Deus que é Pai, que é Filho, que é Espírito Santo, acreditamos em Pessoas. E quando falamos com Deus, falamos com pessoas: ou falo com o Pai, ou falo com o Filho ou falo com o Espírito Santo. E esta é a fé.”

No Evangelho, Jesus afirma ainda que ninguém vem até Ele se não for atraído pelo Pai. Essas palavras, afirma Papa Francisco, demonstram que “ir a Jesus, encontrá-lo, conhecê-lo, é um dom”.

“Quem tem fé, tem a vida eterna, tem a vida. Mas a fé é um dom – é o Pai quem a dá. Nós devemos continuar este caminho. Todos somos pecadores, temos sempre algo de errado, mas o Senhor nos perdoa. Devemos prosseguir sempre, sem nos desencorajar.”

Se fizermos isso, acontecerá o que referem os Atos dos Apóstolos com aquele funcionário que descobriu a fé: “E cheio de alegria, prosseguia o seu caminho:

“É a alegria da fé, a alegria de ter encontrado Jesus, a alegria que dá paz: não aquela que dá o mundo, mas a que dá Jesus. Esta é a nossa fé. Peçamos ao Senhor que nos faça crescer nesta fé, nesta fé que nos fortalece, que nos torna alegres, essa fé que começa sempre com o encontro com Jesus e prossegue sempre na vida com os pequenos
encontros cotidianos com Jesus.”

No final da Missa, o Papa dirigiu um agradecimento especial à Inspetoria de Segurança Pública junto ao Vaticano pelo serviço desempenhado na sociedade, um serviço pelo bem comum, que “requer retidão, vigor, honestidade e serenidade”.



Fonte: Texto proveniente da página:
http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/18/francisco:_fé_é_acreditar_no_deus_que_é_pessoa,_não_num_deus-spray/bra-684101 do site da Rádio Vaticano

BISPO AGOSTINIANO RECOLETO DENUNCIA: "ILHA DO MARAJÓ EM ESTADO DE PLENO ABANDONO"

Cidade do Vaticano (RV) – Pirataria, malária, fome, prostituição infantil e tráfico de pessoas: seria esta a realidade de um país emergente?

As conquistas do desenvolvimento econômico ainda estão longa da ilha de Marajó, norte do Estado do Pará, como relata o Bispo prelado, Dom José Luis Azcona Hermoso.

Para o Bispo espanhol, a região está vivendo num estado de extremo abandono e, inclusive, um processo de involução:

“A situação da Prelazia do Marajó a nível econômico-social é preocupante. Há séculos, é uma região abandonada e isso prossegue. Em vez de assistirmos a uma evolução positiva, social, no dinamismo do desenvolvimento, o que encontramos em muitos aspectos é uma involução, uma espécie de atraso e que nos está colocando fora do ritmo cada vez mais acelerado que está levando o Brasil emergente. (...) É uma situação de extremo abandono. Aí que temos que pregar o Evangelho e animar o povo para a esperança, motivados pela grande esperança de que fala o Papa emérito Bento XVI, a grande esperança que faz enfrentar as realidades mais difíceis, apoiados na fé, em Cristo Jesus e na vida eterna.”

Fonte: Texto proveniente da página:
http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/18/dom_azcona_denuncia:_ilha_de_marajó_em_estado_de_extremo_abandono/bra-684028 do site da Rádio Vaticano

quarta-feira, 17 de abril de 2013

AUDIÊNCIA: "JAMAIS ESTAMOS SÓS. DEUS NOS DEFENDE SEMPRE!"

Cidade do Vaticano (RV) – Quarta-feira é dia de Audiência Geral. A Praça S. Pedro estava lotada de peregrinos em festa, cerca de 80 mil, para este encontro semanal com o Papa Francisco.

Depois de fazer o giro de papamóvel, saudando calorosamente os fiéis na Praça, o Pontífice deu sequência às suas catequeses dedicadas ao Credo, comentando a afirmação “Jesus subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai”.

A vida terrena de Jesus culmina na sua Ascensão, afirmou Francisco, explicando o significado deste fato. Ao entrar na glória de Deus, passando pela Cruz, Jesus nos ensina que a nossa vida cristã exige a fidelidade cotidiana à sua vontade, mesmo quando isso requer sacrifícios e mudanças em nossos planos.

“Não tenhamos medo de nos dirigir ao Senhor e pedir perdão, bênçãos e misericórdia. Ele nos perdoa sempre. Deus é o nosso advogado. Ele nos defende sempre! Não se esqueçam disso.”

Na narração que São Lucas faz do acontecimento, dois elementos chamam a atenção: enquanto era elevado, Jesus abençoava os discípulos que se prostraram diante dele; em seguida, estes voltaram para Jerusalém cheios de alegria.

No primeiro caso, o gesto de abençoar significa que Jesus é o único e eterno Sacerdote; que, sendo Deus e homem verdadeiro, conduziu a nossa humanidade para junto de Deus.

O segundo elemento, ou seja, a alegria dos discípulos, nos ensina que eles sabiam – e nós também o sabemos pela fé - que o Senhor, apesar de aparentemente ter-se separado, permanece sempre com os seus discípulos, não os abandona e na glória do Pai os sustenta, guia e intercede por eles.

Por isso, ao professar no Credo que Jesus “subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai”, estamos afirmando que Jesus continua no nosso meio, mas de um modo novo. Cristo, junto do Pai, transcende o espaço e o tempo, e por isso pode estar junto de cada um de nós.

“Queridos irmãos e irmãs, a Ascensão não indica a ausência de Jesus. Na nossa vida, jamais estamos sozinhos: o Senhor crucificado e ressuscitado nos guia; conosco, há tantos irmãos e irmãs que, no silêncio e na intimidade, em sua vida familiar e
profissional, em seus problemas e dificuldades, em suas alegrias e esperanças, vivem cotidianamente a fé e levam ao mundo a primazia do amor de Deus.”

Após a catequese, com exceção do espanhol, Francisco saudou em italiano os grupos oriundos de várias partes do mundo.

Dirigindo-se aos peregrinos de língua portuguesa, saudou de modo especial os grupos vindos de Brasília, Uberlândia e São Paulo.


Fonte: Texto proveniente da página:
http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/17/audiência:_jamais_estamos_sós._deus_nos_defende_sempre!/bra-683618 do site da Rádio Vaticano

terça-feira, 16 de abril de 2013

ENCONTRO VOCACIONAL AGOSTINIANO RECOLETO 2013


FRANCISCO: "CONCÍLIO É FRUTO DO ESPÍRITO, MAS PERMANECE INAPLICADO"

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta terça-feira, 16, Bento XVI completa 86 anos e Papa Francisco o lembrou no início da missa celebrada em sua residência, na Casa Santa Marta.

Oferecemos-lhe a Missa, para que o Senhor esteja com ele, o conforte e lhe dê muito consolo”.

Na homilia, o comentário da primeira leitura do dia: o martírio de Santo Estevão, que antes de ser lapidado anunciou a Ressurreição de Cristo e advertiu para a resistência ao Espírito Santo. O Papa repetiu que mesmo em meio de nós, ainda existe esta resistência.

Ao que parece, hoje o Espírito Santo nos incomoda, porque nos incentiva, empurra a Igreja para que vá adiante. E nós queremos que ele adormeça, queremos domesticá-lo, e isto não é bom porque Ele é Deus e é a força que nos consola, a força para prosseguirmos. Mas seguir avante dificulta... a comodidade é melhor!”.

“Hoje – prosseguiu o Papa – aparentemente estamos todos contentes com a presença do Espírito Santo, mas não é assim. Por exemplo, vamos pensar no Concílio:

O Concílio foi uma linda obra do Espírito Santo. Pensamos no Papa João XXIII: um pároco bom, obediente ao Espírito Santo. Mas depois de 50 anos, fizemos tudo o que o Espírito Santo nos disse no Concílio? Não. Comemoramos este aniversário, erguemos um monumento, mas desde que não incomode. Nós não queremos mudar, e o pior: alguns querem voltar atrás. Isto é ser teimoso, significa querer domesticar o Espírito Santo; ser tolo, de coração lento”.

Francisco ressaltou que o mesmo acontece em nossas vidas pessoais e exortou: “Não oponhamos resistência ao Espírito. É Ele que nos liberta. Caminhemos na estrada da docilidade do Espírito Santo, no caminho da santidade da Igreja!”.

Fonte: Site da Rádio Vaticano

BENTO XVI COMPLETA 86 ANOS DE IDADE

Cidade do Vaticano (RV) - Bento XVI completa esta terça-feira 86 anos. Para festejar esta data, seu irmão mais velho, Georg, está em visita a Castel Gandolfo – onde reside temporariamente o Papa emérito.

A Rádio Vaticano recorda este dia com as lembranças da infância que o próprio Joseph Ratzinger descreveu a uma menina, durante o Encontro Mundial das Famílias em Milão, em 2 de junho de 2012.

Na pequena cidade de Marktl am Inn, na Bavária, o ponto essencial para a família Ratzinger era o Dia do Senhor, que começava já no sábado, com as leituras do Domingo por parte do pai – de modo que ele e seu irmão Georg já entravam na “liturgia, numa atmosfera de alegria”.

“No dia seguinte, íamos à Missa. Minha cidade fica perto de Salzburg, portanto tínhamos muito contato com a música – Mozart, Schubert, Haydn – e quando começava o Kyrie era como seu o céu se abrisse. E depois em casa era importante, naturalmente, o grande almoço todos juntos”.

Além da música, outra paixão da família eram os passeios nos bosques da Baviera:

“Morávamos perto de um bosque, onde nos divertíamos com aventuras e jogos. Numa palavra, éramos um só coração e uma só alma, com tantas experiências em comum, inclusive nos períodos muito difíceis, como no tempo da guerra: primeiro da ditadura e depois, da pobreza”.

Adversidades que o Papa emérito enfrentava com o “amor recíproco” que se vivia em família. Um amor “forte” que “tornava belo inclusive as coisas simples”. E assim, “crescemos na certeza de que é bom ser um homem, porque víamos que a bondade de Deus se refletia nos pais e nos irmãos”.

“Assim, neste contexto de confiança, de alegria e de amor éramos felizes e creio que, no Paraíso, deve ser parecido com a minha juventude. Neste sentido, espero ir ‘à casa’, ir rumo a outra parte do mundo’”.

Fonte: Site da Rádio Vaticano

sábado, 13 de abril de 2013

REFLEXÃO PARA O 3º DOMINGO DA PÁSCOA

Cidade do Vaticano (RV) - O Evangelho de hoje nos fala da experiência pascal que os apóstolos fizeram.

Todos estão reunidos em um dia comum de trabalho. Eles estão na barca de Pedro, já que aceitaram sua liderança quando ele lhes comunicou que iria pescar.

No momento do relato, eles estão no mar. Ora, o mar simboliza para a cultura judaica da época, o mal, o conjunto das forças adversas ao homem. Jesus não está com eles, mas na margem. Eles trabalham sozinhos, mas nada conseguem. Também nós, mesmo que estejamos unidos, com boas intenções, belos projetos, mas sem contar com a presença de Deus não frutificamos, e nosso trabalho se torna estéril.

Os discípulos vão agora aprender, quando o desconhecido fala com eles e lhes dá a sugestão de jogar a rede para o outro lado e a pesca se torna fecunda, que Deus sempre está com eles, sempre. Mesmo que de modo diferente, aparentemente ausente, mas não os abandona. O Senhor é o Emanuel, Deus Conosco.

Eles pescam 153 peixes. Por que o evangelista faz questão de dar o número? Ele deseja dizer que a missão dos doze, da Igreja. é pescar, é evangelizar toda a humanidade. 50 é o número que simboliza todo o povo. 3 significa a perfeição. 50 multiplicado por 3 dá 150 e adiciona-se a esse resultado o número 3. É o povo multiplicado pela perfeição e unido a ela. Ora, a Igreja conduzirá, toda a humanidade à libertação das forças da morte, do vínculo com o mal, de um modo pleno!

Ao seu peixe, que já está na brasa, Jesus pede que os discípulos acrescentem os pescados por eles.

Jesus soma ao seu trabalho de redenção da Humanidade, todo o trabalho exercido pela Igreja. No final dos tempos, celebraremos juntos, o banquete eterno nos céus.

O Evangelho tem uma segunda parte que é a entrega de Jesus a Pedro, do governo da Igreja como seu pastor. A única exigência é amar, amar sem condições, mais que seus companheiros. Portanto, ser pastor não é impor sua vontade, mas vivenciar o seu amor a Cristo na entrega radical, absoluta e incondicional pelos seus irmãos.

Também nós somos convidados ao trabalho generoso pelo Reino. Amor com amor se paga! Ao amor de entrega, vivido por Jesus para nossa felicidade eterna, segue nossa resposta de amor, procurando nossa semelhança, nossa identificação com nosso Mestre e Senhor. (CAS)
 
Fonte: Site da Rádio Vaticano

PAPA CRIA COMISSÃO PARA AJUDÁ-LO NO GOVERNO DA IGREJA

Cidade do Vaticano (RV) - O Santo Padre Francisco, atendendo a uma sugestão advinda no decorrer das Congregações Gerais antes do Conclave, constituiu um grupo de Cardeais para lhe aconselhar no governo da Igreja e para estudar um projeto de revisão da Constituição Apostólica Pastor bonus, de Papa João Paulo II, sobre a Cúria Romana.

O grupo é constituído por:

Card. Giuseppe Bertello, Presidente da Governadoria do Estado da Cidade do Vaticano;
Card. Francisco Javier Errazuriz Ossa, Arcebispo emérito de Santiago do Chile;
Card. Oswald Gracias, Arcebispo de Bombay (India);
Card. Reinhard Marx, Arcebispo de Munique e Fresinga (Alemanha);
Card. Laurent Monswengo Pasinya, Arcebispo de Kinshasa (República Democrática do Congo);
Card. Sean Patrick O’Malley. O.F.M. Cap., Arcebispo de Boston (EUA);
Card. George Pell, Arcebispo de Sidney (Austrália);
Card. Oscar Andrés Maradiaga Rodríguez S.D.B., Arcebispo de Tegucigalpa (Honduras),
com a função de Coordenador;
Dom Marcello Semeraro, Bispo de Albano (Itália), com a função de Secretário.

A primeira reunião coletiva do grupo foi fixada para os dias 1º, 2 e 3 de outubro de 2013. Todavia, desde já, Sua Santidade está em contato com integrantes do mencionado grupo.
 
Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 12 de abril de 2013

DIRETÓRIO DE COMUNICAÇÃO: "SONHO ANTIGO DA CNBB"

Aparecida (RV) – Chegamos ao terceiro dia de trabalhos da 51ª Assembleia Geral da CNBB em Aparecida, que tem como tema central “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”. Nesta sexta-feira a Celebração Eucarística na Basílica Nacional que dá início aos trabalhos foi presidida pelo Arcebispo emérito de Salvador, Cardeal Geraldo Majella Agnelo. Concelebraram os bispos eméritos, que nesta Assembleia estão presente em número de 40.

Os mais de 360 bispos que participam dos trabalhos no plenário do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida discutem assuntos importantes: hoje continua-se a falar da situação das paróquias católicas em todo o Brasil e a questão agrária.

Ontem tivemos o tema da tradução do Missal Romano e do Diretório de Comunicação. De fato a Comissão Episcopal para os Textos Litúrgicos apresentou uma nova tradução para o Missal Romano. Cada trecho do Missal traduzido já foi analisado pelos membros da Comissão e mandado para os bispos de todo o Brasil, para que fizessem emendas. Após a aprovação das emendas, o texto foi traduzido e agora deve ser aprovado na Assembleia em Aparecida. Depois de aprovado será enviado a Roma para que seja reconhecido pela Santa Sé.

Já sobre o tema do Diretório de Comunicação, Dom Orani João Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro, que também participou do processo de elaboração do Diretório, fez a seguinte consideração sobre o Documento: “a comunicação é essencial na vida do ser humano e a Igreja é feita de comunicação, da boa notícia, da Palavra de Deus, da Catequese, da Liturgia.

Sobre o tema central “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia” nós conversamos com o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Scherer.

Sobre o Diretório de Comunicação nós conversamos com o Presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno Assis, e com o Arcebispo de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings.

Ainda ontem conversaram com os jornalistas presentes na 51ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Dom Sergio Eduardo Castriani, Arcebispo de Manaus (AM), Dom Dimas Lara Barbosa, Arcebispo de Campo Grande (MS) e Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a comunicação e Dom Armando Bucciol, Bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA).

Dom Dimas fez um panorama geral do Diretório da Comunicação que será apresentado aos bispos ainda nesta tarde. “Este é um sonho antigo da CNBB. Gostaríamos de ter normas mais claras para as nossas comunidades e paróquias”.

O arcebispo explicou que inicialmente foi feito um texto de estudo e aprofundamento da comunicação e posteriormente a criação da Comissão Episcopal Pastoral da Comunicação.

Dom Dimas adiantou aos jornalistas que o Diretório terá 10 capítulos, entre eles, os Desafios da comunicação para a Igreja, a comunicação nas redes sociais, a teologia da comunicação. “Entre os capítulos está também a Comunicação e a vivência da fé nas dimensões da catequese, caridade e liturgia. Precisamos debater as questões da ética na comunicação”, ressaltou.

Já Dom Sérgio Castriani, presidente da Comissão para o Tema Central da 51ª Assembleia Geral, apresentou algumas perspectivas que estão sendo tratadas a partir da proposta “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”. “Estamos convencidos que a paróquia é a grande escola de fé. Ela existe para unir os cristãos ao seu Senhor e atrair a todos para a Igreja. Continua sendo uma referência para os católicos e não cristãos. É nela que cada pessoa deveria fazer um encontro com Cristo”.

Ainda, de acordo com dom Sérgio, “essa renovação está ligada a articulação de pequenas comunidades, buscando integrar todas as instituições como escolas, universidades, etc”.

Dentro dos trabalhos da Assembleia Geral está sendo apresentando aos bispos a nova proposta de revisão do Missal Romano. Dom Armando Bucciol, que é o Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia e da Comissão Episcopal para os Textos Litúrgicos explicou que as Conferências estão encarregadas de revisar os textos. A primeira versão do Missal foi publicada em 1969, em latim e depois traduzida para outros idiomas.

O trabalho desta comissão da CNBB tem sido intenso e vem sendo realizado com cautela. “Não se trata apenas de traduzir, mas manter uma fidelidade ao texto original em latim. Para que seja acessível ao povo em uma linguagem litúrgica bela”, destacou dom Armando. O bispo aponta que a revisão não terá mudanças nos ritos. São correções simples, como, por exemplo, a unificação das respostas na celebração eucarística. A mudança será mais na linguagem e conteúdo e não propriamente no formato da celebração. (Silvonei José)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

quinta-feira, 11 de abril de 2013

COLEÇÃO YOUCAT TEM NOVA OBRA: O CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CRISMA

O YOUCAT surgiu como uma nova tentativa de inspirar os jovens católicos de todo o mundo para o conteúdo da fé. Já são quase 3,5 milhões de jovens em todo o mundo usando essa ferramenta. Porém, observando-se que em muitas comunidades, o Sacramento do Crisma não tem sido o início de uma relação de jovens com a Igreja, mas o fim, o "YOUCAT Center de Augsburg" elaborou e publicou o "YOUCAT - curso para o Crisma".

Essa é mais uma obra da Coleção YOUCAT, que vem para atender as propostas da Nova Evangelização e os propósitos para este Ano da Fé. E, tendo encerrado toda a fase de tradução do original em alemão para o português, a equipe do Catecismo Jovem, tem a alegria de apresentá-la oficialmente aqui no Brasil, cuja distribuição nas livrarias (Paulus e Loyola) tem data confirmada para já para maio! Alegra-nos saber que esses dois livros - um manual para os catequistas e um livro de estudo para os crismandos - embasados tanto na Bíblia, quanto no próprio YOUCAT, também servirão como um bom plano de formação para os nossos jovens que se preparam para o Crisma.

A respeito disso, é preciso recordar mais uma vez o que nosso querido Papa emérito nos dizia de forma tão carinhosa em sua mensagem para a JMJ Rio 2013: "Através do Sacramento da Confirmação, somos fortalecidos pelos dons de Cristo, para testemunhar de modo sempre mais maduro o Evangelho. Esse Sacramento nos impele a sair de nós mesmos para «ir» e evangelizar. Se ainda não o recebestes, não hesiteis em receber o Sacramento da Confirmação ou Crisma preparando-vos com cuidado e solicitude. Junto com a Eucaristia, esse é o sacramento da missão, porque nos dá a força e o amor do Espírito Santo para professar sem medo a fé" (Bento XVI).

Fonte: Catecismo Jovem


Da redação do Portal Ecclesia.

PONTIFICADO DO PAPA FRANCISCO SERÁ CONSAGRADO A NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

Fátima (RV) – No dia 13 de maio em Fátima, em celebração para a qual é convidado todo o povo de Deus, o pontificado do Papa Francisco será consagrado a Nossa Senhora de Fátima.

Como resposta ao
pedido apresentado pelo Papa ao Cardeal Patriarca de Lisboa, Dom José Policarpo, para que este consagrasse o seu pontificado a Nossa Senhora de Fátima, os bispos portugueses decidiram que esta consagração se fará no próximo dia 13 de maio.

O Santuário anuncia que a consagração será inserida no programa da peregrinação internacional de 12 e 13 de maio, no dia 13, em momento a
ser ainda definido.

A peregrinação internacional aniversária de maio, nos 96 anos da primeira aparição de Nossa Senhora aos videntes Lúcia, Francisco e Jacinta, será presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta.

Fonte: Site da Rádio Vaticano

quarta-feira, 10 de abril de 2013

A NOVA PARÓQUIA: ABERTA A 51ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB

Aparecida (RV) – “Comunidade de comunidades. A nova paróquia”. Este o tema central da 51ª Assembleia Geral do Bispos do Brasil, que teve início nesta quarta-feira, no Santuário Nacional de Aparecida. A abertura do evento que deve reunir cerca de 300 bispos foi com a Santa Missa na Basílica de Aparecida às 7h30min celebrada pelo Presidente da CNBB, Arcebispo de Aparecida, Cardeal Raimundo Damasceno Assis. O encerramento dos trabalhos está previsto para o próximo dia 19 de abril, no Centro de Eventos Pe. Vitor Coelho.

Sobre as questões logísticas da Assembleia nós conversamos com o Ecônomo do Santuário de Aparecida, Pe. Luiz Cláudio Alves de Macedo.

O tema-base dessa Assembleia Geral do episcopado brasileiro ressalta o anúncio de Jesus revelando que o Reino vai ser formado por uma comunidade de discípulos. Segundo Dom José Luiz Majella Delgado, Bispo de Jataí (GO) na metodologia proposta pela
Comissão de elaboração do texto, o mesmo só se concluiria na Assembleia de 2014. O objetivo é que o documento final seja enriquecido pelas experiências das paróquias, das comunidades e dos regionais.

Nós conversamos com Dom Majella.

Reunidos no Santuário de Aparecida, os participantes da Assembleia devem formular diretrizes para a renovação pastoral e revitalização do sentido comunitário das paróquias. Segundo o Presidente da CNBB, e Arcebispo de Aparecida, Cardeal Raimundo Damasceno Assis, a Igreja é missionária por natureza e as paróquias devem reavivar esse espírito missionário. Dom Raimundo disse ainda que é “necessário ir em busca dos que se afastaram, para que redescubram a beleza, a alegria da fé em Jesus Cristo, a importância da vivência comunitária e dos sacramentos”.

Os trabalhos da 51ª Assembleia terão início todos os dias com a celebração da Santa Missa às 7h30 da manhã no Altar Central da Basílica de Aparecida. Os trabalhos se realizarão no Centro de Eventos Pe. Vitor Coelho. Nos dias 13 e 14 de abril os bispos participam de um retiro espiritual. Todos os dias uma coletiva de imprensa, às 15h, com a participação de três bispos.

De Aparecida, Silvonei José

Fonte: Site da Rádio Vaticano 

AUDIÊNCIA GERAL: "SER CRISTÃO NÃO É CUMPRIR MANDAMENTOS, MAS É DEIXAR QUE CRISTO TRANSFORME A NOSSA VIDA"

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta quarta-feira, a Praça S. Pedro estava repleta de fiéis, turistas e peregrinos para a Audiência Geral.

Antes de pronunciar a sua catequese, de papamóvel o Papa Francisco fez o giro da Praça, saudando calorosamente os fiéis e beijando as crianças. O tema proposto pelo Pontífice foi o fundamento da nossa fé: a Ressurreição de Cristo.

“Este é o maior dom que recebemos do Mistério pascal de Jesus”, explicou. A ressurreição de Jesus é tão importante, que, «se Cristo não ressuscitou – escreve São Paulo –, é vã a nossa fé». Na verdade, a nossa fé apoia-se sobre a morte e ressurreição de Cristo como uma casa está apoiada sobre os alicerces: se estes cedem, a casa cai. Na cruz, Jesus ofereceu-Se a Si mesmo, tomando sobre Si os nossos pecados.

Com a Ressurreição, algo de absolutamente novo acontece: somos libertados da escravidão do pecado e nos tornamos filhos de Deus. Ou seja, somos gerados a uma vida nova no Batismo. E a nossa vida será nova se nos comportarmos como verdadeiros filhos, deixando que Cristo tome posse da nossa vida e a transforme.

“Deus nos trata como filhos, nos compreende, nos perdoa, nos abraça, nos ama mesmo quando erramos. Jamais devemos nos esquecer que Deus é fiel, sempre! Ser cristãos não se reduz a seguir mandamentos, mas quer dizer estar em Cristo, pensar como Ele, agir como Ele, amar como Ele. Cristo ressuscitado é a nossa esperança. Deus é a nossa força.”

Todavia, adverte o Pontífice, a tentação de deixar Deus de lado para colocar nós mesmos no centro está sempre à espreita. A experiência do pecado fere a nossa vida cristã, o nosso ser filhos de Deus. Por isso, devemos ter a coragem da fé, não nos deixando levar pela mentalidade que afirma: «Deus não é solução, não tem nada de importante para nós».

“A verdade é precisamente o contrário! Somente nos comportando como filhos de Deus, sem nos desencorajar pelas nossas caídas, sentindo-se amados por Ele, a nossa vida será nova, animada pela serenidade e pela alegria.”

No final da catequese, Francisco saudou em italiano os grupos presentes na Praça, com uma exceção: esta quarta, pela primeira vez, saudou em espanhol os peregrinos oriundos da Espanha e dos países latino-americanos. Entre eles, seus compatriotas do Club Atlético San Lorenzo de Almagro, de Buenos Aires – seu time de coração. “Isso é
muito importante”, disse a eles.

Aos peregrinos de língua portuguesa, saudou em especial os fiéis de Coimbra e de São José do Rio Preto, fazendo votos de que cada um que possa crescer sempre mais na vida nova de ressuscitados que Cristo nos conquistou.

Fonte: Site da Rádio Vaticano

terça-feira, 9 de abril de 2013

51ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB COMEÇA DIA 10 DE ABRIL DE 2013

Vai começar amanhã, 10 de abril de 2013, a 51ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, em Aparecida - SP.

O encontro anual da CNBB reunirá os bispos de todo o Brasil até o dia 19 de abril e girará em torno do tema central "Comunidade de comunidades, uma nova paróquia", orientação do Documento de Aparecida.

A assessoria de imprensa da CNBB criou uma página no facebook onde serão divulgados diversos conteúdos direto de Aparecida, com uma grande cobertura do evento, o endereço é:
www.facebook.com/pages/Assembleia-Geral-da-CNBB/632779040068974?fref=ts
O bispo diocesano de Cachoeiro de Itapemirim, Dom Frei Dario Campos, o.f.m., já está em Aparecida para a 51ª Assembleia Geral da CNBB.
O que é a Assembleia Geral da CNBBSegundo o artigo 27 do Estatuto Canônico da CNBB, a Assembléia, órgão supremo da CNBB, "é a expressão e a realização maiores do afeto colegial, da comunhão e co-responsabilidade dos Pastores da Igreja no Brasil". Reúne-se ordinariamente, uma vez por ano e, extraordinariamente, quando para fim determinado e urgente, sua convocação for requerida (cf. art. 31 Estatuto Canônico da CNBB).
De que trata a Assembléia Geral?
De assuntos pastorais de ordem espiritual e de ordem temporal e dos problemas emergentes da vida das pessoas e da sociedade, na perspectiva da evangelização. (Estatuto Canônico da CNBB, artigo 29).
Quem participa?
O artigo 33 do Estatuto Canônico da CNBB diz que "todos os membros da CNBB são convocados para a Assembléia Geral". Também podem ser convidados os bispos eméritos e bispos não-membros da CNBB, "de qualquer rito, em comunhão com a Santa Sé e tendo domicílio canônico no País" (artigo 106).
Assembléia EletivaA presidência da CNBB permanece no cargo apenas por dois mandatos consecutivos. A cada quatro anos a Assembléia Geral da CNBB elege nova presidência. Em votações separadas são eleitos o presidente, o vice-presidente e o secretário-geral da Conferência. (Estatuto Canônico da CNBB, artigo 43). Também são eleitos os presidentes das Comissões Episcopais de Pastorais.
Segundo o artigo 143 do Estatuto Canônico da CNBB, "as eleições quadrienais devem ser precedidas na Assembléia eletiva: a) pelo relatório da Presidência sobre a vida, as atividades pastorais e a administração patrimonial da CNBB, durante o quadriênio cessante; b) pela avaliação da Assembléia sobre o desempenho da CNBB e de seus responsáveis, no mesmo período; c) pela discussão e votação das diretrizes gerais para a Pastoral Orgânica do quadriênio que se inicia".
O Artigo 148 do Estatuto afirma ainda que as "eleições serão realizadas em clima de intensa comunhão eclesial, contribuindo para isso o dia de espiritualidade".
A posse da nova presidência e dos novos presidentes das Comissões Episcopais Pastorais acontece antes do término da Assembléia. (Estatuto da CNBB, Art. 154)
Fonte:
http://www.facebook.com/pages/Assembleia-Geral-da-CNBB/632779040068974?fref=ts

Câmara dos Deputados de Kansas define que a vida começa na fecundação

O movimento em defesa da vida obteve uma importante vitória sobre a cultura da morte nesta sexta-feira, 05/04. Com um placar de 90 a 30, a Câmara dos Deputados do Kansas, estado norte americano, aprovou a lei que define o estágio inicial da vida na fecundação, proíbe a associação Planned Parenthood - a maior rede de abortos do mundo - e outros grupos ligados à causa de promoverem aulas de educação sexual nas escolas, exclui as clínicas de abortos da isenção fiscal, bane abortos por seleção de sexo e obriga os médicos a darem maiores detalhes sobre o assunto às gestantes que queiram abortar. Durante a tarde, o projeto já havia sido aprovado com facilidade pelo senado. Agora, para que a lei entre em vigor, resta a provável assinatura do governador Sam Brownback, reconhecido por sua forte oposição ao aborto.

Os Estados Unidos enfrentam uma grande tensão desde que o presidente Barack Obama iniciou o seu projeto de reforma da saúde pública. O programa, chamado de "Obamacare", tem recebido fortes críticas de bispos e outros setores da sociedade devido a violações do direito à liberdade religiosa, objeção de consciência, aprovação do aborto e mudança de sexo. Pelo projeto, os hospitais católicos serão obrigados a interromper a gravidez de pacientes que decidam pelo procedimento.

O aborto é garantido pela Constituição dos Estados Unidos desde que a Suprema Corte americana, no famoso caso "Roe vs. Wade", o liberou até o nono mês da gravidez. Após 40 anos da decisão, estima-se que 55 milhões de abortos tenham sido realizados no país. Por outro lado, apesar do lobby das grandes indústrias e da militância abortista, a aprovação do aborto nos EUA têm caído ano após ano. No final de janeiro de 2013, os americanos fizeram a maior marcha pela vida da história do país. Cerca de 650 mil pessoas, sobretudo jovens, participaram do evento.

Caso o governador Sam Brownback aprove o projeto de lei, o Kansas se tornará um dos primeiros estados pró-vida dos Estados Unidos. Recentemente, Dakota do Norte e Arkansas também aprovaram maiores restrições ao aborto, encaradas como uma verdadeira afronta ao julgamento "Roe vs. Wade". A lei do Kansas também é importante pela sua linguagem. Ao decretar que a vida começa na fecundação - ou seja, no momento em que o espermatozóide se une ao óvulo - o projeto elimina qualquer sombra de dúvida a respeito dos direitos do feto, pois não há possibilidade de desvios como ocorria quando o debate era sobre a "concepção". Assim, o projeto é um primeiro passo para fortalecer a consciência de que o feto é um ser humano e merece tanta proteção do Estado quanto qualquer outro.

Outro aspecto positivo do projeto é a exclusão das aulas de educação sexual, promovidas pela Planned Parenthood, nas escolas. Uma das táticas da cultura da morte para obter êxito nos seus
trabalhos é a doutrinação direta das crianças, para inocular desde cedo um pensamento contrário à lei natural. Destruída a percepção sobre a dignidade da vida humana, abrem-se as portas para todo o tipo de barbaridades, principalmente na temática sexual. Há anos que instituições como a Planned Parenthood e o SIECUS trabalham para destruir a moral sexual da população por campanhas contra a castidade.

O infame caso "Roe vs Wade" abriu as portas para o aborto nos Estados Unidos através de uma mentira. Em 1995, Norma McCorvey, a "Jane Roe", confessou ter inventado o caso de estupro utilizado em seu processo para a legalização do aborto. Após conviver com integrantes pró-vida, McCorvey abandonou a militância feminista e em 2012, apareceu em alguns vídeos contrários à reeleição de Barack Obama para presidência dos Estados Unidos. O fato é apenas um exemplo em meio a tantos outros de como a estratégia abortista vale-se de meios imorais e ardilosos para conseguir o que quer. Por isso, é mister romper a hegemonia ideológica do movimento pró-aborto e trazer à tona a farsa que está na base de toda a sua ação. Somente assim, iniciativas como as de Kansas, no Estados Unidos, poderão se espalhar por outros locais e finalmente pôr fim à cultura da morte.
  
Fonte: Christo Nihil Praeponere
 
Da Redação do Portal Eclesiae