segunda-feira, 31 de outubro de 2011

BRASIL TEM NOVO EMBAIXADOR JUNTO À SANTA SÉ

Cidade do Vaticano (RV) - Almir Franco de Sá Barbuda, ex-Cônsul-Geral em Washington, Estados Unidos, entregou às 11h desta segunda-feira, suas credenciais ao Papa Bento XVI.

A audiência com o Papa durou vinte minutos. Parte deles dedicada a uma conversa privada entre o novo Embaixador e Bento XVI.

Em seu discurso ao Papa, o novo Embaixador destacou a honra em representar o governo de "uma nação com mais de 68% de população católica, a maior do mundo em número de fiéis, e com o maior episcopado dos cinco continentes".

Os 185 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e o Vaticano também foram lembrados no contexto do Acordo sobre o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil, firmado em 2008 e promulgado em 2010, que passou a regulamentar o relacionamento entre os dois Estados.

A realização da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, em 2013, também foi destacada pelo novo Embaixador. "Temos consciência da importância deste acontecimento para a Igreja Católica e para os jovens católicos de todo o mundo e nos sentimos especialmente privilegiados ao vermos escolhido o Rio de Janeiro. O evento coincide com a ascensão de um Brasil novo, com menos desigualdades e com grande otimismo e fé no seu destino. O tema central escolhido por Vossa Santidade não poderia, portanto, ser mais oportuno e ter mais eco junto ao povo e, sobretudo, junto à juventude brasileira, que sem dúvida acorrerá com grande devoção e entusiasmo ao chamado de Vossa Santidade: 'Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações'. O terreno é bastante fértil para frutificar em terras brasileiras e em terras do continente americano, onde vive quase a metade da população católica do mundo", referiu Sá Barbuda.

Sobre as transformações pelas quais o Brasil tem passado nos últimos anos, o novo Embaixador lembrou que ainda há muito trabalho por ser feito para garantir a qualidade de vida dos 190 milhões de brasileiros. Contudo, destacou a vocação brasileira de mediador internacional.

"O Brasil, assim como a Santa Sé, tem procurado marcar sua atuação por iniciativas em favor da paz e de atos de solidariedade em relação a países de menor desenvolvimento, bem como por estreitar ainda mais as relações com seus vizinhos sul-americanos e com a África - continente que tanto contribuiu para a formação cultural e étnica do povo brasileiro - justamente as regiões onde é mais acentuada e ascendente a presença da Igreja Católica".

O Brasil no Vaticano

A Embaixada do Brasil é uma das 174 representações diplomáticas estrangeiras acreditadas junto à Santa Sé. De acordo com informações do site da Embaixada - vatemb.it – a "missão fundamental é representar o Governo brasileiro junto à Sé Apostólica e à Ordem de Malta, acompanhar a atuação do Papa e informar sobre o posicionamento da Santa Sé com relação a assuntos relevantes da atualidade, procedendo à análise de seus desdobramentos de cunho político". (RB)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

domingo, 30 de outubro de 2011

REFLEXÃO PARA O 31º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Cidade do Vaticano (RV) - Jesus afirma no Evangelho de hoje que não há hierarquia, mas o único valor, o valor absoluto é a fraternidade: “O maior dentre vós será vosso servo.”

Comecemos nossa reflexão a partir da leitura do Livro de Malaquias. O Profeta nos fala da corrupção que grassava entre as autoridades religiosas. Como pastores deveriam cumprir a missão de conduzir o povo para Deus, contudo foram discriminatórias e violaram o pacto com o Senhor.

No Evangelho, Jesus diz a multidão para que cumpram as orientações dos mestres da Lei, mas alerta para não imitá-los porque falam e não praticam.
Construiram uma religião do legalismo, do puro e do impuro, sem alma, sem amor, sem afetividade. Só buscam prestígio.

Jesus diz que só existe um Mestre e um Pai: Deus. Todos são filhos de Deus, por isso todos são irmãos, são iguais, sem privilégios.

O único que merece destaque é aquele que serve, que dá a vida em serviço.

A segunda leitura nos fala como proceder na evangelização: com ternura, com muito afeto ao ponto de querer também dar a vida, além do Evangelho. Não ser pesado, mas grato. Ora, Paulo passa a imagem do servo, daquele que se realiza servindo, dando a vida gratuitamente.

Que a liturgia deste domingo nos ajude a sermos servos dos irmãos. Quanto mais empenhados na missão recebida no batismo de levarmos aos demais a verdade de que Jesus Cristo é Deus encarnado e nosso redentor, que Deus nos ama incondicionalmente, e demonstrarmos isso através de um relacionamento fraterno, mais seremos servidores da Vida.

Fonte: Site da Rádio Vaticano

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Assis: religiões mundiais renovam, juntas, compromisso pela paz

Assis (RV) – “Continuaremos unidos nesta viagem, no diálogo, na construção cotidiana da paz e no nosso compromisso por um mundo melhor.” Palavras de Bento XVI ao concluir na tarde desta quinta-feira a Jornada de Reflexão, Diálogo e Oração, em Assis.

No ato conclusivo desta Jornada, os representantes das religiões mundiais renovaram, juntos, o compromisso pela paz. Juntos, cada um vestido com suas roupas tradicionais, deram cor a um dia cinzento aqui em Assis, onde somente no final um tímido sol apareceu.

Um após o outro, os líderes se comprometem a jamais se resignar às guerras e a respeitar a Regra de ouro: "Faça ao outro o que gostaria que fosse feito a você". Bento XVI repetiu exatamente o apelo feito por João Paulo II, no encontro de 25 anos atrás: "Nunca mais a violência! Nunca mais a guerra! Nunca mais o terrorismo!".

"O evento de hoje é uma imagem de como a dimensão espiritual é um elemento chave na construção da paz", disse ainda o Papa. "De coração agradeço a todos vocês aqui presentes por terem aceito o meu convite a vir a Assis como peregrinos da verdade e da paz e saúdo cada um de vocês com as palavras de São Francisco: 'O Senhor lhe dê a paz'", acrescentou.

Depois da conclusão do Santo Padre, seguiu um momento de silêncio, após o qual alguns jovens entregaram aos participantes uma lâmpada, a luz de S. Francisco. Houve a troca de uma saudação de paz e, durante o canto final, Bento XVI e os chefes das delegações entraram na Basílica inferior de S. Francisco, para visitar, em silêncio, o túmulo do Santo.

E assim se concluiu esta histórica Jornada, a primeira liderada por Bento XVI. Jornada marcada por momentos emocionantes, como foi a projeção de um vídeo para recordar o encontro de 1986, antes dos testemunhos na Basílica de Santa Maria dos Anjos.

Através de imagens, foi possível reviver como estava o mundo 25 anos atrás, certamente não muito diferente de como se apresenta hoje. Caiu o Muro de Berlim, mas outro foi construído, entre israelenses e palestinos. Há sempre algo que nos divide. Às imagens, se intercalavam os apelos preementes pela paz de João Paulo II feitos até o final do seu Pontificado, sempre pontuais a cada conflito, a cada guerra, a cada tensão, e nem sempre ouvidos.

Ao final da tarde, Bento XVI e os chefes das delegações foram até a estação ferroviária da cidade, de onde regressam a Roma a bordo do mesmo trem que os trouxe a Assis.

Sexta-feira, eles serão recebidos pelo Pontifíce na Sala Paulo VI, no Vaticano.

De Assis para a Rádio Vaticano, Bianca Fraccalvieri

Fonte: Site da Rádio Vaticano

CNBB SE UNE AO PAPA NO ENCONTRO DE ASSIS (ITÁLIA)

Os bispos que compõem o Conselho Permanente da CNBB emitiram na tarde desta quarta-feira, 26 de outubro, uma nota oficial de saudação ao Papa Bento XVI pela realização do encontro pela paz com lideranças mundiais de outras igrejas e de outras religiões nesta quinta, 27 de outubro, em Assis, na Itália.

Leia a nota na íntegra

NOTA DA CNBB SOBRE O
ENCONTRO DE ASSIS, DO PAPA BENTO XVI
E REPRESENTANTES DE DIVERSAS RELIGIÕES DO MUNDO

Nós, Bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – reunidos de 25 a 27 de outubro de 2011, nos unimos ao Santo Padre Bento XVI que renova, em Assis, o encontro histórico realizado há 25 anos, pelo Beato João Paulo II, com os irmãos de outras igrejas cristãs e diferentes tradições religiosas do mundo.

O tema escolhido pelo Papa Bento XVI, “Peregrinos da Verdade, Peregrinos da Paz”, sugere que o diálogo e a construção da Paz se fundamentam na busca da Verdade e no respeito às diferenças religiosas.

Seguindo a orientação do Papa, entendemos que o diálogo verdadeiro não se confunde com sincretismo, ou com uma religião global que ignore as várias identidades religiosas e culturais.

No mundo atual, marcado por grande crise econômica e, sobretudo, moral, o Encontro de Assis é, para todos, fonte de esperança, porque reúne pessoas de boa vontade, em diálogo sincero e aberto ao mistério de Deus.

Assim as religiões, rejeitando qualquer forma de discriminação e violência, se apresentam ao mundo como sólido caminho de promoção da dignidade humana.

Manifestamos nossa plena comunhão com o Santo Padre por este encontro e agradecemos pela escolha do tema.

Comprometemo-nos, em nossas dioceses, a desenvolver ações que levem a um renovado diálogo com as demais religiões e com todas as pessoas de boa vontade.

Que o Príncipe da Paz oriente os nossos passos no caminho inspirado por São Francisco de Assis que, neste local, se fez instrumento do Senhor, na busca da Verdade e na construção da Paz.
 
Brasília, 27 de outubro de 2011

Fonte: Site da CNBB

Direto de Assis: tem inicio a Jornada de Reflexão, Diálogo e Oração

Depois do dilúvio na vigília, o tempo em Assis nesta quinta-feira está mais clemente, sem chuva, mas nublado. Bento XVI e os líderes mundiais das religiões chegaram juntos a bordo de um trem que partiu esta manhã da Estação Vaticana. O primeiro ato desta Jornada de Reflexão, Diálogo e Oração foi realizado dentro da Basílica de Santa Maria dos Anjos.

Este templo, aliás, é fundamental para os seguidores de S. Francisco. A Basílica foi construída no século XVI para proteger a Porciúncula, o lugar mais sagrado para os franciscanos, porque ali, entre muitos eventos, S. Francisco fundou a Ordem e neste mesmo lugar morreu em outubro de 1226.

Bento XVI e os mais de 200 representantes das religiões mundiais, vindos de 50 países (do Brasil, participa o Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, Dom João Braz de Aviz), ouviram o testemunho de 10 personalidades. Destacaram-se o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, que em seu discurso citou as “primaveras árabes”, que não colocaram fim às tensões intercomunitárias, nas quais o papel das religiões permanece ambíguo. E a professora Julia Kristeva, representando os ateus e a única mulher a discursar, que propôs uma reflexão resgatando a importância da maternidade para um plena ética humanística.

No início deste ato, foi projetado um comovente vídeo para recordar o encontro de 1986, convocado por João Paulo II, e como o mundo mudou desde então.

A propósito, é impossível falar da Jornada desta quinta-feira sem citar o Papa Wojtyla, que, ao convocar o primeiro encontro 25 anos atrás, teve uma das maiores intuições do seu pontificado.

Na ocasião, o Beato recordou que a paz vai muito além dos esforços humanos: esta é a razão pela qual cada um de nós reza pela paz. A oração é por si só ação, mas não nos exime das ações a serviço da paz. Em Assis, disse João Paulo II, estamos agindo como arautos da consciência moral da humanidade, recordando que a paz é um canteiro aberto a todos, não somente aos especialistas e aos sábios.

Enquanto João Paulo II insistia sobre a qualidade transcendente da paz no diálogo inter-religioso, Bento XVI insiste na relação entre a fé e a razão humana. Crer em Deus, afirma o Pontífice, longe de prejudicar a nossa capacidade de nos compreendermos a nós mesmos e ao mundo, dilata essa mesma capacidade. Longe de nos colocar contra o mundo, nos empenha a favor dele. Assim uma religião genuína alarga o horizonte da compreensão humana e está na base de toda a cultura humana autêntica. Rejeita todas as formas de violência e de totalitarismo: não só por princípios de fé, mas também com base na reta razão.

Com a mensagem de Bento XVI (disponível na primeira página do nosso portal) se concluiu a parte mais intelectual desta Jornada. À tarde, haverá o momento espiritual, na parte alta da cidade, na Praça S. Francisco, com a renovação solene do Compromisso pela Paz, o momento de silêncio e a saudação de paz entre os delegados.

Fonte: de Assis para a Rádio Vaticano, Bianca Fraccalvieri.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

ENCONTRO DIOCESANO DE CEB's

Entre os dias 4 a 6 de novembro de 2011 acontecerá o 7º Encontro Diocesano de CEB´s - Comunidades Eclesiais de Base - da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, Estado do Espírito Santo.
 
O Encontro acontecerá em Jerônimo Monteiro e terá como tema: CEB´s: Ecologia e Missão e o lema: Comunidades em Missão a Serviço da Vida.
 
Confira a programação completa:
 
Dia 04 de novembro - sexta-feira
 
17h - Credenciamento.

18h - Lanche.

19h - Acolhida dos Delegados.

19h30 - Momento celebrativo.

20h - Abertura Oficial.

Fala do Coordenador do Encontro - Pe. Gelson de Souza.

Fala do Coordenador de Pastoral - Pe. Joselito Ramalho Nogueira.

Fala do Bispo Diocesano - Dom Frei Dario Campos.
 
21:30h - Lanche e acolhida pelas famílias que irão hospedar.


Dia 05 de novembro - sábado
 
07h - Café da manhã nas casas.

08h - Ofício Divino.

8h30 -Palestra - Reação do Plenário - Análise de Conjuntura sócio-política - Ana Paula V J Vescovi - IJSN.

10h30h - Intervalo para Café.

11h - Palestra - Reação do Plenário- Análise de Conjuntura Eclesial - Sérgio Coutinho - Assessor das Ceb`s - CNBB.

12h30 - Almoço.

14h - Palestra - Reação do Plenário - Ecologia - Dalva Ringuier - Consórcio do Caparaó.

15h30 - Palestra - Reação do Plenário - Ecologia - Fernando Schettino - Professor da UFES.

16h - Intervalo para Café.

16h30 - Painel Conclusivo.

18h - Jantar.

19h - Caminhada luminosa e Show.
 

Dia 06 de novembro - domingo
 
07h - Café nas casas.

08h - Ofício Divino.

8h30 -Comunidade e Missão - Pe. Helder Salvador e Equipe COMIDI.

10h - Intervalo para Café.

10h30 - Análise do Encontro - Sérgio Coutinho.

12h - Almoço.

14h - Celebração Eucarística.

15h - Encerramento.

Fonte: Site da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Igreja proclama três novos santos: Papa ressalta o amor a Deus e ao próximo durante a Missa de canonização

Cidade do Vaticano (RV) – Na manhã deste domingo, na Praça São Pedro, Bento XVI presidiu a Missa de canonização de três Beatos. São eles: o Bispo Guido Maria Conforti, o sacerdote Luis Guanella (ambos italianos) e a religiosa Bonifácia Rodriguez de Castro (espanhola).

Deles, o que tem mais ligações com o Brasil é São Luís Guanella, através, principalmente, dos institutos educacionais criados pelas duas congregações por ele fundadas, uma feminina e outra masculina.

Durante a Missa, no início de sua homilia, o Santo Padre recordou que hoje celebramos, com toda a Igreja, o Dia Mundial das Missões, “celebração anual que se propõe a despertar o impulso e o compromisso com a missão”.

E “louvemos ao Senhor pelos três novos Santos”, prosseguiu o Papa, relembrando as palavras do Evangelista Mateus, na passagem em que os fariseus se reuniram para colocar Jesus à prova (cfr 22,34-35) e Ele foi questionado por um doutor da Lei:

"Mestre, na Lei, qual é o maior mandamentos?" (v. 36). Ao que Jesus responde: "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Esse é o maior e o primeiro mandamento (VV. 37-38)”.

O Papa continua contando que, logo em seguida, Jesus acrescenta algo que, na verdade, não havia sido perguntado pelo doutor da lei: "O segundo (mandamento) é semelhante a esse: Amarás o teu próximo como a ti mesmo" (v. 39). Sobre esse trecho, o Santo Padre ressaltou que “Jesus dá a entender que a caridade para com o próximo é tão importante quanto o amor a Deus”. E esses três novos Santos, conforme destacou o Pontífice, “deixaram-se transformar pela caridade divina e nela caracterizaram toda a sua existência”. “Em situações diferentes e com carismas diversos – disse -, eles amaram ao Senhor com todo o coração e ao próximo como a si mesmos ‘de modo a se tornarem modelo para todos os fiéis’ (1 Ts 1,7)”.

Bento XVI falou sobre a vida e a dedicação de cada um dos Santos. De São Guido Maria Conforti destacou a confiança com a qual se entregou ao Senhor, sua inspiração em São Francisco Xavier e seus feitos para com os irmãos.

De São Luís Guanella ressaltou “que o seu testemunho humano e espiritual, é para toda a Igreja, um dom particular de graça”. “Durante a sua existência terrena, ele viveu, com coragem e determinação, o Evangelho da Caridade”, disse o Papa, completando: “graças à profunda e contínua união com Cristo, na contemplação de seu amor, Pe. Guanella, conduzido pela Providência divina, tornou-se companheiro e mestre, conforto e alívio dos mais pobres e dos mais necessitados”.

Para descrever Santa Bonifácia, fez analogia com uma passagem da primeira Carta aos Tessalonicenses, “um texto que usa a metáfora do trabalho manual para descrever o trabalho evangelizador”. “A nova Santa se apresenta a nós – disse o Papa - como um modelo completo em que ressoa o trabalho de Deus, um eco que convida suas filhas, as Servas de São José, e também a todos nós, a acolhermos seu testemunho com a alegria do Espírito Santo, sem temer a contrariedade, difundindo em todas as partes a Boa Nova do Reino dos céus.

O Santo Padre ainda acrescentou:

“Encomendamo-nos a sua intercessão, e pedimos a Deus por todos os trabalhadores, sobretudo pelos que desempenham tarefas mais modestas e em ocasiões não suficientemente valorizadas, para que, em meio a seu trabalho diário, descubram a mão amiga de Deus e dêem testemunho de seu amor, transformando seu cansaço em um canto de louvo ao Criador”.

Bento XVI concluiu sua homilia convidando-nos a seguir os exemplos desses três Santos, “a fim de que toda a nossa existência se torne testemunho de autêntico amor a Deus e ao próximo”.

Na seqüência da celebração da Missa de canonização, o Papa, como todos os domingos, conduziu a oração mariana do Angelus. Dirigindo-se aos milhares de fieis e peregrinos presentes na Praça São Pedro, o saudou a todos, "principalmente aos peregrinos presentes para prestar homenagem aos novos Santos, com um pensamento de especial afeto aos membros dos institutos por eles fundados”.

Bento XVI saudou os presentes em diversas línguas, dando prosseguimento à oração do Angelus e a sua benção apostólica. (ED) (ED/RL)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

domingo, 23 de outubro de 2011

REFLEXÃO PARA O 30º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Cidade do Vaticano (RV) - A primeira leitura deste domingo, tirada do livro do Êxodo, nos anuncia o relacionamento fraterno que deverá reinar entre os homens, fruto da justiça e do amor.

Nas sociedades vizinhas a Israel e, também nas nossas, o pequeno, o derrotado, o fraco, o empobrecido, os sem oportunidades são embrutecidos pelos poderosos, pelos ricos, pelos vitoriosos, pelos que tiveram tudo isso. Deus diz a Israel e também a nós, que nosso modo de proceder em relação ao pequeno não deverá ser assim, pelo contrário. O empobrecido deverá ser ocasião de nossa demonstração de amor a Deus e de abertura para os ditames de seu coração.

No Evangelho de Mateus, mas em um capítulo anterior ao que a liturgia de hoje nos propõe, Jesus repete de forma positiva o que o rabino Hilel ensinou: “O que não te agrada, não o farás a teu próximo! Esta é toda a lei: o restante é comentário”. Jesus disse: “Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós a eles: nisto estão toda a Lei e os Profetas”.

A passagem escolhida para hoje fala que o maior mandamento da Lei é amar o Senhor de todo o coração e com toda alma e todo entendimento e o segundo é amar o próximo como a si mesmo. Na verdade esse mandamento é um só. Amar a Deus sobre todas as coisas é mais do que reservar um tempo para atividades piedosas de oração, é amar com toda intensidade seus filhos, é venerá-lo em cada ser humano, especialmente nos mais pequenos. Ele disse que aquilo que fizermos ao menor de seus irmãos, será a Ele que estamos fazendo.

Portanto não existe outra forma para amar e reverenciar o Senhor do que amar e servir seus filhos queridos, criados à sua própria imagem e semelhança.

E aí vem a questão dos desafortunados pela sorte. Jesus se fez homem pobre, sofredor, humilhado e, também em seus discursos, se assemelhou a eles. Na celebração do amor, na última ceia, fez o papel de escravo, lavando os pés de seus discípulos.
Morreu em um suplício abominável, humilhado e nu, no meio de dois bandidos, como malfeitor.

O Senhor, quando foi tentado no deserto, rejeitou Satanás com suas pompas e suas obras.

Que nosso batismo seja recordado em cada momento de nossa vida, ao abandonarmos os falsos deuses do egocentrismo, do poder e da soberba, ao assumirmos o serviço de Deus único e verdadeiro no relacionamento fraterno, que nos foi proposto desde o Antigo Testamento.

Adorar e servir o Senhor é amar e servir o próximo! (CAS)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

sábado, 22 de outubro de 2011

DNJ CAPIXABA 2011

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação participará do D.N.J. - Dia Nacional da Juventude - edição de 2011, na Praça do Papa, em Vitória, no próximo dia 30 de outubro, para isso conta com a presença dos jovens da paróquia para preencher um ônibus, a fim de alegrar-se com os demais jovens das dioceses que compõem a Província Eclesiástica do Estado do Espírito Santo.

A Secretaria Paroquial está aceitando as inscrições para aqueles que assim desejarem em participar, no valor de R$ 25,00 (vinte e cinco reais) ida para Vitória e volta para Cachoeiro de Itapemirim, com direito a muita alegria da viagem de ida e esperança e perseverança no caminho e seguimento de Jesus Cristo.

Os frades agostinianos recoletos Fr. Didier e Fr. Geraldo estarão acompanhando aos jovens peregrinos.

Maiores informações pelo telefone: (28) 3522-6607 (falar com Marta ou Ana Célia).

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

DIVULGADA CARTA APOSTÓLICA DO PAPA PARA O ANO DA FÉ

Cidade do Vaticano (RV) – Foi publicada nesta segunda-feira a Carta Apostólica de Bento XVI referente ao "Ano da Fé", anunciado neste domingo pelo Papa durante a Celebração Eucarísitca na Basílica Vaticana. Dividida em quinze partes, a Carta apresenta as intenções pessoais do Sumo Pontífice, sem a interferência de nenhuma fonte interna ou externa.

Bento XVI começa falando da Porta da Fé, lugar onde acontece a iniciação da comunhão com Deus, e que está aberta a todos. O Papa segue dizendo que ao passar por esta porta, temos um compromisso para toda a vida. Tal compromisso é iniciado com o Batismo, a partir do qual podemos chamar Deus de Pai, e termina com a passagem da morte para a vida eterna, “fruto da ressurreição do Senhor Jesus que, com o dom do Espírito Santo, quis envolver na sua glória todos os que acreditam Nele. No final da primeira parte, o Papa fala sobre a Santíssima Trindade. “Professar a fé na Trindade – Pai, Filho e Espírito Santo – equivale a crer num só Deus que é Amor”

A segunda parte é dedicada à radicação da fé, tema que Bento XVI lembrou em sua homilia de início de pontificado. “A Igreja no seu conjunto, e os Pastores nela, como Cristo devem pôr-se a caminho para conduzir os homens fora do deserto, para lugares da vida, da amizade com o Filho de Deus, para Aquele que dá a vida, a vida em plenitude”. Mensagem que gerou dois destaques nesta parte da Carta Apostólica, que evidenciam a preocupação do Papa com os caminhos da fé na atualidade.

Na sequência de sua Carta, Bento XVI convida a todos a “beber na fonte” e tornar a ouvir a Palavra de Deus ao anunciar o período pelo qual se estenderá do Ano da Fé. “Terá início a 11 de outubro de 2012, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II, e terminará na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, a 24 de novembro de 2013. Na referida data de 11 de outubro de 2012, comemora-se também vinte anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica, texto promulgado pelo meu Predecessor, o Beato Papa João Paulo II, com o objetivo de ilustrar a todos os fiéis a força e a beleza da fé. Esta obra, verdadeiro fruto do Concílio Vaticano II, foi desejada pelo Sínodo Extraordinário dos Bispos de 1985 como instrumento ao serviço da catequese e foi realizado com a colaboração de todo o episcopado da Igreja Católica”, escreveu Bento XVI. Ainda nessa parte, o Papa recorda que convocou uma Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos para outubro de 2012, cujo tema será “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”.

A Carta Apostólica ainda contempla a evolução da Igreja e que, para isso, a linha mestra deve ser o Concílio Vaticano II. Sobre isso, Bento XVI repetiu suas próprias palavras proferidas logo depois de ter sido eleito à Cátedra de Pedro. “Se o lermos e recebermos guiados por uma justa hermenêutica, o Concílio pode ser e tornar-se cada vez mais uma grande força para a renovação sempre necessária da Igreja”, reiterou. Contudo, mais adiante-se lê-se que “a renovação da Igreja realiza-se também por meio do testemunho prestado pela vida dos crentes: de fato, os cristãos são chamados a fazer brilhar, com a sua própria vida no mundo, a Palavra de verdade que o Senhor Jesus nos deixou”, destaca Bento XVI.

Assim, o Papa vê o Ano da Fé como um convite para uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. Nesta parte da Carta, o Papa cita Santo Agostinho e sua contribuição em forma de escritos, que ajudam o homem a viver o caminho que leva para a Porta da Fé. “Por conseguinte, somente acreditando é que a fé cresce e se revigora; não há outra possibilidade de adquirir certeza sobre a própria vida, senão abandonar-se progressivamente nas mãos de um amor que se experimenta cada vez maior porque tem a sua origem em Deus”, completou o Santo Padre.

Chegando à oitava parte, encontra-se a mensagem do Papa aos Bispos, para que se unam ao Santo Padre, tornando fecundas e dignas as celebrações do Ano da Fé. “Deverá intensificar-se a reflexão sobre a fé, para ajudar todos os crentes em Cristo a tornarem mais consciente e revigorarem a sua adesão ao Evangelho, sobretudo num momento de profunda mudança como este que a humanidade está a viver”. Para os fiéis, o Santo Padre escreve que o Ano da Fé “será uma ocasião propícia também para intensificar a celebração da fé na liturgia, particularmente na Eucaristia, que é ‘a meta para a qual se encaminha a acção da Igreja e a fonte de onde emana toda a sua força’”.

Nas partes seguintes, o Papa convida a percorrer um caminho mais profundo para entender os desígnios da fé. “É precisamente nesta linha que o Ano da Fé deverá exprimir um esforço generalizado em prol da redescoberta e do estudo dos conteúdos fundamentais da fé, que têm no Catecismo da Igreja Católica a sua síntese sistemática e orgânica”, discorre Bento XVI. Ainda sobre o Catecismo, Bento XVI lembra que durante o Ano da Fé ele deve se tornar um instrumento de apoio da fé para a formação para os cristãos. Nesse ponto, o Papa revelou que convidou “a Congregação para a Doutrina da Fé a redigir, de comum acordo com os competentes Organismos da Santa Sé, uma Nota, através da qual se ofereçam à Igreja e aos crentes algumas indicações para viver, nos moldes mais eficazes e apropriados, este Ano da Fé ao serviço do crer e do evangelizar”.

A parte final é dedicada a relembrar a história da fé e as personagens que mantiveram o olhar fixo em Jesus Cristo “autor e consumador da fé” (Heb 12, 2): n’Ele encontra plena realização todos os anseios do coração humano. Bento XVI segue citando exemplos de Maria, dos Apóstolos, dos Mártires, dos Santos e dos homens que pela fé em Jesus Cristo mantiveram seus corações unidos a Deus. Ainda sobre a fé, o Papa ao citar São Paulo nos lembra que a fé sem caridade é estéril: “Agora permanecem estas três coisas: a fé, a esperança e a caridade; mas a maior de todas é a caridade” (1 Cor 13, 13).

O Papa finaliza a Carta Apostólica que proclama o Ano da Fé citando Nossa Senhora. “À Mãe de Deus, proclamada ‘feliz porque acreditou’ (cf. Lc 1, 45), confiamos este tempo de graça”. Assina o Santo Padre, em Roma, junto de São Pedro, no dia 11 de outubro de 2011, sétimo ano de Pontificado.

Fonte: Site da Rádio Vaticano

domingo, 16 de outubro de 2011

REFLEXÃO PARA O 29º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Cidade do Vaticano (RV) - A primeira leitura nos fala de como um rei estrangeiro, não pertencente ao povo judeu, recebe de Deus a missão de salvá-lo.

Ciro, o rei persa, sente-se imbuido de justiça e realiza a missão messiânica de libertar os judeus. Isso, à luz do Evangelho que veremos em seguida, significou dar a Deus o que é de Deus, ou seja a seu Povo. Os judeus, sendo libertados, poderão voltar para casa, para o Templo e, com mais facilidade prestarão culto a Javé.
Deus é o Senhor da História, por isso pode tocar no coração de quem não O conhece, para que exerça a missão confiada por Ele, na História da Salvação.

No Evangelho, os judeus para apanharem Jesus em algum erro desastroso, preparam-lhe uma armadilha. Seja qual for a resposta do Senhor, ele se dará mal. Mas Jesus, conhecendo os corações das pessoas, intuiu a malícia e devolveu a pergunta com outra, altamente inteligente, que eles responderão caindo na própria armadilha, e só o perceberão depois.

Para os judeus, por causa da proibição de fazer imagem de qualquer criatura, a moeda com o retrato do imperador era uma transgressão, no entanto, certamente por causa das necessidades econômicas, se esqueciam disso e a utilizavam normalmente.

Jesus lhes pergunta de quem é a efígie, ou seja, quem está retratado na moeda. Ingenuamente colocam a mão no bolso, tiram uma moeda e dizem que o retrato é de César, do imperador. Ora, só o fato de trazerem consigo um objeto, no caso a moeda, com o retrato de alguém, demonstra a conivência deles em relação ao não cumprimento do preceito de não fazer imagens ou outros objetos que retratem criaturas. Jesus nada fala a esse respeito, pois o constrangimento é geral.

O Senhor apenas manda devolverem a César, aquilo que possui seu retrato, aquilo que não é dos judeus, que não é do Povo de Deus, mas dos romanos opressores. Rejeitar todo poder que gera escravização, dominação.
O ser humano foi feito para ser livre e servir apenas ao Senhor. Dominação e morte não são cristãs. Deus é vida! Deus rejeita César quando o imperador impede ao homem uma vida digna a que tem direito por te sido criado à imagem de Cristo.

Jesus não proibiu o pagamento de impostos, não é isso que ele quis dizer. Jesus coloca o pingo no i ao rejeitar a opressão e mandar restituir a Deus o que é de Deus e a César o que é de César.

Como Ciro, Deus pode suscitar em pessoas não cristãs e nem conhecedoras do Deus único e verdadeiro, atitudes justas e perfeitas. Ele é o Senhor de todos e da História.
Dar a César significa devolver ao poder temporal o que ele necessita para exercer dignamente o seu papel, seguindo a lei humana de fazer o bem seguindo os ditames da consciência sadia e denunciá-lo quando estiver absolutizando seu poder.

Dar a Deus significa restituir ao Criador e Redentor todo seu senhorio sobre os corações e sobre toda a vida humana.

Poderíamos nos perguntar, como se estivéssemos fazendo um exame de consciência:

Sou um cidadão em que o Brasil pode confiar? Partilho o que tenho e o que sou para o crescimento da nação e para a vivência da fraternidade?

Porto-me como filho de Deus e luto para instaurar neste mundo o Reino de Justiça, Amor e Paz que Jesus veio trazer?

Tenho consciência de que meu amor pelo Brasil estará plenificado à medida que procuro ser um cidadão praticante dos valores cristãos?
Ciro fez o papel que depois seria vivenciado por César, o papel de líder internacional e sem consciência da ação do Transcendente agiu como um Messias.

Pertencemos a Deus, nossa vida é d'Ele. Que Ele tenha o senhorio de nosso coração e a precedência em tudo aquilo que fizermos. Que nosso pensar, nosso agir sejam reflexos do amor de Deus em nossos corações. Ele nos criou por amor e por amor nos redimiu. Somos de Deus. (CAS)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

MISSA COM AS FAMÍLIAS QUE RECEBEM A IMAGEM PEREGRINA DA MÃE RAINHA

A Paróquia de Nossa Senhora da Consolação convida a você e a sua família a participar no dia 17 de outubro de 2011, segunda-feira, às 19:00 horas, da Celebração Eucarística com as famílias que recebem a imagem peregrina da Mãe Rainha, mesmo que você não receba a visita do ícone de Nossa Senhora, venha e celebre conosco.

Mensalmente é celebrada a Eucaristia na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Consolação em intenção das famílias.

PAPA ANUNCIA 2012 ANO DA FÉ: NOVO IMPULSO À MISSÃO ECLESIAL

Cidade do Vaticano (RV) - Bento XVI presidiu, neste domingo, na Basílica de São Pedro, a celebração eucarística para a Nova Evangelização.

Os participantes do encontro "Novos evangelizadores para a Nova Evangelização – A Palavra de Deus cresce e se multiplica", promovido pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, estiveram presentes na cerimônia de encerramento desse evento.

"Estou feliz por esta reunião se realizar no contexto do mês de outubro, uma semana antes do Dia Mundial das Missões. Isto reforça a verdadeira dimensão universal da nova evangelização, em harmonia com a missão "ad gentes" – frisou o Papa.

"Vocês foram escolhidos por ele" – disse Bento XVI citando a 1ª Carta de Paulo aos Tessalonicenses. "Cada missionário do Evangelho deve considerar sempre esta verdade: é o Senhor que toca os corações com sua Palavra e seu Espírito, chamando a pessoa à fé e à comunhão na Igreja" – sublinhou Bento XVI.

"Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida" – disse Jesus. "Os novos evangelizadores são chamados a caminhar por primeiro neste Caminho que é Cristo, para dar a conhecer aos outros a beleza do Evangelho que dá vida. E neste caminho não se está sozinho, mas em companhia: uma experiência de comunhão e fraternidade que é oferecida às pessoas que encontramos, para comunicar-lhes a nossa experiência de Cristo e sua Igreja. Assim, o testemunho unido ao anúncio pode abrir o coração daqueles que buscam a verdade a fim de que possam encontrar o sentido da própria vida" – destacou o Santo Padre.

Para dar novo impulso à missão eclesial, o Papa anunciou – durante a celebração eucarística - que a Igreja celebrará o "Ano da Fé" que terá início em 11 de outubro de 2012, no 50º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II e se concluirá em 24 de novembro de 2013, Solenidade de Cristo Rei do Universo.

"Será um momento de graça e compromisso para uma plena conversão a Deus, para fortalecer a nossa fé n'Ele e a anunciá-Lo com alegria ao homem do nosso tempo. Queridos irmãos e irmãs, vocês estão entre os protagonistas da nova evangelização que a Igreja iniciou e leva avante, não sem dificuldade, mas com o mesmo entusiasmo dos primeiros cristãos" – concluiu Bento XVI. (MJ)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

HORÁRIO DE VERÃO TERÁ UMA SEMANA A MAIS

O horário de verão, que começa no próximo domingo, 16, vai terminar uma semana mais tarde no ano que vem. Isso porque na data prevista para o fim do horário, que seria o terceiro domingo de fevereiro, será o feriado de carnaval.

De acordo com o decreto que instituiu o horário de verão, quando há coincidência entre o dia previsto para o término da hora de verão e o domingo de carnaval, o encerramento deve ser no domingo seguinte, que cairá no dia 26 de fevereiro. O objetivo é evitar que, em meio a um feriado, a população acabe esquecendo de ajustar os relógios.

“O pessoal está em festa e aí há uma mudança de horário, realmente o reflexo seria negativo”, explicou o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grüdtner, à Agência Brasil. Segundo ele, a economia de energia com uma semana a mais de horário de verão não será significativa.

Grüdtner informou que a previsão do governo é que haja uma redução entre 4,5% e 5% da demanda de energia no horário de pico, entre o fim da tarde e o início da noite, semelhante ao que foi registrado no ano passado (4,4%). A redução total de consumo deve ficar em torno de 0,5%.

Ele explicou que a adoção do horário de verão resulta em ganhos para a sociedade, pois evita investimentos na expansão do sistema de energia para atender à demanda no horário de pico. “Se não são feitos investimentos, o consumidor não tem aumento de tarifa”. Outro benefício é a segurança do sistema, que passa a operar mais aliviado.

Uma novidade deste ano é a adesão da Bahia, a pedido do governador do estado, Jaques Wagner. Ele solicitou a inclusão com o objetivo de manter o governo baiano alinhado ao horário de Brasília.

No próximo domingo, os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar seus relógios em uma hora. O horário de verão é adotado todos os anos nesta época por causa do aumento na demanda de energia, motivado pelo calor e pelo crescimento da produção industrial às vésperas do Natal. No verão, os dias são mais longos por causa da posição da Terra em relação ao sol, e a luminosidade natural pode ser mais bem aproveitada adiantando a rotina das cidades em uma hora.

Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

POSSÍVEIS MILAGRES DO BEATO JOÃO PAULO II SÃO INVESTIGADOS


Cidade do Vaticano (RV) – O Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, explicou em uma entrevista concedida a agência espanhola ACI, que o pedido de canonização do Beato João Paulo II atualmente está na fase de escolha e avaliação de possíveis novos milagres atribuídos à sua intercessão.

O Beato João Paulo II foi elevado aos altares em 1° de maio deste ano, após a confirmação do milagre da freira francesa Marie Simon-Pierre, curada do mal de Parkinson, a mesma doença sofrida pelo Pontífice falecido.

Para a futura canonização do Beato João Paulo II, é necessário que a Congregação das Causas dos Santos, o organismo vaticano encarregado de estudar os milagres, martírios e virtudes heróicas, confirme um segundo milagre atribuído ao Papa Wojtyla. Só então, depois de vários estudos relevantes, o Papa poderá ser proclamado Santo.

Em 4 de outubro, o Cardeal Amato disse que não há pressa para a canonização. "Por enquanto, nós apreciamos a beatificação. Para a beatificação é uma meta importante desde quando foi confirmada a virtude heróica, selada por um grande milagre", finalizou o Prefeito. (RB)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

terça-feira, 11 de outubro de 2011

CRUZ DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE E O ÍCONE DE NOSSA SENHORA NÃO ESTARÃO PRESENTES NO EVENTO D.N.J. CAPIXABA

A Província Eclesiástica de Vitória reuniu-se no dia 10 de outubro, para avaliar as possibilidades e encaminhamentos dados para viabilizar a vinda da Cruz e Ícone de Nossa Senhora, símbolos da Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá no Brasil em 2013, durante as comemorações do DNJ, Dia Nacional da Juventude, no dia 30 de outubro.

O tempo disponível para a vinda da Cruz da Jornada e as distâncias a serem percorridas tornaram a iniciativa inviável. Após a análise da logística necessária para transportar a Cruz do interior de S. Paulo até Vitória e daqui para Teófilo Otoni e os custos desta operação, o Arcebispo, Bispos e coordenadores, optaram pela escolha de outra data para a visita da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora.

Desta forma, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora, não estarão presentes na Marcha Capixaba do dia 30, como chegou a ser sugerido.

Em março de 2013 a Arquidiocese e Dioceses do Espírito Santo receberão os Símbolos da Jornada que passarão em cada diocese e permitirão a mobilização da juventude ajudando-a a preparar-se para a Jornada.

Fonte: Arquidiocese de Vitória (disponível no site da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim)

EVENTOS CELEBRAM OS 80 ANOS DO CRISTO REDENTOR

Rio de Janeiro, 11 out (RV) – O Cristo Redentor completa amanhã 80 anos.

Para festejar essa data, estão previstas inúmeras manifestações, que começam esta noite. No Corcovado, haverá uma vigília com 80 jovens da Pastoral da Juventude. Na quarta-feira, assim como 80 anos atrás, na inauguração do monumento, aviões da Esquadrilha da Fumaça vão sobrevoar o Cristo Redentor.

O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, vai presidir a Santa Missa no Corcovado. Na mesma data, serão inaugurados os bustos do engenheiro e arquiteto Heitor da Silva Costa, autor do projeto e responsável pela obra do monumento, e de Dom Sebastião Leme, Cardeal-arcebispo do Rio que levou adiante a ideia de construção da estátua.

As comemorações prosseguem no final da tarde com o "Show da Paz" no Aterro do Flamengo, com coral, balé e vários artistas da música brasileira. (BF)

Fonte: Site da Rádio Vaticano

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Pastoral Familiar

A Pastoral Familiar convida a todos para o “Encontrão das Famílias” que acontecerá no dia 13 de novembro, de 08h às 19h, no salão paroquial.

As inscrições podem ser feitas na secretaria paroquial ou maiores informações pelo telefone: (28) 3522-6607 (falar com Ana Célia ou Marta).

BAZAR PAROQUIAL

Estamos pedindo doações para o bazar da Igreja Matriz. Não precisa ser somente doação de roupas. Qualquer coisa que esteja em condições de uso na sua casa e que não esteja sendo utilizado será de grande valor para o nosso próximo.

Maiores informações na Secretaria Paroquial ou pelo telefone: (28) 3522-6607 (falar com Ana Célia ou Marta).

DOAÇÃO DE FRALDAS GERIÁTRICAS

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação vem a alguns anos solicitando a ajuda da população cachoeirense com doação de fraldas geriátricas para serem entregues às famílias que dependem para minimizar o sofrimento de pessoas acamadas ou que não ambulam mais.

Certamente esse gesto de amor para com o próximo também é um gesto de evangelizar e ser sinal concreto do amor de Deus para com o próximo.

Caso você possa doar, deixe sua doação da Secretaria Paroquial ou então entre em contato pelo telefone: (28) 3522-6607 (falar com Ana Célia ou Marta).

domingo, 9 de outubro de 2011

REFLEXÃO PARA O 28º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Cidade do Vaticano, 09 out (RV) - Deus, o grande rei, organiza a festa de casamento de seu Filho, Jesus com a Humanidade, que apesar de ter perdido a beleza original por causa das guerras, das injustiças cometidas, das lágrimas amargas que provocou em tantas pessoas, continuou a ser muito amada por seu noivo.

Por ocasião das núpcias, o Pai vai oferecer um grande banquete comemorativo.

Ele envia os convites através de pessoas capacitadas para isso: são os Profetas do Antigo Testamento e os Apóstolos do Novo Testamento.
Os homens do mundo inteiro, sem distinção, são os convidados.

Os ricos e os acomodados na religião dizem não porque possuem outros “compromissos inadiáveis”; os pobres e os pecadores respondem sim, não porque não tenham seus compromissos, mas porque sabem que esse convite de Deus é gratuito.

Essas respostas deveriam provocar em nós a abertura de nossas comunidades a qualquer tipo de pessoa, especialmente aos que são rejeitados.

Podemos aprender dessa parábola que o Reino de Deus não fracassa por causa da recusa das elites em construir uma sociedade justa e fraterna. Os convivas que são arrancados da festa e colocados na rua são aqueles que não estão com a roupa da justiça, ou seja, revestidos com ações de justiça.

Só aceita o convite de Deus aqueles que estão em sintonia com o Reino de Justiça, de Amor e de Paz. Essas pessoas sempre estão vestidas adequadamente porque, naturalmente, praticam obras de justiça.

Qual a resposta que estamos dando com nossa vida? Com que grupo nos identificamos?

Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

DNJ CAPIXABA - DIA NACIONAL DE JUVENTUDE 2011

A Pastoral da Juventude do Espírto Santo (PJ Capixaba), completa 25 anos de "[...] uma linda história repleta de belezas, amizades, desafios, aprendizado, evangelização e acima de tudo de defesa de um projeto que respeita e valoriza a vida da juventude [...]".

No dia Nacional da Juventude, a PJ Capixaba promoverá a Marcha da Juventude Capixaba contra a violência e o extermínio de jovens, no dia 30 de outubro de 2011 (domingo).

Confira mais informações sobre o evento:

Programação:

8h: Concentração na Praia de Camburi

8h30: Marcha Capixaba contra a Violência e Extermínio de Jovens (Motivações: juventude camponesa, juventude negra, mulheres jovens, jovens e adolescentes empobrecidos e jovens indígenas)

10h: Abertura Oficial

10h30: Celebração Eucarística

12h: Banda de Congo Jovem

13h: Apresentações culturais

13h30: Show de banda católica Dogma

14h30: Apresentações culturais

15h: Mística de Envio

15h30: Bateria de Escola de Samba

16h: Show de artistas capixabas pela vida e contra a violência. Participação especial do grupo AfroReggae

18h: Encerramento



Fonte: Departamento diocesano de Comunicação - Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

terça-feira, 4 de outubro de 2011

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO CELEBRA A SEMANA DA VIDA E DIA DO NASCITURO

A Semana Nacional da Vida, celebrada de 1 a 7 de outubro oferece um tema em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano: “vida, ecologia humana e meio ambiente”. A Comissão Episcopal para a Vida e a Família e a equipe da Pastoral Familiar da CNBB prepararam um subsídio distribuído nas comunidades em todo o Brasil fornecendo um memorial das semanas anteriores, além de sugerir encontros de reflexão sobre o tema e uma celebração que pode ser usada na preparação para o dia do nascituro, o domingo 8 de outubro.

Entre as afirmações que servem de orientação para a Semana, está uma expressão retirada da Exortação Apostólica Familiaris Consortio, do Beato João Paulo II, na qual se verifica que Família e Vida são os dois grandes pilares da Igreja “A Igreja é chamada a manifestar novamente a todos, com uma firme e mais clara convicção, a vontade de promover, com todos os meios, e de defender contra todas as insídias a vida humana, em qualquer condição e estado de desenvolvimento em que se encontre”.

Padre Rafael Fornasier, assessor nacional da Comissão, considera que o tema da Semana, de algum modo, prepara os cristãos para o iminente debate que deverá surgir no país com a retomada da discussão e votação que serão realizadas no Supremo Tribunal Federal sobre o aborto de crianças anencéfalas. “Há uma expectativa a respeito da análise do STF que vai fazer e que pode ser uma abertura para a legalização do aborto no Brasil”, adverte Padre Rafael. Segundo ele, poderá voltar o costumeiro embate entre a o conflito de direitos. “Não se nega o direito da mulher, mas que não seja em detrimento do direito da vida nascente”, lembra. O assessor da CNBB frisa que por mais que seja uma vida curta – como ocorre com as crianças anenecéfalas – é sempre uma vida humana e a Igreja sempre defendeu sua inviolabilidade desde a concepção até o seu termo natural.

A Semana Nacional da Vida também responde aos apelos das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadoras da Igreja no Brasil aprovadas pela Assembléia anual da CNBB em maio deste ano quando destaca em sua quinta urgência, a promoção da vida. “Não falamos mais apenas em defesa, mas em promoção da vida”, esclarece Padre Rafael.

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação, nesse período, estará celebrando juntamente com os agenste da Patoral Familiar esss promoção pela vida desde sua concepção, nas Missas das 19 horas, no período de 01 a 07 de outubro, na Igreja Matriz.

Fonte: Site da CNBB

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Novena a Nossa Sra Aparecida será transmitida pela TV Canção Nova

O Santuário Nacional de Aparecida inicia nesta segunda-feira, 3, a Novena em preparação a Festa da Padroeira 2011 que será celebrada no dia 12 de outubro. Este ano os devotos poderão acompanhar a novena através da internet, do rádio e da TV.

A novena, que termina no dia 11, será transmitida todos os dias pela TV Canção Nova a partir das 19h.

A reflexão deste primeiro dia da novena será sobre o tema ‘Maria: Coração dedicado ao amor!’

Segundo o Missionário Redentorista, padre Luiz Carlos de Oliveira, autor da primeira catequese mariana da novena, "Santo Afonso, grande cantor das glórias de Maria, escreve: 'Nunca houve, nem haverá, quem ame a Deus mais do que Maria, tão pouco, nunca houve nem haverá quem mais do que ela ame o próximo'”.

“Em Nossa Senhora, podemos encontrar todas as virtudes em grau elevado. Entre elas se destaca o amor que é a síntese de todas as virtudes”, afirma o sacerdote.

Na catequese, padre Luiz convida os fieis a se deixarem amar por Maria, “que ela nos conduzirá ao amor, a Jesus”.

Para mais informações e programação da novena e da festa da padroeira 2011, visite: http://www.a12.com/blog/festadapadroeira/

Fonte: Site Canção Nova