quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

MEMÓRIA À IRMÃ CLEUSA CAROLINA RODY COELHO

A Paróquia Nossa Senhora do Amparo e a autoridades municipais da cidade de Itapemirim, Espírito Santo, prestaram bonita homenagem à Irmã Cleusa Carolina Rody Coelho, mártir Missionária Agostiniana Recoleta que defendeu as classes menos favorecidas até sua morte.



Itapemirim é a cidade onde a família de Irmã Cleusa viveu por alguns anos e onde ela foi batizada. A atual administração do município decidiu manter viva a memória da missionária, homenageando-a ao dedicar seu nome a uma das praças da cidade.



No dia 16 de janeiro houve a inauguração, com a bênção da Placa seguida da Celebração Eucarística no mesmo local, presidida pelo Padre José Carlos Ferreira da Silva, Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Amparo. A Praça Irmã Cleusa fica na entrada do município de Itapemirim.





Irmã Cleusa



Mártir da justiça e da paz, missionária agostiniana recoleta, Irmã Cleusa Carolina Rody Coelho nasceu em 12 de novembro de 1933, em Cachoeiro de Itapemirim. Iniciou seus contados com os Frades Agostinianos Recoletos que trabalhavam na Paróquia São Pedro na época. Estudou no Colégio Estadual Muniz Freire – Liceu, em Cachoeiro, local que recebeu a medalha de ouro de melhor aluna, durante dois anos seguidos.



Ingressou na Congregação das Missionárias Agostinianas Recoletas (MAR). Durante sua vida religiosa, esteve em missão nos municípios de Colatina (ES), Vitória (ES), Manaus (AM) e Lábrea (AM).



E foi no município amazonense, em 28 de abril de 1985, em defesa da terra e da paz indígena, que Irmã Cleusa foi assassinada às margens do Rio Paciá. Foram 32 anos de vida missionária dedicada ao serviço dos mais pobres e marginalizados.

Atualmente encontra-se na Cidade do Vaticano o processo para sua beatificação.

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim