terça-feira, 30 de junho de 2015

DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CELEBROU O SEU PADROEIRO

“Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja.”

A Igreja Celebrou no dia 29 de junho a festa de dois grandes pilares do cristianismo, São Pedro e São Paulo. Para a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim a data é ainda mais especial, pois é dia de celebrar o seu Padroeiro: o primeiro Papa, a Pedra na qual a Igreja de Cristo foi edificada, São Pedro.


Catedral marca o início da Procissão

A Catedral de São Pedro, em Cachoeiro de Itapemirim, foi o ponto de partida para a procissão pelas ruas da cidade. Com apoio de um trio elétrico, que amplificou a demonstração de fé de milhares de fieis, o cortejo seguiu pela Avenida Beira Rio. Ao longo do trajeto a multidão seguiu cantando as músicas com animação e, também, refletindo sobre as quatro colunas que pavimentaram a Assembleia Diocesana realizada no ano passado: Palavra de Deus, Comunhão Fraterna, Eucaristia e Oração. As reflexões foram conduzidas pelo Pe. Gelson de Souza, Coordenador Diocesano de Pastoral.



Missa na Ilha da Luz reuniu multidão de fieis

Após, aproximadamente, 1h de caminhada, a procissão chegou ao Pavilhão de Eventos da Ilha da Luz, onde foi realizada a Santa Missa presidida pelo Bispo Diocesano Dom Frei Dario Campos, O.F.M. e concelebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Vitória do Espírito Santo - Dom Luiz Mancilha Vilela, ss.cc. e pelo bispo auxiliar daquela arquidiocese Dom Rubens Sevilha, O.C.D., respectivamente, e pelos presbíteros da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, além de dois presbíteros da Diocese de São Mateus. 
A Missa, também, contou com a participação dos diáconos, seminaristas, religiosas (os) da Diocese e autoridades civis do Município de Cachoeiro de Itapemirim, além, é claro, de uma multidão que representou o povo da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.

Além de Celebrar São Pedro, a Missa também marcou o início oficial da Peregrinação da réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida, que percorrerá todas as paróquias da Diocese entre 2015 e 2017, em comemoração aos 300 anos de Aparecida.


Dom Dario destaca Maria e São Pedro

Em sua homilia o Bispo Diocesano Dom Frei Dario Campos, O.F.M., ressaltou duas figuras importantes no seguimento a Jesus Cristo: Maria e São Pedro.

Sobre Maria, Dom Dario destacou sua humildade, amor e obediência, qualidades estas que nortearam a vida de Jesus Cristo e, hoje, estão presentes em tantas mães, que assim como Maria confortam seus filhos caídos e oprimidos pela violência, drogas, enfermidades, entre tantos outros motivos de quedas, erros e sofrimentos. Tantas Marias que mostram aos seus filhos que eles não estão sozinhos.

“Senhora Aparecida, Mãe dos caminhantes, Mãe de nossa Pátria, ensina-nos a caminhar, caminha conosco. Restauram-nos sempre com sua companhia, em nossa Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Entra, ó Mãe de Jesus, em nossas casas, nossas vidas, nossos trabalhos. Com sua bênção sincera, com seu Filho Jesus, dai-nos a graça, para que o desejo do Seu Filho seja cumprido nessa terra”, disse o Bispo Diocesano.

Já sobre São Pedro, Dom Dario salientou as contradições que marcaram a vida do Santo Apóstolo, ora forte, corajoso e confiante, ora medroso, fraco e cheio de temor, mas acima de tudo a rocha que Cristo escolheu para edificar a sua Igreja. Pedro, a rocha, deixou seu barco, sua família, para tornar-se pescador de homens, o primeiro líder da Igreja de Cristo.

“São Pedro, ensina-nos a sermos mensageiros da paz, missionários do amor, a paz de Jesus Cristo. São Pedro, podemos contar com vossa presença em nossa caminhada. Proteja-nos em nosso caminho rumo a Casa do Pai”, finalizou Dom Dario Campos.


Plano de Pastoral e Nossa Senhora Aparecida.

Ao final da Missa foi apresentado e entregue, pelo Pe. Gelson de Souza, o Plano Diocesano de Pastoral, que guiará os passos da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim nos próximos anos em seu caminho Pastoral. O Plano de Pastoral é fruto das reflexões e demandas surgidas na Assembleia Diocesana realizada em 2014.

A réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida foi entregue nas mãos do Pe. Levy Ferreira das Neves e Marco Antônio Shwan, representando a Paróquia São Paulo Apóstolo, Pequiá, que é a primeira Paróquia a receber a imagem que percorrerá todas as 42 paróquias da Diocese.

A peregrinação da imagem de Nossa Senhora Aparecida será encerrada no dia 29 de junho de 2017.

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

sábado, 27 de junho de 2015

REFLEXÃO PARA SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO

Cidade do Vaticano (RV) – A Liturgia reúne em uma única celebração os dois grandes apóstolos: Pedro, o escolhido para conduzir a Igreja e confirmar seus irmãos na fé e Paulo, o eleito por Deus, para ser o Evangelizador, aquele que com suas cartas e suas pregações refletiu e ensinou de modo profundo e singular as palavras do Mestre.
A primeira leitura extraída dos Atos dos Apóstolos nos fala da perseguição perpetrada por Herodes Agripa aprisionando Pedro, após perceber a satisfação dos judeus ao verem Tiago, irmão de João Evangelista, ser morto à espada.
A Igreja, sem parar, rezou por seu Pastor e Deus a ouviu enviando um anjo para libertar Pedro.
Na segunda leitura, temos a despedida de Paulo onde ele diz já ter sido oferecido em libação, isto é, já está pronto para o sacrifício. Paulo conheceu, durante sua vida, após a conversão, o que é perseguição, fome, açoites, naufrágios, humilhações; tudo isso  por amor a Jesus Cristo.
Finalmente, no Evangelho de hoje vemos os discípulos responderem à pergunta de Jesus sobre quem é ele, relatando diversas opiniões. Uma delas tem origem em Herodes Antipas, aquele que mandou degolar João Batista. Ele crê que Jesus é o Batista redivivo. Para outros, o Senhor é algum dos Profetas.
Em um segundo momento o Senhor quer saber a opinião de seus discípulos, daqueles que o acompanham pelo menos há alguns anos. Pedro assume a liderança e iluminado pelo Espírito Santo responde que Jesus é o Messias, o Filho do Deus vivo!
Esse mesmo Espírito faz Pedro entender que nas ações de Jesus está a instauração da nova sociedade. Ao mesmo tempo, Jesus entende que foi o Pai quem revelou sua identidade a Pedro e o investe de autoridade para poder cumprir sua missão de confirmar seus irmãos na fé.
Portanto, a entrega de nossa vida ao Pai, deverá ser como a dos Apóstolos. Entrega radical, plena, sem guardarmos nada para nós, mas visando apenas o interesse do Reino de Deus.
Muitas vezes nos fixamos na grandeza e na beleza de ser papa, de ser bispo ou simplesmente ser um sacerdote, mas junto a todas essas missões, encontramos o lado da renúncia, da abnegação de si mesmo e a aceitação de abraçar a cruz quando se fizer necessário.
Será exatamente nessa ocasião que o missionário, o apóstolo precisará das orações da Igreja, não tanto para libertá-lo da dor e da morte, mas para torná-lo forte e firme na fé e dar o testemunho como Deus deseja.
Mas ao falarmos em testemunhar a fé em Deus, é bom deixar claro que essa ocasião não é somente no martírio explícito, mas cotidianamente o missionário, o apóstolo é chamado a demonstrar por atos que crê em Deus. Por isso, rezar sempre pelos nossos pastores, por aqueles que gastam sua vida em nos confirmar na fé, é imperioso!
Celebrar São Pedro e São Paulo não será apenas louvar essas duas colunas da fé, mas rezar mais por aqueles que os sucedem na missão de governar a Igreja e propagar o Evangelho, além de ter por eles um carinho especial. (Padre César Augusto dos Santos, SJ)
Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 26 de junho de 2015

FESTA DUPLA: SÃO PEDRO E INÍCIO OFICIAL DA PEREGRINAÇÃO DA IMAGEM DA RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL NA DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM



Na próxima segunda-feira, 29, a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim celebrará o seu Padroeiro, São Pedro.

Como é tradição, haverá a Procissão com a imagem de São Pedro, saindo da Catedral, às 16h, com destino ao Pavilhão de Eventos da Ilha da Luz, onde haverá a Missa Presidida pelo bispo diocesano Dom Dario Campos, concelebrada pelos presbíteros da diocese, com a presença dos diáconos, seminaristas, religiosas (os) e povo em geral.

O dia 29 de junho, também, marcará o início da peregrinação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida (réplica da imagem exposta no Santuário Nacional de Aparecida – SP), que percorrerá todas as paróquias da diocese, entre 2015 e 2017.

A primeira a receber a imagem será a Paróquia São Paulo Apóstolo, Pequiá. A imagem seguirá pelas paróquias do Regional V, continuando a peregrinação por todas as Paróquias, até o dia 29 de junho de 2017.

A Peregrinação faz parte da comemoração dos 300 anos do descobrimento da imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas do Rio Paraíba do Sul.

O Projeto

Tendo como tema Rumo aos 300 Anos de Bênçãos: Com a Mãe Aparecida, Juventude  em Missão”, o projeto está baseado em três eixos centrais; Missão, Capacitação e Estrutura de Acompanhamento.

Em clima de Pós Jornada Mundial da Juventude (2013), o Projeto foi construído a partir da criatividade da Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional e dos Bispos Referenciais Regionais, e pretende ser uma oportunidade especial para o desenvolvimento dos três objetivos principais apontados nas conclusões do Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil que aconteceu em dezembro de 2013: a missionariedade dos jovens, o crescimento da assessoria e o fortalecimento do setor juventude nas dioceses.

Veja o cronograma da Peregrinação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida pela Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.

Regional V

Pequiá – 29 de junho a 12 de julho.
Irupi – 12 a 26 de julho.
Iúna – 26 de julho a 09 de agosto.
Ibatiba – 09 a 23 de agosto.
Piaçu – 23 de agosto a 06 de setembro.
Muniz Freire – 06 a 20 de setembro.

Regional VI

Jerônimo Monteiro – 20 de setembro a 04 de outubro.
Alegre – 04 a 18 de outubro.
Celina – 18 de outubro a 01 de novembro.
Divino São Lourenço – 01 a 15 de novembro.
Dores do Rio Preto – 15 a 29 de novembro.
Guaçuí – 29 de novembro a 13 de dezembro.

Regional VII

São José do Calçado – 13 a 27 de dezembro.
Bom Jesus do Norte – 27 de dezembro a 10 de janeiro de 2016.
Apiacá – 10 a 24 de janeiro de 2016.

Regional IV

Atílio Vivácqua – 24 de janeiro a 07 de fevereiro de 2016.
Mimoso do Sul – 07 a 21 de fevereiro de 2016.
Área Pastoral de Conceição de Muqui – 21 de fevereiro a 06 de março de 2016.
Muqui – 06 a 20 de março de 2016.

Regional III

Aracuí – 20 de março a 03 de abril de 2016.
 Castelo – 03 a 17 de abril de 2016.
Conceição do Castelo – 17 de abril a 1 de maio de 2016.
Venda Nova do Imigrante – 1 a 15 de maio de 2016.

Regional VIII

Vargem Alta – 15 a 29 de maio de 2016.
Jacigua – 29 de maio a 12 de junho de 2016.
Soturno – 12 a 26 de junho de 2016.

Regional I

Rio Novo do Sul – 26 de junho a 10 de julho de 2016.
Iconha  - 10 a 31 de julho de 2016.
Piúma – 31 de julho a 14 de agosto de 2016.
Itaipava – 14 a 28 de agosto de 2016.
Itapemirim – 28 de agosto a 11 de setembro de 2016.
Marataízes – 11 a 25 de setembro de 2016.
Presidente Kennedy – 25 de setembro a 09 de outubro de 2016.

Regional II – Cachoeiro de Itapemirim

Nosso Senhor dos Passos (Independência) – 09 de outubro a 06 de novembro de 2016.
São Sebastião (Aquidaban) – 06 de novembro a 04 de dezembro de 2016.
Nossa Senhora do Consolação (Guandu) – 04 de dezembro a 01 de janeiro de 2017.
Nossa Senhora da Penha (BNH) – 01 a 29 de janeiro de 2017.
Nossa Senhora Aparecida (Itaóca) – 29 de janeiro a 26 de fevereiro de 2017.
São Filipe (Aeroporto) – 26 de fevereiro a 19 de março de 2017.
Nossa Senhora das Graças (IBC) – 19 de março a 16 de abril de 2017.
Sagrados Corações (Nova Brasília) – 16 de abril a 14 de maio de 2017.
Santíssimo Sacramento (Paraíso) – 14 de maio a 11 de junho de 2017.
São Pedro – Catedral – 11 a 29 de junho de 2017.


Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

ENCONTRO REGIONAL DE CATEQUESE (ESPÍRITO SANTO E MINAS GERAIS)


A Comissão para Animação Bíblico-Catequética do Regional Leste 2 (Minas Gerais e Espírito Santo) realiza nos dias os dias 22 a 26 de julho, na Casa de Retiros São José, em Belo Horizonte (MG), o Encontro Regional de Catequese.

O tema abordado neste ano será “A catequese na era digital”. A proposta é refletir sobre a evangelização e educação da fé da geração NET; compreender a internet como lugar de evangelização e como as diversas redes sociais podem contribuir na transmissão da fé. Além disso, a midiatização da religião e seu impacto para a vivência da fé também fazem parte da pauta de discussão.

A programação terá início na quinta-feira, 23, com o tema “A Catequese na era digital. A nova evangelização e geração net”, que será assessorado pela jornalista, especialista nas áreas de Ciberteologia e Cibercultura e mestre em Teologia pela PUC do Rio Grande do Sul, Aline Amaro da Silva. Na sexta-feira, 24, a Ir. Joana Puntel, doutora em Cultura da Comunicação, autoras de vários livros nesta área, irá tratar o tema Midiatização da Religião e Redes Sociais e Catequese. 

Os dois últimos dias, 25 e 26, serão dedicados a outros temas de atualização catequética. O professor da PUC-Minas e mestre em teologia, Edward  Guimarães, irá refletir sobre “As Novas Diretrizes e a catequese” e a equipe de catequese do regional fará apresentação do “Itinerário catequético” publicado pela comissão nacional de catequese.

A expectativa da Comissão para Animação Bíblico-Catequética do Regional Leste 2 é reunir o maior número de lideranças da catequese das (arqui)dioceses de Minas Gerais e Espírito Santo e promover uma reflexão sobre desafios e oportunidades para a catequese na era digital.

O Encontro Regional de Catequese é direcionado a membros das equipes de coordenação diocesanas de catequese, alunos do IRPAC e pessoas com  experiência catequética.  As inscrições podem ser feitas até o dia 17 de julho com a Coordenação de Catequese da sua (Arqui)diocese.


Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

quarta-feira, 24 de junho de 2015

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO É VOTADO EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM


Os vereadores da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim aprovaram por unanimidade, em sessão solene realizada ontem (23), o Plano Municipal de Educação que será seguido nos próximos 10 anos no Município.

Havia a preocupação que o Plano contemplasse a promoção da “ideologia do gênero”, fato este negado pelos vereadores em suas justificativas de voto, que foram unânimes em afirmar que tal assunto não chegou a ser inserido no plano de educação pela comissão que o elaborou, salientando que o Plano Municipal de Educação foi muito bem elaborado.

Contudo, para evitar que possíveis interpretações futuras fossem realizadas, encontrando brechas na subjetividade dos termos, no sentido de promover a “ideologia do gênero”, foram adicionadas emendas ao projeto inicial, que salvaguardam os valores cristãos no assunto.

São elas:

Emenda Aditiva ao Projeto de Lei Nº 123/2015 – 2025. Sobre Plano Municipal de Educação – PME.

Meta 7 – Estratégias de nº. 11 do projeto de lei 123/2015 a 2025, passa a vigorar com a seguinte redação:

11 – Selecionar e utilizar tecnologias, identificadas como recursos educacionais abertos, para a educação infantil e o ensino fundamental, incentivando práticas pedagógicas inovadoras que promovam a melhoria do fluxo escolar e a aprendizagem, assegurada a diversidade de métodos e propostas pedagógicas, bem como acompanhamento dos resultados pelo sistema municipal de ensino, respeitando todo e qualquer tipo de princípio cultural, biológico, étnico e religioso que valorize o conceito de família.

Justificativa

Apresentamos a referida emenda aditiva com objetivo de especificar e adicionar a importância de respeitar todo e qualquer tipo de expressões que seja na cultura, religião, etnia e princípios éticos da família. No que é digno de serem reconhecidos.

Emenda Aditiva ao Projeto de Lei Nº 123/2015 – 2025. Sobre Plano Municipal de Educação – PME.

14 – Acompanhar as ações da Coordenadoria de Educação Especial e do Direito à Diversidade, no que se refere ao cumprimento das normas legais pertinentes à Educação inclusiva no município, respeitando todo e qualquer princípio cultural, biológico, étnico e religioso que valorize a família.

Justificativa

Apresentamos a referida emenda aditiva com objetivo de especificar e adicionar a importância de respeitar todo e qualquer tipo de expressões que seja na cultura, religião, etnia e princípios éticos da família. No que é digno de serem reconhecidos.

Assinam as emendas os vereadores: José Carlos Amaral, Luis Guimarães de Oliveira e Delandi Pereira Macedo.

A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim esteve representada na sessão pelo Frei Agostinho Morosini, Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, e por membros da Pastoral Familiar, entre eles o diácono Sérgio Ricardo Secchim Ribeiro, que tiveram participação com sugestões na elaboração das emendas.


Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim






DIOCESES DE BLUMENAU E BOM JESUS DA LAPA TÊM NOVOS BISPOS

Cidade do Vaticano (RV) – Duas dioceses brasileiras têm novos bispos. O Papa Francisco nomeou Bispo da Diocese de Bom Jesus da Lapa (BA), Dom João Santos Cardoso, transferindo-o da diocese de São Raimundo Nonato (PI).
Dom João Santos Cardoso nasceu em 1961 em Dário Meira, na Diocese de Jequié, no Estado da Bahia. Foi nomeado Bispo de São Raimundo Nonato em dezembro de 2011, recebendo a ordenação em fevereiro de 2012.
Também a Diocese de Blumenau (SC) tem novo bispo: Dom Rafael Biernaski, até então Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba (PR).
Dom Rafael Biernaski nasceu em novembro de 1955 em Curitiba. Durante 15 anos foi oficial da Congregação para os Bispos, no Vaticano. Neste período, colaborou com o Programa Brasileiro da Rádio Vaticano. Foi nomeado Bispo Auxiliar de Curitiba em fevereiro de 2010, recebendo a ordenação dois meses depois.
Fonte: Site da Rádio Vaticano

PAPA: "PROTEGER OS FILHOS DOS RESSENTIMENTOS DO CASAL"

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta quarta-feira de céu nublado na capital italiana, o Papa concedeu a sua última audiência antes da pausa de verão, prevista para o mês de julho. A Praça São Pedro recebeu o Pontífice com o carinho habitual, aplaudindo a passagem do papamóvel. Dezenas de milhares de fiéis, turistas e romanos presenciaram o encontro.

Nas últimas catequeses, prosseguindo no tema das Famílias, o Papa analisou algumas fragilidades da condição humana, como a pobreza, a doença e a morte. Desta vez, Francisco quis refletir sobre as feridas que surgem no âmbito da convivência, “quando a família machuca a si mesma”... “a pior coisa!”, disse o Papa. “Palavras, ações e omissões que, em vez de exprimir amor, corroem-no e mortificam-no”.    

Feridas
“E quando as feridas são subestimadas, acabam degenerando, se transformam em prepotência, hostilidade e desprezo. O esvaziamento do amor conjugal gera ressentimentos e a desagregação do casal recai sobre os filhos”, advertiu.

“Quando os adultos perdem cabeça, quando cada um pensa apenas em si mesmo, quando o pai e a mãe se agridem, a alma dos filhos sofre imensamente, sentem-se desesperados. E nós? Não obstante a nossa sensibilidade, tão evoluída, parece que ficamos anestesiados diante das feridas profundas nas almas das crianças”. 

Reflexo nos filhos
Francisco continuou dizendo que “na família, tudo está interligado. Quando um homem e uma mulher, que se comprometeram a ser ‘uma só carne’ e formar uma família, pensam obsessivamente nas próprias exigências de liberdade e gratificação, esta distorção fere profundamente o coração e a vida dos filhos. 

“Temos que entender bem isso: o marido e a mulher são uma só 
carne; mas as suas criaturas são carne da sua carne. Quando se pensa na dura advertência que Jesus fez aos adultos para não escandalizarem os pequeninos, pode-se compreender melhor a sua palavra sobre a grave responsabilidade de salvaguardar o vínculo conjugal que dá início à família humana. Quando o homem e a mulher se tornam uma só carne, todas as feridas e todo o abandono do pai e da mãe incidem na carne viva dos filhos”. 

Indiferença
O Papa fez uma ressalva: “Há casos em que a separação é inevitável; às vezes pode se tornar até moralmente necessária, quando se fala de salvar o cônjuge mais frágil, ou filhos pequenos, de feridas causadas pela prepotência e a violência, das humilhações e da exploração, da indiferença. Terminando a catequese, o Pontífice destacou a questão do acompanhamento pastoral, por ele muito sublinhada no âmbito dos debates do Sínodo Extraordinário sobre a Família e ressaltada também como central no próximo encontro sinodal, em outubro:

“Ao nosso redor, há muitas famílias que se encontram na situação chamada ‘irregular’ (palavra de que não gosto). Nós nos perguntamos: Como ajudá-las? Como acompanhá-las para que as crianças não sejam ‘reféns’ do pai ou da mãe? Peçamos ao Senhor uma fé grande para vermos a realidade com o olhar de Deus; e uma caridade grande, para nos aproximarmos destas pessoas com coração misericordioso”. (CM)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

24 DE JUNHO: SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE SÃO JOÃO BATISTA

Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista. Santo que, juntamente com a Santíssima Virgem Maria, é o único a ter o aniversário natalício recordado pela liturgia.
São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou o seu nome ao seu pai, Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho. Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista, na qual, à beira do Rio Jordão ou Mar Morto, vivia em profunda penitência e oração.
Pode-se chegar a essa conclusão a partir do texto de Mateus: “João usava um traje de pêlo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre”. O que o tornou tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”).
Como nos ensinam as Sagradas Escrituras: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo”(Mateus 3,11).
Os Evangelhos nos revelam a inauguração da missão salvífica de Jesus a partir do batismo recebido pelas mãos do precursor João e da manifestação da Trindade Santa. São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Messias aparecesse.
Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, acabando decapitado devido ao ódio de Herodíades, que fora esposa do irmão deste [Herodes], com a qual este vivia pecaminosamente.
O grande santo morreu na santidade e reconhecido pelo próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João , o Batista” (Mateus 11,11).
São João Batista, rogai por nós!
Fonte: Site da Canção Nova

terça-feira, 23 de junho de 2015

SÍNODO DA FAMÍLIA: APRESENTADAS AS DIRETRIZES PARA A SESSÃO ORDINÁRIA

Cidade do Vaticano (RV) – O Instrumento de trabalho do Sínodo ordinário sobre a família foi apresentado na manhã desta terça-feira (23/06) na Sala de Imprensa da Santa Sé. O documento inclui a Relatio Synodi – texto conclusivo do precedente Sínodo realizado em outubro de 2014 – integrado com a síntese das respostas ao questionário proposto no decorrer do ano a todas as Igrejas do mundo.
O Instrumento está divido em três partes: a escuta dos desafios sobre a família, o discernimento da vocação familiar e a missão da família hoje.
Não à remoção da diferença sexual
Quanto a este ponto, evidenciam-se as “contradições culturais” da nossa época, em que se diz que “a identidade pessoal e a intimidade afetiva devem afirmar-se numa dimensão radicalmente desvinculada da diversidade biológica entre homem e mulher” ou em que se pretender reconhecer o matrimônio a casais compostos independentemente da diversidade sexual. Daqui o chamado a um “melhor aprofundamento humano e cultural, não somente biológico, da diferença entre os sexos” porque a sua remoção “é o problema, não a solução”.
Família, pilar fundamental da sociedade
O Instrumentum chama em causa também as “contradições sociais” que levam à dissolução da família: guerras, migrações, pobreza, exploração, cultura do descartável, conjuntura econômica “desfavorável e ambígua”, enquanto as instituições falham, incapazes de amparar os núcleos familiares. Estes, ao invés, “pilar fundamental e irrenunciável do convívio social”, necessitam de “políticas adequadas”.
Dignidade para idosos e deficientes. Pastoral especifica para famílias migrantes
O documento ressalta a importância da família como instrumento de inclusão, sobretudo de categorias frágeis, como os viúvos, os idosos e os deficientes. Cita-se ainda a importância de uma pastoral específica para as famílias migrantes, sobretudo em contextos onde não existe um acolhimento autêntico, para não alimentar fenômenos de fundamentalismo. E o drama cresce quando a migração é ilegal, promovida por “circuitos internacionais de tráfico de seres humanos”. O Instrumentum destaca também o papel das mulheres, recordando suas chagas – exploração, violência, aborto, útero de aluguel – e auspiciando uma valorização de sua figura na Igreja.
Sacramento indissolúvel do matrimônio
A segunda parte reafirma a indissolubilidade do matrimônio sacramental, mas recorda, ao mesmo tempo, que a Igreja deve “acompanhar” os momentos de sofrimento conjugal, numa ótica de misericórdia que “nada tira à verdade” da fé. “Todos têm necessidade de dar e receber misericórdia”, lê-se na terceira parte, e “alguns pedem que também a Igreja demonstra uma atitude análoga em relação àqueles que romperam a união”.  O documento retoma, portanto, um ponto-chave da Relatio Synodi, isto é, o dos casos de nulidade matrimonial: quanto à gratuidade dos processos, registra-se um amplo consenso.
Reavaliar as formas de exclusão litúrgico-pastorais dos divorciados recasados
Sobre os divorciados recasados, auspicia-se uma reflexão sobre a oportunidade de eliminar “as formas de exclusão atualmente praticadas no campo litúrgico-pastoral, educativo e caritativo” porque estes fiéis “não estão fora da Igreja”. Os caminhos de integração pastoral devem ser precedidos por “oportuno discernimento” e realizados “segundo uma lei gradual de respeito do amadurecimento das consciências”. Quanto à Eucaristia para os divorciados recasados, o  Instrumentum evidencia “o acordo comum” sobre a hipótese de uma “via penitencial” sob a autoridade de um bispo. Por fim, embora mantém-se a contrariedade da Igreja quanto às uniões homossexuais, se reitera que “toda pessoa, independentemente da própria tendência sexual, deve ser respeitada na sua dignidade e acolhida, com sensibilidade e delicadeza, na Igreja e na sociedade”. Daqui, os votos de projetos pastorais específicos para as pessoas homossexuais e suas famílias.
O documento termina recordando o Jubileu extraordinário da Misericórdia, que terá início em 8 de dezembro próximo, à luz do qual se insere o Sínodo. A Assembleia episcopal está programada de 4 a 25 de outubro, sobre o tema “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”. (RB)
Fonte: Site da Rádio Vaticano

PARABÉNS DOM ORANI!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 23 de junho de 2015, recorda o 65º aniversário natalício de Dom Orani João Cardeal Tempesta, O.Cist. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse Pastor e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Dom Orani João Cardeal Tempesta, O.Cist., atualmente, reside e serve a Igreja como Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

INSTITUIÇÃO DE MINISTRO EXTRAORDINÁRIO DA PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS NA COMUNIDADE SANTA LUZIA

Aconteceu na noite do dia 21 de junho de 2015, na Comunidade Eclesial de Base "Santa Luzia", no Bairro Vila Rica, a Celebração Eucarística presidida pelo Pároco Frei Agostinho Morosini, O.A.R., na qual foi instituído ao Ministério Extraordinário da Pregação de Palavra de Deus um membro daquela comunidade eclesial.

Ao instituído, a Paróquia Nossa Senhora da Consolação roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos em seu ministério.









INSTITUIÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS NA COMUNIDADE JESUS DE NAZARÉ

Aconteceu na Comunidade Eclesial de Base "Jesus de Nazaré", no Bairro Valão, a Celebração Eucarística, presidida pelo Vigário Paroquial Frei Gustavo Barbiero Mello, O.A.R., na qual foram instituídos no Ministério Extraordinário da Pregação da Palavra de Deus alguns membros daquela comunidade eclesial.

Aos instituídos, a Paróquia Nossa Senhora da Consolação deseja que o ministério seja profícuo e cheio de bênçãos de Deus.










1º AGITA J.A.R. (JUVENTUDE AGOSTINIANA RECOLETA) EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM (ES)

Aconteceu no domingo, dia 21 de junho de 2015, no período vespertino, o 1º Agita J.A.R. (Juventude Agostiniana Recoleta), com a presença do Vigário Paroquial Frei Gustavo Barbiero Mello, O.A.R., no salão da Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação, com a participação de alguns jovens da Paróquia Nossa Senhora da Consolação e da J.A.R. de Castelo, acompanhados de Frei Ademildo.

Foi uma tarde de confraternização, oração, partilha e com certeza com aprofundamento dos laços de amizade dos jovens presentes a esse encontro, sendo tudo isso iluminado pela espiritualidade agostiniana recoleta.

Peçamos a Deus que o Nosso Pai Santo Agostinho possa continuar a iluminar a caminhada de nossos jovens.








BÊNÇÃO DAS ROSAS E PÉTALAS DE ROSAS EM HONRA A SANTA RITA DE CÁSSIA

Neste dia, 22 de junho de 2015, segunda-feira, haverá a bênção das rosas e pétalas de rosas em honra a Santa Rita de Cássia, na missa das 19h, na Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação.

Convidamos a você fiel e devoto de Santa Rita de Cássia para trazer sua rosa para sere abençoada.

Santa Rita de Cássia, rogai por nós!

domingo, 21 de junho de 2015

REFLEXÃO PARA O 12º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO B

Cidade do Vaticano (RV)O tema deste domingo é a expectativa humana, em meio a seus sofrimentos, em relação à ação de Deus.
Jó, na primeira leitura, deseja que Deus prove sua inocência, já que os amigos afirmam que seus sofrimentos são decorrentes de suas más ações. Após ser liberto de todos os males, Jó agradece a Deus e pede perdão por sua arrogância.
No Evangelho, a agitação pertence aos discípulos que sofrem com uma tempestade quando estão em um barco. Jesus também está a bordo, Mas dorme. Essa aparência de um total desinteresse pela angústia dos discípulos, faz com que eles interpelem o Senhor, questionando-O.
Isso demonstra uma fé, mas uma fé pequena. Demonstra fé porque recorrem a Jesus, mas demonstra uma fé pequena porque dizem que o Senhor não se importa com que sofram um acidente.
Jesus responde mandando o vento e o mar se acalmarem. No momento em que tudo volta ao normal é a vez de Jesus chamar a atenção dos discípulos: “Por que sois tão medrosos, ainda não tendes fé?”
Quais são, para nós, cristãos do século XXI, as tempestades que nos apavoram, tiram nossa paz, nosso sossego, colocando em risco nossa vida e as das pessoas queridas?
Confiamos na ação de Deus, em meio a toda essa aflição? Temos esperança de que Jesus agira como agiu, quando de sua vida terrena, em favor de seus discípulos?
É necessário morrer e viver para Cristo, como nos fala São Paulo em sua carta. Feitos filhos de Deus pelo batismo, não deveremos agir como se não conhecêssemos Jesus Cristo. Se nascemos pela água e pelo espírito, é necessário sermos criaturas novas. Sabemos do perigo, dos riscos, das conseqüências, mas a fé no poder de Deus deverá nos levar a uma atitude de confiança e de paz.
Por outro lado, do mesmo modo que Jesus Cristo lutou contra tudo aquilo que tirava a paz e a alegria de seus discípulos, também nós deveremos lutar por tudo o que aflige nosso próximo, sabendo que muitas vezes Deus conta com nosso posicionamento para, através dele, realizar a ação libertadora que o irmão sofredor espera Dele.   
Padre César Augusto dos Santos SJ
Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 19 de junho de 2015

BISPO AGOSTINIANO RECOLETO, DOM AZCONA: SAIR À RUA PARA EFETIVAR OS PRINCÍPIOS DA ENCÍCLICA

Cidade do Vaticano (RV) – “Conversão ecológica” e “mudança de rota” são algumas das expressões utilizadas por Francisco em sua Encíclica sobre a ecologia - expressões que se tornam exigências para cuidar da nossa casa comum.
Para o Papa, o compromisso que todo o ser humano deve ser assumir para “mudar de rota” insere-se numa ecologia mais ampla, uma ecologia que ele define “integral, isto é, que inclua também a luta pelo desarraigamento da miséria, a atenção para com os mais indigentes e o acesso équo, para todos, aos recursos do planeta.
Estes são desafios que a Prelazia do Marajó, no extremo norte do Estado do Pará, assumiu através de seu Bispo, Dom José Luiz Azcona. 
“Uma contribuição direta, porque a problemática ecológica envolve tudo o que é Amazônia. Portanto, o homem e a mulher da Amazônia, as relações sociais, a cultura amazônica, a cultura da natureza e o sentido da criação. Eu creio que para realizar as propostas, efetivar os princípios teológicos, filosóficos, sociológicos, estatísticos que o Papa colocará, é necessário o Espírito Santo. Porque, do contrário, nos acomodamos e ficaremos de braços cruzados. Concretamente, creio que animará nós bispos e sacerdotes a sair à rua, porque não tem outra maneira senão expressar publicamente aquilo que é princípio fundamental do Cristianismo: valores humanos, vida humana, dignidade humana – tudo relacionado com as temáticas ecológicas.
O texto da Encíclica foi enviado aos bispos de todo o mundo com uma pequena nota escrita à mão pelo Papa Francisco:
“Querido irmão, no vínculo da unidade, da caridade e da paz (LG 22) em que vivemos como bispos, lhe envio a minha ‘Laudato si’’ sobre o cuidado da nossa casa comum, acompanhada pela minha bênção. Unidos no Senhor e, por favor, não esqueça de rezar por mim.”
Fonte: Site da Rádio Vaticano