quinta-feira, 30 de junho de 2016

FRANCISCO: "QUEM NÃO VIVE PARA SERVIR, NÃO SERVE PARA VIVER"

Cidade do Vaticano (RV) – Esta quinta-feira (30/06) foi dia de audiência jubilar no Vaticano. Na Praça S. Pedro, cerca de 15 mil fiéis ouviram o Papa Francisco falar das obras de misericórdia.
“É importante jamais esquecer que a misericórdia não é uma palavra abstrata, mas um estilo de vida. Eu posso ou não ser misericordioso. Uma coisa é falar de misericórdia, outra coisa é vive-la”, disse.
O Pontífice citou o Apóstolo Tiago, que diz que a misericórdia sem as obras está morta em seu isolamento. “É exatamente assim”, frisou Francisco: “O que torna viva a misericórdia é o seu dinamismo constante de ir ao encontro de quem precisa e das necessidades de quem se encontra em dificuldade espiritual e material.  A misericórdia tem olhos para ver, ouvidos para escutar e mãos para ajudar”.
Servir para viver
De modo especial, o Pontífice falou da importância do perceber o estado de sofrimento dos outros. Às vezes, afirmou, passamos diante de situações dramáticas de pobreza e parece que estas não nos tocam; tudo continua como se nada fosse, numa indiferença que, ao final, nos torna hipócritas e, sem perceber, acaba numa forma de letargia espiritual em que o ânimo se torna insensível e a vida, estéril. “Tem gente que passa toda a vida sem nunca perceber as necessidades dos outros”, lamentou. Pessoas que passam sem viver, que não servem os outros. Lembrem-se bem: quem não vive para servir, não serve para viver".
“Quem experimentou na própria vida a misericórdia do Pai não pode permanecer insensível diante das necessidades dos irmãos”, completou Francisco, que citou as obras que estão contidas no Evangelho de Mateus: assistir que tem fome, sede, quem está nu, refugiado, doente e na prisão. “As obras não são temas teóricos, mas testemunhos concretos. Obrigam a arregaçar as mangas para aliviar o sofrimento".
Essencial
Com o multiplicar-se da pobreza material e espiritual, o Papa Francisco pede uma caridade criativa para identificar novas formas de ajudar quem precisa. “Portanto, pede-se a nós que permaneçamos vigilantes como sentinelas para que, diante das pobrezas produzidas pela cultura do bem-estar, o olhar do cristão não se enfraqueça e se torne incapaz de ver o essencial.”
Ver o essencial, explicou, significa “olhar Jesus no faminto, na prisioneiro, no doente, no nu, em quem não tem trabalho e deve levar avante uma família. Olhar Jesus em quem está triste, só, em quem erra, em quem precisa de conselho, caminhar em silêncio com quem precisa de companhia – estas são as obras que Jesus pede a nós. Olhar Jesus nestas pessoas. Por quê? Porque Jesus nos olha assim”.
Tratou-se da última audiência jubilar deste período de verão europeu. Ao saudar os peregrinos alemães, o Pontífice recordou que neste período de férias e repouso seria importante também cuidar das relações humanas e viver a misericórdia. Já aos poloneses, pede orações para si e para os jovens que em todo o mundo estão se preparando para o iminente encontro em Cracóvia para a Jornada Mundial da Juventude, no final de julho.
As audiências jubilares serão retomadas em 10 de setembro.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

quarta-feira, 29 de junho de 2016

PARABÉNS FREI PEDRO DOS SANTOS!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 29 de junho de 2016, recorda o 33º aniversário natalício de Frei Pedro dos Santos, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse religioso e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Pedro Santos, O.A.R., atualmente reside e é estudante de teologia no Seminário Santa Mônica, na cidade de São Paulo (SP).

terça-feira, 28 de junho de 2016

PAPA: BENTO XVI CONTINUA SERVINDO A IGREJA COM VIGOR E SABEDORIA

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco conduziu nesta terça-feira (28/06), na Sala Clementina do Vaticano, a celebração solene de comemoração dos 65 anos de Ordenação sacerdotal do Papa emérito Bento XVI. 
“Hoje, festejamos a história de um chamado iniciado há 65 anos com a sua Ordenação sacerdotal ocorrida na Catedral de Frisinga em 29 de junho de 1951”, disse Francisco a Bento XVI. 
“Em uma das mais belas páginas que o senhor dedica ao sacerdócio, sublinha como, na hora do chamado definitivo de Simão, Jesus, olhando para ele, no fundo pergunta-lhe somente uma coisa: ‘Me amas?’. Como é bonito e verdadeiro isto! Porque é aqui, o senhor nos diz, é neste "me amas" que o Senhor funda o apascentar, porque somente se existe amor pelo Senhor Ele pode apascentar por meio de nós”, frisou ainda o Pontífice. 
“É esta a nota que domina uma vida inteira dedicada ao serviço sacerdotal e à teologia que o senhor não por acaso definiu como a ‘busca do amado’; é isto que o senhor sempre testemunhou e testemunha ainda hoje: que a coisa decisiva nos nossos dias - de sol ou de chuva - a única com a qual vem também todo o resto, é que o Senhor esteja realmente presente, que o desejemos, que interiormente sejamos próximos a ele, que o amemos, que realmente acreditemos profundamente nele e acreditando o amemos verdadeiramente. É este amar que realmente nos preenche o coração, este acreditar é aquilo que nos faz caminhar seguros e tranquilos sobre as águas, mesmo em meio à tempestade, precisamente como acontece a Pedro; este amar e este acreditar é o que nos permite de olhar ao futuro não com medo ou nostalgia, mas com alegria, também nos anos já avançados de nossa vida.”
Testemunho
“E assim, precisamente vivendo e testemunhando hoje em modo tão intenso e luminoso esta única coisa realmente decisiva - tendo o olhar e o coração voltado a Deus - o senhor, Santidade, continua servindo a Igreja, não deixa de contribuir realmente com o vigor e a sabedoria para o crescimento dela”, disse Francisco que acrescentou: 
“E o faz daquele pequeno Mosteiro Mater Ecclesiae no Vaticano, que se revela desta forma ser bem outra coisa do que um daqueles cantinhos esquecidos nos quais a cultura do descarte de hoje tende a relegar as pessoas quando, com a idade, as suas forças começam a faltar. É bem ao contrário; e isto permite que o diga com força o seu Sucessor que escolheu chamar-se Francisco!".
"Porque o caminho espiritual de São Francisco iniciou em São Damião, mas o verdadeiro lugar amado, o coração pulsante da ordem, lá onde o fundou e onde no final rendeu sua vida a Deus foi a Porciúncula, a 'pequena porção', o cantinho junto à Mãe da Igreja; junto a Maria que, pela sua fé tão firme e pelo seu viver tão inteiramente do amor e no amor com o Senhor, todas as gerações chamarão bem-aventurada. Assim, a Providência quis que o senhor, caro irmão, chegasse a um lugar por assim dizer propriamente 'franciscano' do qual emana uma tranquilidade, uma paz, uma força, uma confiança, uma maturidade, uma fé, uma dedicação e uma fidelidade que me fazem tão bem e dão força para mim e para toda a Igreja".
Palavras de Bento XVI
E o Papa Francisco concluiu: “Que o senhor, Santidade, possa continuar sentido a mão do Deus misericordioso que o sustenta, que possa experimentar e nos testemunhar o amor de Deus; que, com Pedro e Paulo, possa continuar exultando de alegria enquanto caminha rumo à meta da fé.” 
A seguir, o Papa emérito Bento XVI, em um breve discurso improvisado de agradecimento, recordou que sua vida sacerdotal foi marcada desde o início pela palavra grega "Eucharistomen" e suas tantas dimensões.
“Ao final, queremos nos incluir neste obrigado do Senhor e, assim, receber realmente a novidade da vida e ajudar a transubstanciação do mundo, que seja um mundo não de morte, mas de vida – um mundo no qual o amor venceu a morte.”
Fonte: Site da Rádio Vaticano

DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CELEBRA SEU PADROEIRO - SÃO PEDRO, APÓSTOLO

A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, no dia 29 de junho de cada ano, celebra a Solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos, cujo São Pedro é o padroeiro da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, e, também padroeiro da cidade de Cachoeiro de Itapemirim, onde nesse dia é feriado municipal.

Na Igreja/matriz da Paróquia Nossa Senhora da Consolação acontecerão as seguintes celebrações alusivas a Solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos:

28 DE JUNHO 2016 (TERÇA-FEIRA)

19h - Missa da Vigília da Solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos

29 DE JUNHO 2016 (QUARTA-FEIRA)

6h30 - Missa da Solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos

Não haverá celebração eucarística às 19h nesse dia na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação.

E na Igreja/Catedral de São Pedro, localizada no centro da cidade de Cachoeiro de Itapemirim, continuam as festividades em honra a São Pedro, com a seguinte programação:

28 DE JUNHO (TERÇA-FEIRA)

19h30 - Missa do 9º dia da novena em preparação à Solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos

29 DE JUNHO (QUARTA-FEIRA)

9h - Missa da Solenidade de São Pedro e São Paulo, apóstolos, presidida pelo bispo diocesano Dom Frei Dario Campos, O.F.M.

16h - Saída da Procissão com a imagem de São Pedro em direção ao Pavilhão da Ilha da Luz

17h - Solene Celebração Eucarística presidida pelo bispo diocesano Dom Frei Dario Campos, O.F.M. e concelebrada pelos demais bispos da Província Eclesiástica da Província do Espírito Santo e sacerdotes da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

QUATRO ARCEBISPOS BRASILEIROS RECEBERÃO O PÁLIO NO DIA 29 DE JUNHO DE 2016

Cidade do Vaticano (RV) – Por ocasião da Festa dos Santos padroeiros Pedro e Paulo nesta quarta-feira, 29 de junho, o Papa Francisco preside à Santa Missa na Basílica Vaticana com a entrega do pálio aos novos Arcebispos metropolitanos.
Este ano, 25 Arcebispos estão contemplados, entre eles quatro brasileiros: Dom Roque Paloschi, de Porto Velho (Rondônia), Dom Zanoni Demettino Castro, de Feira de Santana (Bahia), Dom Rodolfo Luís Weber, de Passo Fundo (Rio Grande do Sul), Dom Darci José Nicioli, C.SS.R. de Diamantina (Minas Gerais).
Os outros 21 Arcebispos são oriundos de França, Equador, Estados Unidos, Antilhas, Itália, Espanha, Bélgica, Turquia, Cuba, México, Polônia, Ilhas Salomão, Mianmar e Benin.
A Rádio Vaticano transmite esta cerimônia ao vivo, com comentários em português, a partir das 9h25 hora local, 4h25 no horário de Brasília. Depois da celebração, o Papa rezará com os fiéis na Praça a oração mariana do Angelus, sempre com transmissão da Rádio Vaticano.
Mudança
O Papa Francisco instituiu uma mudança na imposição do pálio aos novos Arcebispos. Com uma carta datada de 12 de janeiro de 2015, o Mestre das Celebrações Pontifícias, Mons. Guido Marini, informou que a faixa de lã branca será somente entregue e não colocada pelo Santo Padre. A imposição do pálio será realizada nas respectivas arquidioceses pelo Núncio Apostólico no país.
“O significado desta alteração é colocar em maior evidência a relação dos bispos metropolitanos com a sua Igreja local e, assim, dar também a possibilidade a mais fiéis de estarem presentes neste rito tão significativo para eles, e também particularmente aos bispos das dioceses sufragâneas que, deste modo, poderão participar do momento da imposição. Neste sentido, mantém-se todo o significado da celebração de 29 de junho, que sublinha a relação de comunhão e também de comunhão hierárquica entre o Santo Padre e os novos arcebispos; ao mesmo tempo, a isto se acrescenta – com um gesto significativo – esta ligação com a Igreja local”, explicou Mons. Marini à Rádio Vaticano.
O pálio
O pálio é elaborado com lã branca, com cerca de 5cm de largura e dois apêndices – um na frente e outro nas costas. Possui seis cruzes bordadas em lã preta. É confeccionado pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecília, em Roma, utilizando a lã de dois cordeiros que são oferecidos ao Papa no dia 21 de janeiro de cada ano na Solenidade de Santa Inês.
O uso do pálio, que nos primeiros séculos do Cristianismo era exclusivo dos Papas, passou a ser usado pelos Metropolitanos a partir do século VI, tradição que perdura até aos nossos dias. O pálio é símbolo do serviço e da promoção da comunhão na própria Província Eclesiástica e na sua comunhão com a Sé Apostólica. (BF)
Fonte: Site da Rádio Vaticano

segunda-feira, 27 de junho de 2016

ELEIÇÕES NO CARMELO SÃO JOSÉ

No dia 23 de junho aconteceu no Carmelo São José, em Cachoeiro de Itapemirim, as eleições para Priora. 


Foi reeleita a Rvda. Irmã Maria Salete de Cristo Rei. Esta governará o Carmelo por três anos, juntamente com as irmãs conselheiras, sendo estas:
 

1ª Conselheira: Ir. Teresinha (Subpriora)
2ª Conselheira: Ir. Maria Cecília
3ª Conselheira: Ir. Maria José


Mestra de noviças: Ir. Maria de Lourdes do Coração Eucarístico.


A eleição ocorreu durante a visita pastoral feita por Frei Cléber da Trindade, atual provincial da Ordem dos Carmelitas Descalços do Brasil.  Nesta visita, ocorrida entre os dias 20 a 25 de junho, ele acompanhou o andamento da casa e atendeu as monjas.


O Carmelo São José aguarda o parecer do Vaticano (Roma) para a Ereção Canônica e jurisdição pela Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.


"Sua divina Majestade não pode conceder maior favor neste mundo que nos dar uma vida como a vida de seu Filho tão amado".
(Sta. Teresa de Jesus)
 

Fonte: Ir. Maria José, OCD e Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim



JUBILEU DE OURO PRESBITERAL DO PADRE PEDRO SCARAMUSSA

A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim e a Paróquia Santíssima Trindade, de Marataízes, convidam a todos, de forma muito especial, para o Jubileu de Ouro Presbiteral do Pe. Pedro Scaramussa.

Serão 50 anos completados a serviço de Deus; 5 décadas de dedicação plena a comunidade cristã.

A missa em comemoração será realizada no dia 30 de julho, às 16 horas, Na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, no Centro de Marataízes.


Um pouco de Padre Pedro


Pe. Pedro Scaramussa nasceu na localidade de Prosperidade, Vargem Alta, em 13 de novembro de 1937.
 

Sua jornada rumo ao sacerdócio foi iniciada no Seminário Menor Salesiano, que funcionava no Distrito de Jaciguá, em Vargem Alta. Após o período inicial de estudos em Vargem Alta, Pe. Pedro seguiu para o Seminário Maior Pio XI, em São Paulo.
 

No dia 31 de julho de 1966, foi ordenado sacerdote, na Igreja da Lapa, em São Paulo.
 

Na diocese de Cachoeiro de Itapemirim Pe. Pedro exerceu a função de Pároco, de modo especial, na Paróquia Santo Antônio de Pádua, em Atílio Vivácqua, por longos anos e atualmente se encontra na Paróquia Santíssima Trindade, em Marataízes.

Além de sua formação como sacerdote, Pe. Pedro também é licenciado em letras Anglo-Germânicas.


À todos, o convite. 

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim



NOVENA DE SÃO PEDRO (PADROEIRO DA DIOCESE E DA CIDADE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM)

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação celebra neste dia, 27 de junho de 2016, o 8º dia da novena de São Pedro, às 19h30, na Igreja/Catedral de Cachoeiro de Itapemirim, e convida a todos os paroquianos para se fazerem presente juntamente com o pároco Frei Silvestre Brunoro, O.A.R e demais frades agostinianos recoletos.

Pede-se como gesto concreto que cada fiel leve 1 (um) quilo de alimento não perecível para ofertar.

Logo após a missa, no pátio da Igreja/Catedral, segue a festa em honra ao padroeiro São Pedro com barraquinhas de comidas típicas do mês de junho e atrações culturais.

domingo, 26 de junho de 2016

INSTITUIÇÃO DE NOVOS ACÓLITOS NA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

Após quatro meses de formação, na Celebração Eucarística, das 17h, foi realizado o a Instituição dos Novos Acólitos da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, pelo Pároco Frei Silvestre Brunoro, O.A.R. com a participação dos familiares dos novos acólitos.

A liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum frisou bem sobre as exigências de seguir a Jesus Cristo, e em sua homilia Frei Silvestre frisou sobre a importância de nossa constância na fé. Não podemos ter uma fé de hoje eu quero ser cristão, mas amanhã irei pensar sobre o assunto.

O seguimento a Jesus Cristo é algo radical, sim! Jesus Cristo pede a cada um de nós um seguimento a Ele de modo consciente e persistente.

Após a homilia foi realizado o rito de instituição dos acólitos e a missa prosseguiu como de costume.

Agradecemos aos pais dessas crianças e jovens que os acompanharam durante o processo formativo. Deus os abençoe! 





3º ARRAIAL DE APARECIDA

A Comunidade Eclesial de Base "Nossa Senhora Aparecida", Bairro Teixeira Leite, promoveu na noite do sábado, 25 de junho de 2016, o 3º Arraial de Aparecida, com a Celebração da Palavra de Deus, às 19h, e depois a confraternização.

Aproveitando o clima frio que tem feito em Cachoeiro de Itapemirim, nada melhor que combinar a oração, a amizade e alegria de viver.

Agradecemos a André Fachetti pelo envio das fotos e da notícia.








CELEBRAÇÃO DO BATISMO NA IGREJA/MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

A Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação serviu como o início da caminhada eclesial de mais 17 (dezessete) novos membros da Família de Deus, com a celebração do Sacramento do Batismo presidida pelo Vigário Paroquial Frei Gustavo Barbiero Mello, O.A.R.

Durante a celebração do Sacramento do Batismo, Frei Gustavo lembrou da responsabilidade dos pais e dos padrinhos em ensinar às crianças que receberam o batismo no caminho do Cristo, sendo pessoas honestas na vida, a fim de que o nosso país comece a mudar realmente e de fato.

Ao término da celebração foi feita a consagração dessas crianças à Virgem Maria, Mãe da Consolação.

A todas as crianças que Deus as proteja com sua bênção!

Agradecemos a Sra. Ester Tibúrcio da Comunidade Eclesial de Base "Imaculado Coração de Maria" pelo registro fotográfico.





sábado, 25 de junho de 2016

REFLEXÃO PARA O 13º DOMINGO DO TEMPO COMUM - EXIGÊNCIAS PARA SEGUIR A JESUS

Cidade do Vaticano (RV) - A liturgia de hoje nos diz que Deus conta conosco para intervir no mundo, para transformar e salvar o mundo; e convida-nos a responder a este chamado com disponibilidade e com radicalidade, no dom total de nós mesmos às exigências do “Reino”.

A primeira leitura apresenta-nos um Deus que, para atuar no mundo e na história, pede a ajuda dos homens; Eliseu, discípulo de Elias, é o homem que escuta o chamado de Deus, rompe radicalmente com o passado e parte, com generosidade, para realizar os projetos de Deus.

A segunda leitura explica ao “discípulo” que o caminho do amor, da entrega, do dom da vida, é um caminho de libertação. Responder ao chamamento de Cristo, identificar-se com Ele e aceitar entregar-se por amor, é nascer para a vida nova da liberdade.

O Evangelho apresenta o “caminho do discípulo” como um caminho de exigência, de radicalidade, de entrega total e irrevogável ao “Reino”. Ele sugere percorrer este “caminho” com amor e dedicação, sem fanatismos nem fundamentalismos, no respeito absoluto pelas opções dos outros.

Com efeito, Lucas apresenta as “exigências” deste “caminho” em duas partes: na primeira, o cenário de fundo nos situa no contexto da hostilidade entre judeus e samaritanos.

Trata-se de um dado histórico: a dificuldade de convivência entre os dois grupos era tradicional; os peregrinos que iam a Jerusalém para as grandes festas de Israel procuravam evitar passar pela Samaria, utilizando a “via marítima” ou pelo vale do rio Jordão, a fim de evitar “maus encontros”.

A primeira lição de Jesus, ao longo desta “caminhada”, refere-se à atitude que os discípulos devem tomar face ao “ódio” do mundo. Eles devem percorrer o “caminho” de Jesus.

Na segunda parte, Lucas apresenta – através do diálogo entre Jesus e os três candidatos ao discipulado – algumas condições para percorrer este caminho com Jesus, que leva a Jerusalém, isto é, à realização da salvação.

Quais são as suas condições? O discípulo deve despojar-se das preocupações materiais; desapegar-se dos deveres e obrigações, que impedem a sua resposta imediata e radical ao Reino; e despojar-se de tudo o que é material para se comprometer com o Reino de Deus.

Estas exigências e ensinamentos pretendem dizer ao discípulo que ele é convidado a eliminar tudo aquilo que possa dificultar seu testemunho de cristão.

Logo, aceitar o apelo e o convite de Jesus a segui-lo, trilhando o caminho do amor!  (Reflexão para o XIII Domingo do Tempo Comum – MT)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 24 de junho de 2016

PAPA CHEGA À ARMÊNIA: PRIMEIRO PAÍS CRISTÃO

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa deu início esta sexta-feira (24/06) a sua visita de três dias à Armênia - a 14ª viagem internacional do seu Pontificado.
Francisco embarcou esta manhã do aeroporto internacional de Fiumicino e depois de quatro horas de voo e quase 3 mil quilômetros percorridos, chega à capital Yerevan às 14h49 (hora local)
Como é tradição, na véspera da viagem o Pontífice foi à Basílica de Santa Maria Maior para rezar diante da imagem de Nossa Senhora Salus Populi Romani pelo bom êxito da visita. As flores que o Papa depositou aos pés do altar tinham as cores da bandeira armênia (vermelho, laranja e azul).
Francisco visita a Armênia a convite do Patriarca e Catholicos de todos os Armênios, Karekin II, e das autoridades políticas e da Igreja Católica.
Programação
Após a cerimônia de boas-vindas, o Papa desloca-se para um momento de oração na Catedral Apostólica em Etchmiadzin, com saudações de Karekin II e Francisco.
Às 18 horas locais, está prevista a visita de cortesia do Papa Francisco ao Presidente da República, Serzh Sargsyan, no Palácio Presidencial, seguido pelo encontro com as autoridades civis e com o corpo diplomático, meia hora depois. Estes dois eventos serão transmitidos ao vivo pela Rádio Vaticano, com comentários em português.
O último compromisso do primeiro dia da viagem à Armênia será um encontro privado com Karekin II, no Palácio Apostólico.
Armênia e os Papas
Trata-se da segunda visita de um Papa ao país. S. João Paulo II esteve na Armênia em 2001. Ainda em 2016, Francisco regressa ao Cáucaso para visitar a Geórgia e o Azerbaijão, entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro.
Como Arcebispo de Buenos Aires, Bergoglio teve oportunidade de se reunir com a comunidade armênia na Argentina, a terceira maior da diáspora.
Primeiro país cristão
A Armênia é considerada “o primeiro país cristão”, pois o rei Tiridates III proclamou o Cristianismo como religião de Estado em 301, ainda antes do Império Romano, sob o impulso de São Gregório, o Iluminador.
O rito armênio é um dos mais antigos do Cristianismo do Oriente, com origens que remontam à época apostólica com Tadeus e Bartolomeu – considerados os Apóstolos do país.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

24 DE JUNHO: SOLENIDADE DA NATIVIDADE DE SÃO JOÃO BATISTA

Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes

Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista. Santo que, juntamente com a Santíssima Virgem Maria, é o único a ter o aniversário natalício recordado pela liturgia.

São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou seu nome ao seu pai, Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho. Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista, na qual, à beira do Rio Jordão ou Mar Morto, vivia em profunda penitência e oração.

Pode-se chegar a essa conclusão a partir do texto de Mateus: “João usava um traje de pêlo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre”. O que o tornou tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”).

Como nos ensinam as Sagradas Escrituras: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mateus 3,11).

Os Evangelhos nos revelam a inauguração da missão salvífica de Jesus a partir do batismo recebido pelas mãos do precursor João e da manifestação da Trindade Santa. São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Messias aparecesse.

Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, acabando decapitado devido ao ódio de Herodíades, que fora esposa do irmão deste [Herodes], com a qual este vivia pecaminosamente.

O grande santo morreu na santidade e reconhecido pelo próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João , o Batista” (Mateus 11,11).

São João Batista, rogai por nós!

Fonte: Site da Canção Nova

quinta-feira, 23 de junho de 2016

PAPA NA ARMÊNIA: SERVO DO EVANGELHO, MENSAGEIRO DE PAZ

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco saudou o povo armênio, nessa quarta-feira (22/06), numa vídeo-mensagem, em vista da 14ª viagem apostólica internacional que terá início amanhã. A Armênia é a primeira etapa da visita do Pontífice ao Cáucaso.
“Daqui a pouco terei a alegria de estar entre vocês, na Armênia”, disse Francisco, pedindo ao povo armênio para rezar por esta viagem apostólica. 
Primeiro país cristão 
“Venho com a ajuda de Deus para fazer, como diz o lema da viagem, uma ‘visita ao primeiro país cristão’. Venho como um peregrino, neste Ano Jubilar, para haurir a sabedoria antiga de seu povo e beber das fontes de sua fé, rochosa como suas cruzes famosas esculpidas na pedra.”
“Venho às alturas místicas da Armênia como um irmão, animado pelo desejo de ver os seus rostos, de rezar junto com vocês e partilhar o dom da amizade. A história e as vicissitudes de seu povo amado causam em mim admiração e dor. Admiração porque vocês encontraram na cruz de Jesus e em sua inteligência a força de se reerguer sempre, até mesmo dos sofrimentos que estão entre os mais terríveis que a humanidade recorda. A dor pelas tragédias que os seus pais viveram em sua carne”, frisou o Papa Francisco.
Esperança
“Não permitamos que as recordações dolorosas tomem posse de nosso coração; mesmo diante dos ataques repetidos do mal, não nos rendamos. Façamos como Noé que depois do dilúvio não se cansou de olhar para o céu e libertar várias vezes a pomba, até que uma vez ela retornou a ele levando um ramo novo de oliveira. Era o sinal de que a vida podia recomeçar e a esperança devia ressurgir”, disse ainda o Santo Padre. 
Francisco destacou ainda na vídeo-mensagem que "como servo do Evangelho e mensageiro de paz" ele deseja ir à Armênia para apoiar todo esforço no caminho da paz e partilhar os passos na estrada da reconciliação que gera esperança. 
Ecumenismo
“Os grandes santos de seu povo, especialmente o Doutor da Igreja Gregório de Narek, abençoem os nossos encontros, que aguardo com grande desejo. Em particular, espero abraçar novamente o meu Irmão Karekin e, junto com ele, renovar o nosso caminho rumo à unidade plena”, frisou ainda o Papa. 
Francisco recordou na vídeo-mensagem que, no ano passado, os armênios vieram a Roma de vários países e rezaram junto com o pontífice no túmulo de São Pedro. “Agora, venho a essa terra abençoada para reforçar a nossa comunhão, prosseguir no caminho da reconciliação e nos deixar animar pela esperança”, concluiu o Pontífice.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

PARABÉNS DOM ORANI!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 23 de junho de 2016, recorda 66º aniversário natalício de Dom Orani João Cardeal Tempesta e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse Pastor e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Dom Orani João Cardeal Tempesta, atualmente, reside e serve à Igreja como Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro e, como Cardeal, auxilia o Santo Padre Francisco na administração da Igreja Universal.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

DIOCESES DE RORAIMA (RR) E SÃO CARLOS (SP) TÊM NOVOS BISPOS

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco fez duas transferências de bispos para o Brasil.
O então Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Manaus, Dom Mário Antônio da Silva, foi transferido para a Diocese de Roraima (RR).  Dom Mário completará 50 anos no próximo mês de outubro e é bispo desde 2010. Atualmente, é também Presidente do Regional Norte 1 da CNBB.
A Diocese de São Carlos (SP) também tem novo Bispo: trata-se de Dom Paulo Cezar Costa, até então Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Dom Paulo completará 49 anos em julho e foi ordenado Bispo em fevereiro de 2011.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

PAPA: "NÃO TENHAM MEDO DE TOCAR O POBRE E EXCLUÍDO"

Cidade do Vaticano (RV) – A catequese do Papa nesta quarta-feira (22/06) foi centrada no texto evangélico de Lucas que narra o milagre da cura do leproso. Cerca de 20 mil pessoas encheram a Praça São Pedro para a audiência semanal, quando Francisco se encontra de perto com fiéis, peregrinos, turistas e romanos. Antes de tomar posição, o Pontífice deu a habitual volta pela praça com o Papamóvel, cumprimentando e sorrindo para todos.
A lepra, naquela época, era considerada uma maldição, uma impuridade; e portanto, o leproso tinha que ficar afastado, longe do templo, de Deus e dos homens. Na narração de Lucas, o leproso não aceita estas leis, as desrespeita e entra na cidade, procurando Jesus.
“Ao ver Jesus, ele caiu com o rosto em terra e suplicou-lhe: “Senhor, se queres, tens o poder de purificar­-me”. Descrevendo o episódio, Francisco explicou que com este gesto, o homem reconhece o poder de Jesus. E a sua fé dizia que Jesus podia curá-lo. Esta súplica mostra que com Jesus, são suficientes poucas palavras, mas acompanhadas pela confiança em sua onipotência e bondade. “Entregar-nos à vontade de Deus significa confiar em sua infinita misericórdia”.  
O Papa, improvisando, revelou aos presentes que antes de dormir, reza 5 Pai-nosso, pensando nas chagas de Jesus, e pede que o purifique.
Quando o leproso pede a purificação, Jesus faz algo inconcebível: estende a mão e toca o leproso. O Papa fez então uma comparação conosco, nos dias de hoje:
“Quantas vezes encontramos um pobre e, mesmo sendo generosos e sentindo compaixão, não o tocamos. Oferecemos uma moeda, mas evitamos tocar sua mão. Esquecemos que aquele é o corpo de Cristo! Jesus nos ensina a não ter medo de tocar o pobre e o excluído, porque Ele está neles. Tocar o pobre pode nos purificar da hipocrisia e nos preocupar por sua exclusão”.
Improvisando novamente, Francisco apresentou alguns jovens que subiram com ele à tribuna de onde profere a catequese:
“Muitos pensam que seria melhor que eles tivessem permanecido em suas terras... mas ali eles estavam sofrendo. São os nossos refugiados, mas muitos os consideram excluídos. Por favor, eles são nossos irmãos!”
Enfim, depois de curar o leproso, Jesus recomendou que não o contasse para ninguém: “Mostra-te ao sacerdote e apresenta por tua purificação a oferenda prescrita por Moi­sés. Isso lhes servirá de testemunho”. Para o Pontífice, esta ordem demonstra três coisas.
A primeira é que a graça do Senhor não quer sensacionalismo; age com discrição e sem clamor. A segunda é que ao apresentar oficialmente a sua cura e celebrar um sacrifício, o leproso foi readmitido na comunidade e na vida social. A sua reintegração completa a cura. E enfim, apresentando-se aos sacerdotes, o leproso dá testemunho do poder e da compaixão de Jesus. A fé do homem se abre à missão. “Ele era um excluído e se tornou um de nós”.
O Papa concluiu convidando os fiéis a acreditarem:
“Mas pensemos em nós, nas nossas misérias… com sinceridade. Quantas vezes as cobrimos com a hipocrisia das ‘boas maneiras’. É precisamente então que é preciso estar a sós, ajoelharmo-nos diante de Deus e rezar: ‘Senhor, se quiseres, podes purificar-me!’”.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

terça-feira, 21 de junho de 2016

18 ANOS DO CARMELO SÃO JOSÉ NA DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

Neste dia 20 de Junho de 2016 foram comemorados os 18 anos de fundação do Carmelo São José em nossa Diocese.

Em celebração eucarística presidida pelo Provincial da Ordem, Frei Cleber da Trindade, concelebrada pelo Padre Carlos Renato de Carvalho (representando o Bispo Dom Dario) e Monsenhor Rômulo Zagotto (participante ativo na vinda e solidificação do Carmelo em Cachoeiro), a comunidade local e os amigos do Carmelo se reuniram para louvar a fundação, onde as antigas e as novas vocações se juntaram para celebrar a alegria no amor fraterno.

Fundado a partir do Carmelo Santa Teresinha (Fortaleza-CE) pela vinda de Irmãs que aceitaram o convite do então Bispo Diocesano Dom Luiz Mancilla Vilela, a Ordem Carmelita Descalça passou a estar presente na Diocese de Cachoeiro com as Monjas de Vida Contemplativa, trazendo a riqueza espiritual de amor caridoso ao Senhor, meditados e vividos pelos santos carmelitas como Santa Tereza, São João da Cruz e Santa Terezinha.

"Dá-nos muito ânimo vermos praticados por outros com tanta suavidade, sacrifícios que nos parecem impossíveis de abraçar.  Vendo seus altos voos, nós nos atrevemos a voar também."
(Santa Teresa de Jesus - "Castelo Interior ou Moradas")


Agradecimento especial à André Fachetti pelas informações e fotos disponibilizadas.

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim