sexta-feira, 29 de março de 2019

MOTU PRÓPRIO SOBRE A PROTEÇÃO DE MENORES E DAS PESSOAS VULNERÁVEIS

Silvonei José – Jane Nogara
Na manhã desta sexta-feira (29/03) foi publicado o Motu Proprio do Papa Francisco sobre a Proteção dos Menores e das Pessoas Vulneráveis. O texto tem como objetivo “reforçar ulteriormente o ordenamento institucional e normativo para prevenir e contrastar os abusos contra os menores e as pessoas vulneráveis” escreve o Papa, dentro da Cúria Romana e no Estado da Cidade do Vaticano.
Para isso, o Pontífice cita várias motivações para a tomada dessas medidas dentro da Cúria e da Cidade do Estado do Vaticano:
- “manter uma comunidade respeitosa e consciente dos direitos e das necessidades dos menores e das pessoas vulneráveis”, prevenindo todas as formas de violência ou abuso físico ou psíquico que possam acontecer tanto nas relações interpessoais como dentro das estruturas;
- “para que todos tenham a consciência do dever de assinalar os abusos às Autoridades competentes e cooperar nas atividades de prevenção e contraste”;
- “para que sejam aplicadas as normas de lei em todos os casos de abusos”;
- “a proteção e apoio em todas as fases dos procedimentos às vítimas e seus familiares;
 - “cuidado pastoral, apoio espiritual, médico, psicológico e legal às vítimas e seus familiares;
- para que “seja garantido ao acusado o direito de um processo equável e imparcial, respeitando a presunção de inocência”;
- “para que o condenado por abuso seja removido do seu encargo” e lhe seja oferecida uma adequada reabilitação psicológica e espiritual e reinserção social;
-“para que seja feito todo o possível para reabilitar a boa fama de um acusado injustamente”.
- e “seja oferecida uma formação adequada para a tutela dos menores e das pessoas vulneráveis”.
Depois de expor os pontos acima o Papa estabelece 6 novas normas que devem ser seguidas para a proteção dos menores e pessoas vulneráveis na Cúria Romana e no Estado da Cidade do Vaticano:
1.    Os órgãos judiciários do Estado da Cidade do Vaticano exercem jurisdição penal também para os crimes dos artigos 1 e 3 da lei N. CCXCVII de 26 de março de 2019 cometidos no exercício de suas funções pelos sujeitos referidos no ponto 3 do Motu Proprio de 11 de julho de 2013 sobre a “Jurisdição dos órgãos judiciários da Cidade do Vaticano em matéria penal”.
2.    Sem tocar no sigilo sacramental, os sujeitos citados no ponto 3 do Motu proprio de 11 de julho de 2013, são obrigados a apresentar a denúncia ao promotor de justiça junto ao Tribunal do Estado da Cidade do Vaticano, todas as vezes que tenham notícia ou motivos fundamentados para considerar que um menor ou pessoa vulnerável seja vítima de um dos crimes do artigo 1 da lei N. CCXCVII se estes forem cometidos i) no território do Estado; ii) em prejuízo de cidadãos ou residentes no Estado; iii) no exercícios de suas funções pelos sujeitos do ponto 3 do Motu proprio de 11 de julho de 2013.
3.   Deve ser oferecida às pessoas ofendidas pelos crimes do artigo 1 da lei N. CCXCVII, assistência espiritual, médica e social assim como informações úteis de natureza legal, através do serviços de acompanhamento da Direção de Saúde e Higiene do Estado da Cidade do Vaticano.
4.    Serão organizados programas de formação para os funcionários da Cúria Romana e das Instituições ligadas à Santa Sé sobre os riscos em matéria de exploração, abuso sexual e maus-tratos de menores e pessoas vulneráveis; meios para identificar e prevenir tais ofensas e sobre a obrigação de denúncia.
5.   No processo de seleção de funcionários da Cúria Romana e Instituições assim como para os colaboradores voluntários deverá ser confirmada a idoneidade do candidato para interagir com menores e pessoas vulneráveis.
6.   Os Dicastérios da Cúria Romana e as Instituições que interagem com menores ou pessoas vulneráveis devem adotar, com a assistência do Serviço de acompanhamento, as boas praxes e diretrizes para a sua tutela.
Todas as disposições determinadas pelo Santo Padre no documento acima entram em vigor a partir do dia 1º de junho de 2019.

Diretrizes para a Proteção dos Menores e das Pessoas Vulneráveis


O Vicariato da Cidade do Vaticano apresentou as Diretrizes para a Proteção dos Menores e das Pessoas Vulneráveis. Formadas por seis tópicos divididos em vários pontos com todos os procedimentos necessários em casos de denúncia de exploração, abusos sexuais ou maus-tratos dentro do âmbito do Estado da Cidade do Vaticano.
Com a data de 26 de março de 2019, o Vicariato da Cidade do Vaticano apresentou as Diretrizes para a Proteção dos Menores e das Pessoas Vulneráveis, com base no Quirógrafo de João Paulo II “Para a cura espiritual na Cidade do Vaticano” de 14 de janeiro de 1991; e em vista da lei n. 297 sobre “A proteção dos menores e das pessoas vulneráveis” de 26 de março de 2019 assim como pela particular natureza das atividades pastorais no Estado da Cidade do Vaticano e com o desejo de introduzir medidas específicas no âmbito do Vicariato da Cidade do Vaticano.  
As diretrizes são apresentadas inicialmente com uma Premissa, explicando que a salvaguarda dos menores e das pessoas vulneráveis é uma parte integrante da missão de Igreja.
Em seguida foram apresentados vários tópicos especificando a aplicação de todas as normas aplicadas para a defesa do menor e das pessoas vulneráveis.
O ponto “A” refere-se ao Âmbito da aplicação, ou seja a quem são dirigidas dentro do Vicariato do Vaticano: aos cônegos, coadjutores e clero da Basílica de São Pedro; aos párocos e coadjutores das paróquias de São Pedro e Santa Ana no Vaticano; aos capelães e assistentes espirituais com encargos no Vicariato Geral; aos sacerdotes, diáconos e educadores do Pré-seminário São Pio X; membros dos Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica com residência na Cidade do Vaticano; todos os que trabalham dentro da comunidade eclesial do Vicariato da Cidade do Vaticano.
O ponto “B” das diretrizes comunica que será nomeado pelo Vicariato um Referente para a tutela dos menores que coordenará e verificará a aplicação das presentes diretrizes e para que seja mantida uma comunidade respeitosa e consciente dos direitos e das necessidades dos menores, assim como preocupada em prevenir toda a forma de violência ou de abuso.
O ponto “C” refere-se aos agentes pastorais, especificando: 1) que na seleção dos agentes pastorais deve ser controlada, entre outras coisas, a idoneidade dos candidatos que devem interagir com os menores; 2) estes devem seguir programas de formação específicos sobre exploração, abuso sexual e maus-tratos de menores organizado pelo Departamento de Trabalho da Sé Apostólica em conjunto com o Serviço de acompanhamento; e 3) preparação dos colaboradores ocasionais que devem interagir com os menores.
No tópico “D” são abordadas as Atividades pastorais. Detalha-se sobre a tutela dos menores durante as atividades pastorais e o comportamento dos agentes que interagem com os mesmos. São quatro pontos, sendo que no primeiro (1) refere-se aos deveres dos agentes no que se refere aos respeito aos menores, atenção, não ficar a sós com uma criança, modelo de referência, assinalar comportamentos perigosos, comunicação das atividades aos pais, e prudência com o usos das redes sociais. O segundo (2) apresenta as proibições aos agentes: castigos corporais, relação preferencial, deixar o menor em situação de insegurança física ou psíquica, ofender, assumir comportamentos sexualmente alusivos, discriminações, pedir segredo a um menor, privilegiar um menor em relação aos outros, fotografar ou filmar sem permissão dos pais ou tutores, publicar imagens nas redes sociais sem permissão. O terceiro (3) alerta para que as atividades sejam feitas em locais onde os menores possam ser sempre vistos e controlados. O quarto (4) refere-se a detecção de atos de bulismo que deve ser imediatamente enfrentado com equilíbrio, prudência, informando pais ou tutores.
O ponto “E” refere-se ao consenso dos pais ou tutores, especificando que é indispensável para as atividades pastorais. Do mesmo modo os pais ou tutores devem receber informações completas sobre as atividades, e sempre com autorização por escrito para passeios, fotos, vídeos, e postagens nas redes sociais. Respeito pelas autorizações com informações delicadas.
Enfim o tópico “F” especifica como tratar as denúncias de pressupostos casos de exploração , de abusos sexuais ou maus-tratos dos menores. São 15 pontos detalhados que orientam o procedimento.
1.    O primeiro refere-se ao apoio a ser dado aos que afirmam ser vítimas de exploração, abuso ou maus-tratos. Seus direitos e a ajuda através do Referente para a Tutela.
2.    Sobre a assistência médica, social, terapêutica e psicológica de urgência a ser dada à vítima.
3.    Sem tocar o sigilo sacramental os agentes, colaboradores e voluntários que souberem de abusos devem informar o Vigário geral diretamente ou através do Referente.
4.    O autor da denúncia deve formalizar por escrito ao Vigário ou Referente e comunicar ao promotor de justiça do tribunal do Estado da Cidade do Vaticano.
5.    Caso o pressuposto autor dos fatos seja um clérigo ou membro de um Instituto de Vida Consagrada ou uma Sociedade de Vida Apostólica, o Vigário Geral deve logo comunicar a notícia ao Ordinário próprio ou ao Superior maior.
6.    Caso a denúncia seja evidente, o vigário comunica diretamente ao tribunal e afasta o pressuposto autor dos fatos das atividades pastorais do Vicariato.
7.    Caso a pessoa ofendida se oponha a formalizar a denúncia, o Vigário geral não transmitirá a notícia ao promotor de justiça, ao menos que o Referente considere necessária a denúncia para proteger a pessoa ofendida ou outros menores do perigo.
8.    Nos casos de sua competência e sem prejudicar as investigações realizadas na sede civil, o Vigário geral realiza pessoalmente ou através de um presbítero especializado na matéria processual e prudente no discernimento, a investigação prévia segundo o cânone 1717 do CDC. A investigação é conduzida em título prioritário.
9.    Segundo as circunstâncias, o Ordinário competente pode delegar a competência da investigação prévia ao Vigário geral.
10. Nos procedimentos devem ser recolhidos documentos, provas, testemunhas provenientes de vários âmbitos e ambientes do denunciado assim como toda as informações sobre as pessoas ofendidas e os danos causados.
11. No decorrer dos procedimentos deve-se dar atenção: em oito pontos, especifica-se toda a atenção que deve ser dirigida à pessoa ou pessoas envolvidas no caso desde a deposição imediata, acompanhamento aos setores responsáveis, esclarecimento dos seus direitos e possibilidades de provas, dar esclarecimentos sobre os passos dos procedimentos já efetuados, encorajar a pessoa, seu direito à assistência civil e canônica, preservar a pessoa ofendida e sua família de intimidações, tutelar o respeito pelos dados pessoais.
12. A presunção de inocência deve ser sempre garantida, tutelando a reputação do acusado. Exceto por graves razões o acusado deve ser logo informado das acusações que lhe dizem respeito. Também a ele serão oferecidas assistência espiritual e psicológica, assim como legal e canônica.
13. Quando necessário devem ser tomadas adequadas medidas cautelares.
14. Caso as investigações sejam confirmadas o Vigário geral submete a causa ao Dicastério competente. No caso contrário, o Vigário emite um decreto de arquivação motivado.
15. Qualquer um que seja declarado culpado por ter cometido um dos crimes referidos no artigo 1 da lei n. 297 sobre “A proteção dos menores e das pessoas vulneráveis” de 26 de março de 2019, será removido do seu cargo; porém será oferecido um apoio adequado para reabilitação psicológica e espiritual, assim como para a reinserção social.
Fonte: Vatican News

quarta-feira, 27 de março de 2019

PAPA CONVOCA "24 HORAS DE ORAÇÃO PARA O SENHOR"

Cidade do Vaticano
O Papa Francisco dará início à 6ª edição da tradicional iniciativa “24 horas de Oração para o Senhor”, com a celebração penitencial na Basílica de São Pedro na próxima sexta-feira, dia 29 de março. A iniciativa nasceu em Roma há seis anos, mas logo se tornou mundial, unindo espiritualmente ao Santo Padre as Igrejas espalhadas nos cinco continentes, e oferecendo a todos a possibilidade de fazer experiência pessoal da infinita misericórdia de Deus.

Nem eu te condeno

O tema deste ano será a frase do Evangelho de João: “Nem eu te condeno (Jo 8, 11). A jornada, que será marcada pela Adoração Eucarística, pela reflexão e pelo convite à conversão pessoal, propõe a contemplação da imagem de Jesus, que ao invés da multidão reunida para julgar e condenar, oferece a sua infinita Misericórdia como ocasião de graça e de vida nova.

Reconciliação

Como recorda o Santo Padre na Carta Apostólica Misericordia et Misera “O sacramento da Reconciliação precisa voltar a ter o seu lugar central na vida cristã (…), uma ocasião propícia pode ser a celebração da iniciativa 24 horas para o Senhor nas proximidades do IV Domingo da Quaresma, que goza já de amplo consenso nas dioceses e continua a ser um forte apelo pastoral para viver intensamente o sacramento da Confissão”.
O mundo inteiro está convidado para abrir-se à Misericórdia de Deus com as “24 horas para o Senhor” que o Papa Francisco dará início com a Celebração Penitencial desta sexta-feira (29).
Fonte: Vatican News

FREI SILVESTRE TOMA POSSE COMO PRIOR DA COMUNIDADE RELIGIOSA

Posse do prior frei Silvestre Brunoro na comunidade religiosa Nossa Senhora da Consolação, concedida pelo prior provincial frei Miguel, em Cachoeiro de Itapemirim-ES.






segunda-feira, 25 de março de 2019

PAPA ASSINA EM LORETO A CARTA PÓS-SINODAL AOS JOVENS

Bianca Fraccalvieri –
O Papa Francisco escolheu o Santuário de Loreto para assinar nesta segunda-feira (25/03) a Exortação Apostólica fruto do Sínodo dos Bispos para os jovens, intitulada "Christus vivit - Cristo vive". 
Segundo a tradição, no Santuário estão conservadas as paredes onde a Virgem disse seu "sim" ao projeto de Deus. Ali, o Papa se deteve em oração silenciosa antes de presidir à celebração eucarística, em que não pronunciou a homilia.
No altar, o Pontífice assinou o documento ao lado do Secretário-Geral do Sínodo dos Bispos, Card. Lorenzo Baldisseri.
Na sequência, o Pontífice cumprimentou por cerca de meia hora os doentes presentes dentro da Basílica.
Ao final, no adro do Santuário, Francisco pronunciou um discurso aos fiéis em que destacou a vocação da Santa Casa como a casa dos jovens, porque ali a Virgem Maria continua a falar às novas gerações, acompanhando cada um na busca de sua vocação.

Escuta, discernimento e decisão

No evento da Anunciação, que a Igreja celebra neste 25 de março, aparece a dinâmica da vocação, expressa nos três momentos que marcaram o Sínodo: escuta da Palavra; discernimento; e decisão.
O primeiro momento, o da escuta, manifesta-se nas palavras do anjo: "Não temas Maria, [...] conceberás um filho, lhe darás à luz e o chamarás Jesus".
“É sempre Deus quem toma a iniciativa de chamar a segui-lo”, disse o Papa, acrescentando que precisamos estar prontos e dispostos a escutar e acolher a voz de Deus, que não se reconhece no barulho e na agitação.
O segundo momento típico de cada vocação é o discernimento, expresso nas palavras de Maria: “Como acontecerá isso?”.
Maria não duvida, explicou o Papa; pelo contrário, quer descobrir todas as surpresas de Deus. E esta é a atitude do discípulo: colaborar com a iniciativa gratuita do Senhor para aprofundar as próprias capacidades.
A decisão é a terceira fase que caracteriza cada vocação cristã, explicitada na resposta de Maria ao anjo: “Faça-me em mim segundo a tua palavra”.
“ Maria é o modelo de toda vocação e a inspiradora de toda pastoral vocacional: os jovens que estão em busca e se interrogam sobre seu futuro, podem encontrar em Maria Aquela que os ajuda a discernir o projeto de Deus sobre si mesmos e a força para aderir a ele. ”

Loreto, polo espiritual

Francisco aponta Loreto como um local privilegiado onde os jovens podem ir em busca da própria vocação, “um polo espiritual a serviço da pastoral vocacional”, oferecendo indicações práticas aos frades capuchinhos que cuidam da Basílica, como por exemplo a ampliação do horário de fechamento.

Família e doentes

Além de ser a casa dos jovens, a Santa Casa é também o local da família. Para Francisco, a experiência doméstica da Virgem indica que família e jovens não podem ser dois setores paralelos da pastoral das comunidades, mas “devem caminhar estreitamente unidos, porque com frequência os jovens são aquilo que uma família deu a eles no período do crescimento”.
A Casa de Maria é ainda a casa dos doentes. “A doença fere a família, e os doentes devem ser acolhidos dentro da família”, recordou, enviando a todos os doentes do mundo uma afetuosa saudação. “Vocês estão no centro da obra de Cristo, porque compartilham e carregam de maneira mais concreta atrás Dele a cruz de todos os dias.”

Precisa-se de pessoas simples e sábias

O Papa concluiu confiando aos fiéis uma missão: “levar o Evangelho da paz e da vida aos nossos contemporâneos, muitas vezes distraídos, presos pelos interesses terrenos ou imersos num clima de aridez espiritual. Precisa-se de pessoas simples e sábias, humildades e corajosas, pobres e generosas”.
Francisco pediu a intercessão de Nossa Senhora para que ajude todos os fiéis, especialmente os jovens, a percorrerem o caminho da paz e da fraternidade fundadas no acolhimento e no perdão, no respeito do outro e no amor que é dom de si.
Fonte: Vatican News

sexta-feira, 22 de março de 2019

PÁSCOA CÁRITAS - MAIS QUE CHOCOLATE

A Cáritas da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim está lançando a campanha “Páscoa Cáritas - Mais que Chocolate”.

A campanha oferece produtos típicos desta época, como ovos de páscoa, bombons, pirulitos de chocolates, dentre outros. Detalhe: todos os produtos são produzidos pelos próprios agentes da Cáritas Diocesana.

Jhone Souza, gerente de projetos da Cáritas Diocesana, explicou o intuito da campanha, citando que o nome “mais que chocolate” representa a função da Cáritas na sociedade, com um trabalho sempre voltado às pessoas necessitadas.

“A finalidade da campanha é arrecadar recursos para a implementação dos projetos sociais da Cáritas dentro da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Quais sãos os projetos? Há a Casa de Passagem, o projeto com os catadores de material reciclável, as rodas de conversa que estamos promovendo em toda Diocese desde o ano passado, a implementação das Cáritas Paroquiais, que muito tem nos auxiliado, e a fomentação de grupos solidários. Estes são os principais pontos e projetos em que Cáritas atua dentro de nossas comunidades”.


Promoção da Vida

O gerente de projetos da Cáritas Diocesana menciona ainda a grande relevância que a Campanha tem dentro dos objetivos que a Cáritas cumpre no âmbito social. “Além de poder consumir um delicioso produto fabricado por nós, com muito amor e carinho, você estará contribuindo com aqueles que estão em vulnerabilidade, em risco social, estará contribuindo com os beneficiários que de alguma forma usufruem dos projetos promovidos pela Cáritas”.

“A importância de as pessoas aderirem a esta campanha vai muito mais além do que a compra de um simples produto. A partir do momento que você está adquirindo um ovo de páscoa, ou qualquer um dos outros produtos, você não está somente adquirindo um chocolate, você está sendo parte de uma mobilização para a promoção da vida”, explica Jhone.

E para fazer o seu pedido basta entrar em contato pelos números (28) 3522-7802 ou (28) 99905-4949 (com WhatsApp). Você também pode acessar as redes sociais da entidade, com perfis no Facebook e Instagram.

Se desejar, também pode procurar o escritório da Cáritas Diocesana, na Rua Deodoro da Fonseca, 98 - Independência, Cachoeiro de Itapemirim, ou os escritórios das Cáritas Paróquiais. Atualmente as paróquias São Pedro – Catedral, Nossa Senhora da Consolação e Nossa Senhora das Graças (todas em Cachoeiro) já contam com o núcleo paroquial da Cáritas. Em Irupi, a Paróquia Nosso Senhor Jesus Cristo Luz dos Povos recebeu os agentes esta semana e é a primeira Cáritas Paroquial a ser formada fora da cidade de Cachoeiro.

“E eu convido todos a estarem juntos conosco. Nós aceitamos encomendas caso as paróquias, pastorais, comunidades, empresas e estabelecimentos no geral queiram presentear seus moradores, pessoas assistidas ou funcionários. Pessoas que queiram fazer compras simples, para elas próprias, também podem ficar à vontade e entrar em contato. Estamos abertos a toda a comunidade, pois quanto mais chocolates forem adquiridos mais pessoas serão beneficiadas no futuro. É muito mais que simples chocolates, é uma viabilização de recursos e dignidade à nossa sociedade carente.”

Entre em contato com a Cáritas, verifique todos os produtos disponíveis e faça a sua encomenda! Veja alguns dos produtos oferecidos:
OVOS DE 350 G - R$ 25,00
OVOS DE 500 G - R$ 35,00
PIRULITOS DE CHOCOLATE - R$ 2,50
SACOLINHA DE CENOURA COM BOMBONS - R$ 5,00.

Fonte: Site da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim


ENCONTRO DOS FREIS DA REGIÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

No dia 21/03 os frades da Região do Espírito Santo estiveram reunidos em Retiro meditando sobre o tema "Comunhão e Conversão".
El día 21/03 los frailes de la Región del Espíritu Santo estuvieron reunidos en Retiro meditando sobre el tema "Comunión y Conversión".


sexta-feira, 15 de março de 2019

PARABÉNS FREI SILVESTRE BRUNORO!

O calendário da Província Santo Tomás de Vilanova da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 15 de março de 2019, recorda o 49º aniversário natalício de Frei Silvestre Brunoro, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse religioso e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Silvestre Brunoro, O.A.R., atualmente, reside na cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES) e trabalha como Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação.

quinta-feira, 14 de março de 2019

ARCEBISPO DE VITÓRIA ENVIA MENSAGEM À PROVÍNCIA ECLESIÁSTICA DO ESPÍRITO SANTO EM VIRTUDE DA FESTA DA PENHA 2019

Estamos a menos de 2 meses da Festa da Penha, celebração dedicada à Padroeira do Espírito Santo.

Com isso, o arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Vitória, Dom Dario Campos, enviou uma mensagem às dioceses do estado e também aos fiéis que todo ano peregrinam até o Convento da Penha, santuário dedicada à santa e localizado em Vila Velha.

Dom Dario, em sua mensagem, pede união e ardor dos fiéis durante as homenagens à padroeira, também mencionando que “a presença de todos será motivo de muita alegria e sinal de comunhão entre nós”. Veja abaixo a mensagem de Dom Dario Campos.


Festa da Penha 2019

Paz e Bem!

Estamos a exatos 50 dias para a abertura da Festa da Penha, a maior festa religiosa do Espírito Santo e a terceira do País. São muitos anos de história, que envolve a fé e a devoção do povo sobre a proteção de Nossa Senhora que do alto da montanha vela por nós.

A Festa da Penha, está diretamente ligada, na sua origem, à festa da Páscoa, isto é, festa do clarão da Luz, a mais importante para os cristãos. A abertura do Oitavário se dá exatamente no Domingo da Páscoa da Ressurreição do Senhor e se desenvolve na oitava pascal. Maria participa da alegria do seu Filho. Ela é a Senhora das Alegrias.

Neste ano de 2019 a festa acontecerá entre os dias 21 a 29 de abril. Durante estes dias teremos missas, diversas romarias como a tradicional Romaria dos Homens – marco da festa, uma programação noturna diversificada e apresentações culturais. Outra característica marcante da festa é a participação das Áreas Pastorais da Arquidiocese de Vitória e Dioceses da Província do Espírito Santo com suas respectivas romarias e celebrações no Oitavário. A programação detalhada já está disponível. Sua ajuda na divulgação é importantíssima.

O tema da festa deste ano, é “Eis aqui a serva do Senhor” tirado do evangelho de São Lucas (1,38). O que nos motivou na escolha do tema é o foco que pretendemos dar à Juventude, considerando, sobretudo, o Sínodo dos Bispos sobre a juventude convocado pelo Papa Francisco, ocorrido em outubro do ano passado, e a recente Jornada Mundial da Juventude – JMJ, realizada mais recentemente no Panamá. A Igreja tem se preocupado muito com a juventude, o futuro da Igreja e da nossa sociedade. A cada Jornada da Juventude, os papas deixam um legado aos jovens, destacando sua importância como protagonistas da história. Francisco convidou os jovens a “ter memória do passado, ter coragem no presente e ter/ser esperança para o futuro”. A juventude deverá ter uma participação especial na programação da Festa.

Maria, é a jovem de Nazaré que disse “SIM” a Deus, que concebeu em seu ventre o Filho de Deus colaborando assim com a obra da Salvação. Ela, é modelo para a juventude que também é chamada a dizer seu “sim” a Deus, no serviço aos irmãos e em nossas comunidades provocando a transformação da sociedade. Ela, é a Mãe da Juventude que sofre e se sente desamparada. Ela, é a Rainha dos Vocacionados.

Buscando alcançar um maior número de fiéis e o seu envolvimento afetivo na festa, inclusive os que estão mais distantes, uma equipe de mariólogos junto com a Comissão da Festa produziu um livreto que traz as orações devocionais e a liturgia da missa para cada dia do Oitavário. Este material foi pensado para ser distribuído em todas as paróquias e comunidades do nosso Estado. Precisamos ainda do apoio de todas as rádios católicas (e outras interessadas) para transmissão ao vivo do Oitavário e outras mídias. Desde as edições passadas os eventos têm sido transmitidos ao vivo também pelas redes sociais e TVs.

Enfim, queremos pedir a oração de todos para um bom êxito da festa e o ardor renovado que ela pode produzir nos que se deixam envolver por ela. A presença de todos será motivo de muita alegria e sinal de comunhão entre nós. Ao longo dos próximos 50 dias para a abertura da festa nos abramos à ação do Espírito Santo e nos confiemos aos cuidados de Nossa Senhora da Penha, nossa Padroeira.

Viva Nossa Senhora da Penha!

Dom Dario Campos
Arcebispo Metropolitano de Vitória do Espírito Santo

Fonte: Site da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim




ADMINISTRADOR DIOCESANO ACOLHE OS RELIGIOSOS RECÉM-CHEGADOS À DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM


Na tarde dessa quarta-feira, 13 de março, o Pe. Walter Luiz Barbiero Milaneze Altoé, administrador diocesano, se reuniu na Cúria Diocesana com os religiosos recém-chegados à Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.

Junto a Pe. Walter estava Pe. Andherson Franklin Lustoza de Souza, coordenador de Pastoral. Juntos, eles recepcionaram e acolheram os novos padres e freis que compõem o clero da diocese.

Participaram também religiosos que já estavam atuando na Diocese, no qual aproveitaram o encontro para fortalecer a unidade entre as várias congregações e também com a Diocese de Cachoeiro.

Ivanete Paris, secretária de pastoral, também participou da reunião. Ao todo 7 religiosos estiveram presentes, alguns conhecendo a cúria diocesana pela primeira vez. Foram eles:

Pe. Arlindo Toneta, MI - Camilianos
Pe. Luciano Donizete Naves, MI - Camilianos
Frei Antonio Rabanal Bueno, OAR - Agostinianos Recoletos
Frei José Luiz Rodrigues de Oliveira, OAR (Frei Zezinho) - Agostinianos Recoletos
Frei Laercio Rodrigues da Cruz, OAR - Agostinianos Recoletos
Frei Sérgio Sambl, OAR - Agostinianos Recoletos
Irmã Jaqueline R. Correia, SMA - Salesianas, Filhas de Maria Auxiliadora

Fonte: Site da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

NOTÍCIAS SOBRE O ESTADO DE SAÚDE DE FREI LEOPOLDO

Frei Leopoldo está internado no Hospital São Camilo, em São Paulo, desde terça-feira. Ele chegou ao hospital muito desidratado; a pressão estava muito baixa. O quadro dele é considerado “grave”, no sentido de que inspira cuidados especiais. Não há previsão de alta da UTI. Ele está lúcido, sentindo-se incomodado apenas pela situação.

Frei Leopoldo trabalhou na Paróquia Nossa Senhora da Consolação como vigário paroquial.

quarta-feira, 13 de março de 2019

NOTA DE PESAR DA DIOCESE DE MOGI DAS CRUZES (SP)


Dom Pedro Luiz Stringhini, bispo diocesano de Mogi das Cruzes (SP), consternado ao receber as notícias a respeito do atentado aos alunos da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, transmite seu pesar, com expressões de proximidade e conforto, aos familiares dos alunos do colégio, e principalmente, daqueles que choram a perda de seus entes queridos pedindo a Deus para que derrame sobre cada um deles os dons da serenidade espiritual e da esperança cristã, pois, nossa fé se fundamenta nas promessas e na vitória de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Enquanto Diocese, todo o clero e fiéis leigos, unimo-nos em oração pelos atingidos neste brutal ataque à Escola Raul Brasil, nas preces pelos falecidos, inclusive pelos autores deste triste ocorrido, pedindo a Deus que os acolha na Sua misericórdia e pela recuperação dos que foram atingidos.

Como filhos do príncipe da Paz, repudiamos qualquer ato de violência, e pedimos a Deus a graça de sermos promotores da paz em nosso país e no mundo.

Com uma saudação fraterna e dolorosa, nós nos unimos a todos.

Mogi das Cruzes, 13 de março de 2019


Dom Pedro Luiz Stringhini
Bispo Diocesano de Mogi das Cruzes

Pe. Antônio Robson Gonçalves
Vigário Geral da Diocese de Mogi das Cruzes

Fonte: Site da Diocese de Mogi das Cruzes 

terça-feira, 12 de março de 2019

ATUALIZAÇÃO DO COLÉGIO CARDINALÍCIO

Bianca Fraccalvieri - Cidade do Vaticano
Com os 80 anos completados no dia 11 de março pelo cardeal filipino Orlando Beltran Quevedo, o Colégio fica assim composto: 223 cardeais, dos quais 122 eleitores e 101 não eleitores num eventual conclave.
Desde o ano 1059 os cardeais são os eleitores exclusivos do Papa, mas só pode votar quem tiver menos de 80 anos. Atualmente, o Decano è o Card. Angelo Sodano e o vice-Decano è o Card. Giovanni Battista Re. O Camerlengo é o Card. Kevin Joseph Farrell.
O membro mais idoso é colombiano José de Jesús Pimiento Rodríguez, Arcebispo-emérito de Manizales, que tem 100 anos (ele nasceu em 18 de fevereiro de 1919).
O mais novo é Dieudonné Nzapalainga, da República Centro-Africana, que vai completar 52 anos no dia 14 deste mês de março.
O Brasil tem dez cardeais. Seis não eleitores: Serafim Fernandes de Araújo, José Freire Falcão, Geraldo Majella Agnelo, Eusébio Oscar Scheid, Cláudio Hummes e Raymundo Damasceno Assis. E quatro eleitores: João Braz de Aviz, Odilo Pedro Scherer, Orani João Tempesta e Sérgio da Rocha.
Fonte: Vatican News

O ANIVERSÁRIO DO PONTIFICADO, OLHANDO PARA O ESSENCIAL

 Andrea Tornielli – Cidade do Vaticano
O sexto aniversário da eleição vê o Papa Francisco comprometido em um ano cheio de importantes viagens internacionais, marcado no início e no final, por dois eventos "sinodais": o encontro para a proteção de menores realizado no Vaticano em fevereiro passado, com a participação dos presidentes das Conferências Episcopais de todo o mundo, e o Sínodo especial sobre a Amazônia, que será celebrado - também no Vaticano -, em outubro próximo. De notável impacto a recente viagem aos Emirados Árabes que  viu o Bispo de Roma assinar uma Declaração conjunta com o Grande Imame de Al-Azhar. Um documento que se espera possa ter consequências no campo da liberdade religiosa. O tema ecumênico prevalecerá nas próximas viagens à Bulgária e depois à Romênia, enquanto a desejada, mas ainda não oficializada viagem ao Japão, poderá ajudar a recordar a devastação causada pelas armas nucleares, como advertência para o presente e para o futuro da humanidade que experimenta a "terceira guerra mundial em pedaços", da qual o Papa fala frequentemente.

Mas um olhar ao ano apenas transcorrido não pode ignorar o ressurgimento do escândalo dos abusos e das divisões internas que levaram o ex-núncio Carlo Maria Viganò, em agosto passado, precisamente quando Francisco celebrava a Eucaristia com milhares de famílias em Dublin, repropondo a beleza e o valor do matrimônio cristão, a pedir publicamente a renúncia do Papa por causa da gestão do caso McCarrick. Diante dessas situações, o Bispo de Roma pediu a todos os fiéis do mundo que rezassem o Terço todos os dias, durante todo o sucessivo mês mariano de outubro de 2018, para unirem-se "em comunhão e penitência, como povo de Deus, pedindo à Santa Mãe de Deus e a São Miguel Arcanjo para protegerem a Igreja do diabo, que sempre visa nos separar de Deus e entre nós". Tal pedido tão detalhado não tem precedentes na história recente da Igreja. Com suas palavras e o apelo ao povo de Deus para rezar para manter a unidade da Igreja, Francisco nos fez entender a gravidade da situação e ao mesmo tempo expressou a cristã consciência de que não existem remédios humanos capazes de assegurar um caminho de saída.
Mais uma vez, o Papa chamou ao essencial: a Igreja não é formada por super-heróis (nem mesmo por super-papas) e não avança com a força de seus recursos humanos ou estratégias. Sabe que o maligno está presente no mundo, que existe o pecado original, e que para nos salvarmos, precisamos da ajuda do Alto. Repeti-lo não significa diminuir as responsabilidades pessoais dos indivíduos e nem mesmo as das instituições, mas situá-las em seu real contexto.
"Com esta solicitação de intercessão" - estava escrito no comunicado vaticano com o pedido do Papa para a oração do Terço em outubro passado - "o Santo Padre pede aos fiéis de todo o mundo para rezar para que a Santa Mãe de Deus coloque a Igreja sob seu manto protetor: para preservá-la dos ataques do maligno, o grande acusador, e ao mesmo tempo torná-la cada vez mais consciente dos abusos e erros cometidos no presente e no passado”.
No presente e no passado, porque seria um erro "descarregar" sobre aqueles que vieram antes de nós as culpas e apresentar-nos como "puros". Também hoje a Igreja deve pedir a Alguém para ser libertada do mal. Um dado de fato que o Papa, em continuidade com seus antecessores, recorda constantemente.
A Igreja não se redime sozinha dos males que a afligem. Também do horrível abismo dos abusos sexuais cometidos por clérigos e religiosos, não se sai em virtude de processos de auto-purificação, muito menos confiando-se a quem se investiu no papel de purificador. Normas sempre mais eficazes, responsabilidade e transparência são necessárias, na verdade indispensáveis, mas nunca serão suficientes. Porque a Igreja, recorda-nos hoje o Papa Francisco, não é auto-suficiente e testemunha o Evangelho a muitos homens e mulheres feridos do nosso tempo, precisamente porque também ela se reconhece como mendigo de cura, necessitando de misericórdia e de perdão do seu Senhor. Talvez nunca como no conturbado ano que passou, o sexto do seu pontificado, o Papa que se apresenta como "um pecador perdoado", seguindo o ensinamento dos Padres da Igreja e de seu imediato predecessor Bento XVI, testemunhou este dado essencial, e mais do que nunca atual da fé cristã.
Fonte: Site Vatican News

FREI NICOLÁS, FREI ANTÔNIO CÂNDIDO E FREI MAX SÃO APRESENTADOS À COMUNIDADE IMACULADA CONCEIÇÃO (ILHA DE MARAJÓ - PARÁ)

Neste domingo (10.03), Dom Evaristo apresentou à Comunidade Imaculada Conceição da cidade de Salvaterra (Ilha do Marajó, Pará) a nova comunidade religiosa Agostiniana Recoleta: o pároco Frei Nicolás, o vigário Frei Antônio Cândido e o religioso de votos simples, Frei Max.
Fotos: Frei Max Oliveira

En este domingo (10.03), Mons. Evaristo presentó a la Comunidad Inmaculada Concepción de la ciudad de Salvaterra (Isla de Marajó, Pará) la nueva comunidad religiosa Agustina Recoleta: el párroco fray Nicolás, el vicario Frei Antônio Cândido y el religioso de votos simples, Frei Max .
Fotos: Frei Max Oliveira